Pais de primeira viagem

Autor: Fábio Anhaia

Era noite quando Taisa a última convidada do primeiro “mêsversário” do pequeno Lucas saiu da casa de Aline e Erick. Não havia sido uma festa grandiosa, Aline preparou um bolinho e alguns docinhos para a comemoração, apenas as pessoas mais “chegadas” foram convidadas, mas como se sabe, os “ mais chegados” de Aline e Erick davam para encher um enorme salão.

Os papais do pequeno Lucas o colocam para dormir, Aline e Erick estavam exaustos, o dia foi longo e havia tanto para organizar.

— Vamos dormir, amanhã organizamos essa bagunça! — Declarou Erick.

— Você tem razão, não aguento ficar um minuto se quer a mais em pé! — Concordou Aline.

Os dois passam pelo quarto do bebê e o observam dormir tranquilamente.

— Ele é a coisa mais linda desse mundo, tão pequeno, tão frágil… — Pontuou Aline.

— É, e foi nós que fizemos! — Concordou Erick beijando a esposa.

Erick e Aline tomam um banho e se preparam para dormir, finalmente eles poderiam descansar após aquele dia agitado. Ao fechar os olhos Aline percebeu aquele silêncio prazeroso, aquele tão esperado silêncio após um dia barulhento. Por um segundo Aline e Erick puderam relaxar, mas no segundo seguinte um som enorme atrapalhou aquele momento, como se fosse uma bomba que explodiu dentro do apartamento, mas era menos que isso, muito menos, o pequeno Lucas despertou e desandou a chorar.

O menino chorava como se não houvesse amanhã, Aline e Erick se olham e o marido já entende o recado.

— Tudo bem, é a minha vez! — Concordou Erick levantando-se.

No quarto do bebê, assim que Erick abre a porta o pequeno Lucas para de chorar e observa o pai com os olhos arregalados, ao ligar a luz Erick percebe um “sorriso” no rosto do filho.

— Sacanagem em? Será que você faz de propósito? — Questionou Erick.

Erick pega o pequeno em seus braços, confere a fralda, tenta amamentar, mas esse não era o problema.

— Então se está tudo certo, é hora de dormir! — Disse Erick sentando-se na cadeira de balanço e começando a cantarolar.

Trinta minutos depois, Lucas já estava dormindo como uma pedra, Erick o põem no berço e volta para o quarto.

— Está acordada? — Questionou Erick ao perceber que Aline ainda não havia pegado no sono.

— Sim, não consegui dormir sem você… — Respondeu Aline.

Os dois preparam-se para dormir, Aline deita sobre o peito de Erick e quando fecham seus olhos, Lucas desperta e volta a chorar.

Aline levanta e vai até o quarto do pequeno, ela pega-o em seus braços e começa a cantarolar de um lado para o outro, quinze minutos se passam e o bebê já está dormindo feito um anjo.

A jovem mãe retorna ao quarto e encontra Erick a esperando.

— Agora sim, podemos finalmente dormir! — Declarou Aline.

Mas antes mesmo que Aline pudesse deitar na cama, Lucas desperta e retorna a chorar. Erick entra no quarto e ascende a luz, no berço estava o bebê com os olhos bem arregalados.

— Então? Qual é? Vai dormir hoje não? — Questionou Erick.

O bebê sorri para o pai e ele se derrete todo, nesse momento Aline entra no quarto.

— E ai? Qual é o problema agora? — Questionou a jovem.

— O problema é que ele não quer dormir, a fralda está ok, não quis mamar, ele só não quer dormir! — Respondeu Erick.

— Bem, mas nós queremos! Então seu safadinho, “dooooormeeee”! — Disse Aline abraçando o marido que já estava com o filho no colo.

O bebê sorri para Aline, os três vão para o quarto do casal e começam a assistir algum filme que passava em um canal qualquer, Aline adormece e Erick está quase pegando no sono quando Lucas chora.

— O que é, o que houve? O seu problema é comigo não é rapaz? — Diz Erick e o bebê sorri.

— Muito bem, amanhã o papai precisa trabalhar, será que você poderia me deixar dormir? — Questiona Erick

O bebê o observa como se estivesse entendendo tudo o que ele dizia. Dez minutos após, Lucas adormece, Erick observa o pequeno por mais dez minutos e finalmente consegue dormir, aquele era o momento mais esperado do dia de Erick, poder dormir, descansar após um dia exaustivo e finalmente o momento havia chegado, seria perfeito se não fosse o despertador tocar.

Eram seis da manhã e Erick precisava levantar para trabalhar, o papai de primeira viagem levanta, bebe um café bem forte e vai até o quarto. No quarto Erick encontra Aline e Lucas dormindo como dois anjos, ele beija o rosto da esposa e do filho e os observa por mais uns minutos, Erick não havia dormido nada, mas mesmo assim não trocaria aquela vida por nenhuma outra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: