O Havaiano

Verão de 2020.

De férias no Havaí, Raul e Natalia estão animados no quarto do hotel, a meses prepararam essa viagem e estão excitados com o que os aguarda.

— Que pena que Aline não pode vir. — Disse Natalia.

— É, desde que começou a lidar com esses investidores ela anda sem tempo. — Respondeu Raul.

— Bom, mas nós vamos aproveitar! — Declarou Natalia.

— Ah nós vamos, por nós e por ela! — Declarou Raul entregando uma taça de espumante a Natalia.

Após organizar tudo no quarto os amigos descem para a praia do resort, os dois entram no mar e algo chama a atenção de ambos um homem charmoso e boa pinta que acabará de chegar.

— Benza Pai, que isso! – Declarou Raul.

— Isso é um Deus Havaiano Raul! — Respondeu Natalia.

Os dois ficam babando enquanto o bonitão tira o short e fica apenas de sunga.

— Olá! — Cumprimenta o bonitão entrando no mar com eles.

— Oiiiii — Responderam os dois simultaneamente.

— Meu Deus! Que homem! — Disse Raul.

De repente os dois retornam a realidade quando uma onda quebra sobre eles.

— AAAAAAAHHHURGRHGURGUR! — Gritaram os amigos engolindo água e areia.

— Meu Deus Natalia! Amiga onde você está! — Gritou Raul levantando na beira da praia.

— Estou aqui! — Declarou Natalia levantando-se na beira do mar.

Mais tarde no jantar lá estava o bonitão no restaurante, ele os observava como se estivesse paquerando os dois ao mesmo tempo.

— Ele está olhando para mim, está olhando para miiiiimm! — Disse Raul.

— Está maluco! É para mim que ele está olhando! — Revidou Natalia.

— Você é que está maluca! Está na cara que ele é gay, olha para ele! — Afirmou Raul.

— O que? Raul para você todo homem bonito é gay, então pode parar! — Disse Natalia.

No meio da discussão os dois são interrompidos pelo garçom do restaurante:

 — Aquele senhor perto da janela enviou para vocês essa garrafa de espumante! — Revelou o garçom.

— Ai meu Deus! — Disseram os dois rindo.

Natalia e Raul abanam para o bonitão que abana de volta, eles estavam muito animados que haviam sido notados pelo galã. Após o jantar eles voltam para o quarto, Raul informa Natalia que descerá até a recepção para pedir mais travesseiros enquanto a amiga se arruma para dormir. Quarenta minutos depois Natalia se preocupa com a demora de Raul e desce atrás do amigo, ao chegar na recepção é surpreendida ao ser informada de que Raul não desceu até lá.

— Como assim? Mas gente onde ele está! — Pensou Natalia.

Ao retornar ao quarto Natalia encontra Raul na cama.

— Raul, onde você estava? — Questionou a amiga.

— Na recepção! — Respondeu Raul.

— Eu vim de lá agora Raul! — Revelou Natalia.

— Bem, eu fui até a recepção, mas aí fui informado que deveria pegar os travesseiros com a camareira (olhava Raul para o carrinho de serviço do hotel), acompanhei ela (olhava agora para a cortina), peguei os travesseiros e aqui estou! — Disse Raul.

— Um, está bem, e o bonitão se encaixa onde nessa sua história? — Questionou Natalia.

Raul então começa a se comportar estranho, como se estivesse tentando dizer algo a Natalia.

— Anda Raul, responde! — Insistiu Natalia ao reparar os olhos do amigo.

— O que foi? — Disse Natalia.

— O vento! Está frio, não acha! — Disse Raul nervoso.

Natalia olha em direção a porta da varanda e percebe algo escondido atrás das cortinas.

— Ah, claro, eu vou buscar cobertores. —  Diz Natalia andando até a porta do quarto.

Ao bater a porta o bonitão sai de trás das cortinas e tem uma surpresa, Raul quebra um vaso de flor em sua cabeça e ele desmaia.

— Meu Deus Raul, o que você fez? — Questionou Natalia.

— Anda vamos, precisamos correr! — Disse Raul puxando a amiga pelo braço.

— Mas o que aconteceu? — Questionou Natalia.

— Ele é um bandido! Queria nos assaltar, ele ameaçou me matar amiga, disse que tinha uma arma! — Revelou Raul.

— Raul, pare! Pense comigo, se ele tivesse uma arma, não se esconderia atrás das cortinas, não acha? — Disse Natalia.

— Bem, realmente! — Concordou Raul.

— Ele é um “golpistazinho” amador Raul, anda me ajude. — Disse Natalia.

Raul e Natalia colocam o bonitão no carrinho do hotel completamente nu e o carregam até a praia, na praia eles amarram o rapaz em um poste de luz pelado e com um recado de batom no abdômen que dizia o seguinte.

“Nunca mais vou dar golpe em ninguém, muito menos em brasileiros!”

No dia seguinte a polícia prende o golpista por diversos crimes cometidos no resort, mas antes que pudessem leva-lo várias vítimas do rapaz atearam tomates e outros legumes nele. Natalia e Raul observam o rapaz ser levado e concluem que essa será uma boa história para contar a Aline na próxima reunião.

Publicado por fabioanhaia

Autor de Primeira Viagem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: