A Profecia: Capítulo 4

Autor: Fábio Anhaia

Guerreiros Iroquois – Google Imagens

No meio da noite quatro guerreiros caminham pela floresta em busca de Iboni, os quatro andam pela mata passo a passo para não chamar a atenção, até que de repente encontraram Iboni, ele parecia diferente, de alguma forma os quatro sentiam que aquele não era Iboni.

– Iboni, trago notícias da aldeia, o Corvo Azul, ele cancelou o ataque ao reino da Rainha Negra, disse que vai sozinho ao Castelo. – Informou um dos guerreiros.

Iboni parecia frio, sem emoção alguma, não respondeu, ficou pensativo.

– O que aconteceu com você Iboni? Por que não responde? O que vamos fazer agora? – Perguntou outro guerreiro.

– Onde ele está? – Perguntou Iboni com um tom de voz firme.

– Ele vai partir amanhã com o nascer do sol. – Afirmou um dos guerreiros.

Iboni não disse nada, apenas saiu andando floresta adentro até que desapareceu entre as árvores e a escuridão.

8 horas antes…

Iboni entra na mata e começa a caminhar, no meio de seu trajeto ouve alguém o chamar:

– Iboni! Onde está indo?

– Preciso resolver isso! – Respondeu Iboni.

– Você não pode resolver tudo sozinho, você ouviu o Corvo Azul, vamos conseguir nossa vingança, mas precisamos confiar nele!

– Você não sabe de nada! – Respondeu Iboni entrando na mata.

Tenda da Floresta – Google Imagens

Iboni caminha pela mata até encontrar uma clareira, na clareira há um tipo de tenda indígena, Iboni entra. Dentro da tenda ele encontra diversos artefatos indígenas, a tenda é escura e Iboni sente um arrepio na espinha.

– Olá?! Tem alguém aí?? Me chamo Iboni e estou à procura de Tchaki! – Chamou Iboni.

A Feiticeira – Google Imagens

Ele não recebe nenhuma resposta, a tenda parece abandonada. Quando Iboni desiste e resolve ir embora, algo se levanta em meio ao escuro, uma sombra enorme se forma diante de seus olhos, Iboni ficou apavorado, e então ele ouve uma voz:

– O que você procura Iboni, filho de City! – Disse a sombra.

– Não sou filho de City! Sou filho de Hatyk! – Respondeu Iboni.

– Sua vida esconde segredos que você não é nem capaz de imaginar Iboni. – Disse a sombra.

Nessa hora, a sombra começa a diminuir, até que do meio da escuridão surge uma mulher, uma bela jovem, uma feiticeira.

– Eu sou Tchaki, por que você veio até mim? – Disse a feiticeira.

– Preciso da sua ajuda! – Respondeu Iboni.

Tchaki observa Iboni e com um sorriso debochado diz:

– O que você busca tem um preço, e eu posso te afirmar que não é barato.

– Não acredito que seja tão terrível, e além do mais, você não sabia nem quem era meu pai! – Afirmou Iboni.

– Você vai descobrir toda a verdade, assim que fecharmos o acordo Iboni, mas você deveria me ouvir, depois não diga que não avisei. – Disse Tchaki.

– Pois o que eu preciso fazer então? – Perguntou Iboni.

Tchaki /A Feiticeira – Google Imagens

A feiticeira então prepara um ritual com velas e símbolos que Iboni nunca havia visto, de repente ela solicita a Iboni que o mesmo deite-se sobre uma pedra completamente nu e então a feiticeira questiona:

– Agora me responda Iboni, qual é o seu desejo?

Iboni totalmente decidido do que veio a fazer responde:

– Eu desejo ser o maior e melhor guerreiro que já existiu, um guerreiro capaz de destruir a Rainha Negra e todo o seu exército!

A feiticeira começa a caminhar por volta de Iboni o observando e responde:

– Para que isso seja possível, preciso que me de algo em troca!

– E o que você quer? – Questiona Iboni.

– Sua alma! – Responde Tchaki.

– Pois bem, que assim seja, continue feiticeira. – Concordou Iboni.

A feiticeira então sobe sobre ele começa a proferir palavras em um idioma que ele nunca havia visto, faz um pequeno corte em um de seus dedos e começa a derramar gotas de sangue em sua boca, de repente a feiticeira o beija e lentamente Iboni começa a sentir um certo tipo de dor, como se alguém estivesse invadindo seu corpo e arrancando todos os seus órgãos internos. Iboni vê tudo ao seu redor desaparecer, é como se sua alma estivesse deixando seu corpo, Iboni então se vê em uma caverna escura e começa a andar, enquanto caminha pela caverna percebe uma luz, era como se fosse a luz de uma fogueira e enquanto Iboni se aproxima, a luz foi ficando cada vez maior e o indígena se sente cada vez mais aflito.

– Olá, tem alguém aí?? – Chamou Iboni.

Monstro de Fogo – Google Imagens

E então um monstro de fogo surge daquela fogueira, Iboni fica completamente apavorado, estava com tanto medo que acaba caindo para trás, o monstro é enorme, cheio de músculos, com asas gigantes, além de chifres e garras que poderiam perfurar o corpo de qualquer criatura com muita facilidade, o monstro olha para Iboni caído e diz:

– Porque viestes até mim?

Iboni com uma voz tremula responde:

– Desejo me tornar um guerreiro invencível, a feiticeira disse que poderia me ajudar.

O monstro terrível observa Iboni com desprezo e responde:

– Você sabe o custo disso?

– Sim! – Afirma Iboni.

– E mesmo assim você quer? – Questiona o monstro.

Iboni, tomado pela coragem, levanta-se, olha para o monstro e diz:

– SIM! É O QUE EU MAIS DESEJO!

O monstro aproxima-se com sua enorme cabeça e então sopra, Iboni sentiu todo o seu corpo queimar, uma dor terrível, ele jamais havia sentido algo assim antes, Iboni começa a perder o sentido aos poucos e enfim cai. Após o ocorrido Iboni acorda no meio da mata com um semblante estranho, como se não tivesse alma e começa a andar.

Enquanto seguia sua jornada Iboni encontra quatro guerreiros da tribo que lhe contam tudo sobre a decisão tomada pelo Corvo Azul de ir até a Rainha Negra sozinho, Iboni sem nenhuma reação apenas entra floresta adentro e começa a andar até que desaparece entre as árvores e a escuridão.

Os quatro guerreiros sem entender nada da reação de Iboni começam uma caminhada de volta a aldeia, de repente começam a sentir como se estivessem sendo observados por algo ou alguém, um arrepio começa a surgir na pele dos jovens guerreiros até que ouvem um barulho, era como se fosse um galho quebrando. Eles procuram entre as árvores e não veem nada então decidem continuar a jornada.

A Besta – Google Imagens

Mais alguns passos e eles ouvem o barulho novamente, porém dessa vez foi mais alto, parece que algo está mais perto do que da primeira vez, um dos guerreiros então olha para trás e a única coisa que consegue ver é um enorme galho de árvore vindo em sua direção, o galho simplesmente atravessou seu corpo como uma agulha atravessa o tecido, os outros três guerreiros começam a correr desesperadamente mata a dentro, um deles olha para trás e vê uma sombra os perseguindo e então tropeça em um tronco velho, outro guerreiro para e tenta ajuda-lo porém era tarde e a fera que os perseguia já tinha pego seu amigo. A fera pega o guerreiro e começa a despedaçá-lo como se ele fosse feito de papel, os dois guerreiros então voltam a correr até que chegam a um riacho, a fera então os alcança, eles ficam chocados com o que veem em sua frente.

Toda coberta de sangue a fera os observava, ela tem quase três metros de altura, pelos listrados e presas enormes, além de enormes garras que poderiam perfurar qualquer coisa com muita facilidade, era um tigre gigante. A fera pega um dos guerreiros pelo pescoço e aproxima-o de seu rosto e então o abocanha arrancando parte do rosto do guerreiro, em seguida ela começa a decepá-lo como se ele não fosse nada, parte por parte.

O quarto e último guerreiro observando tudo aquilo começa a andar de costas em direção ao riacho completamente apavorado com a cena, despercebido e com muito medo ele cai na água e desaparece.

Publicado por fabioanhaia

Autor de Primeira Viagem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: