Descobrindo o Amor – Capítulo 3: As Testemunhas

Capítulo 3: As Testemunhas.

Erick volta para a loja de suplementos, enquanto isso Aline chama Taisa e Erick (advogado) para contar a novidade, ela finalmente iria casar, “ mas casar com aquele brutamontes cheio de músculos ”, pensou Aline, bem foi o melhor que ela arrumou, e enfim o negócio estava fechado, agora eles precisam organizar o casamento.
Erick (advogado) e Taisa comemoram a notícia:
— Precisamos comemorar está tudo dando certo! Agora é só preparar a cerimônia no civil, assinar a papelada e fechar o negócio! — Disse Aline.
— É isso! Conseguimos! — Respondeu Taisa.
— Bom, vou fazer umas ligações e tratar tudo com o cartório, precisamos nos apressar, semana que vem os investidores estarão aqui. Aline, você já conversou com o Erick sobre as testemunhas? —Questionou Erick (advogado).
— Testemunhas?! — Perguntou Aline.
— Sim, as testemunhas? Você não acha que os investidores vão acreditar no seu casamento que aconteceu uma semana antes da assinatura do contrato sem testemunhas né? — Disse Taisa.
— Vocês não me disseram nada sobre testemunhas, vocês serão as testemunhas! — Respondeu Aline.
— Aline, nós não podemos ser as testemunhas pelo mesmo motivo que eu não posso casar com você, não convence, entende? — Falou Erick (advogado).
— Mas gente? Quem vão ser as testemunhas? — Respondeu Aline.
Os três se olham, Aline então deixa a sala e vai em direção a cozinha da fábrica, ela entra pega um avental e coloca alguns ingredientes na mesa, eu ainda não falei sobre isso, mas Aline pensa muito melhor quando está confeitando, batendo bolo, fazendo doces, decorando… tudo isso faz com que ela absorva melhor as ideias. Dito e feito, Aline põe a massa no forno avisa o chefe confeiteiro para terminar e corre em direção a loja de suplementos.
Na loja de suplementos, Erick grava alguns vídeos para as redes da loja, isso ajuda e muito a alavancar as vendas, Erick é um cara carismático e conquistou grande parte dos seus clientes através das redes sociais. Erick leva um susto quando ouve uma pequena discussão na recepção da loja.
— Não tente me impedir! Quem você pensa que é garota! Da licença vai, saia da minha frente! — Ordenou Aline.
— Você não vai passar aqui não meu bem! Você já encheu o saco do Erick hoje cedo, agora voltou para que? — Disse Andressa barrando a entrada de Aline.
Erick desce as escadas e questiona:
— Ei…Ei…Eii, o que tá rolando aqui?
— Pois a intrometida dessa funcionária quer barrar a minha entrada! —Respondeu Aline.
— Mas é claro Aline, tá achando que isso aqui é o que? A casa da mãe Joana? — Perguntou Erick.
Andressa olha parra Aline com olhar de superioridade, Aline revida com um olhar de fúria, um olhar tão furioso que se ela lançasse laser provavelmente Andressa estaria em cinzas.
— Pois bem, eu pensei que como sua noiva eu tivesse pelo menos o direito de entrar no seu escritório sem aviso prévio meu amor. — Disse Aline envolvendo seus braços no pescoço de Erick.
Erick olha para Aline com espanto, mas ao mesmo tempo ele gosta da “brincadeira” e revida.
— Bom, então eu espero que eu tenha esse mesmo direito em suas confeitarias e é claro, na fábrica. — Respondeu Erick.
Andressa observa toda a cena com muito espanto:
— Noivos?! Como assim vocês são noivos? Quando isso aconteceu? Erick?! — Perguntou Andressa.
— Sim, noivos queridinha, e agora você já sabe que eu posso passar sem pedir a sua permissão. — Respondeu Aline, agora ela com um olhar de superioridade.
— É sim estamos noivos Andressa, agora eu posso saber o que a minha noiva está fazendo aqui no meu local de trabalho? Por um acaso sentiu saudades de mim? — Questionou Erick com tom de deboche.
— Amor, vamos guardar as intimidades para mais tarde, podemos passar para o seu escritório? — Respondeu Aline puxando Erick em direção ao escritório.
No escritório de Erick, Aline e ele conversam sobre as testemunhas, sim as testemunhas, quem poderiam ser as testemunhas desse negócio, e mais, a jovem teria de desembolsar mais dinheiro para fechar esse contrato? Bem isso poderia acontecer, mas Aline é esperta e daria um jeito nisso sem precisar gastar mais. A moça teve uma ideia mais cedo preparando o bolo que já estava saindo do forno lá na fábrica, uma receita nova, era isso que Aline havia preparado na cozinha da fábrica, um bolo tão gostoso quanto todos os outros que ela já havia criado. Voltando ao escritório de Erick, Aline revela seu plano:
— Mas eles são confiáveis? — Questionou Erick.
— O que? Raul e Natália são as pessoas mais confiáveis que eu conheço são meus melhores amigos desde a infância, mas apenas eles não bastam, preciso que você arrume duas testemunhas da sua parte. —Declarou Aline.
— Bem…. Eu posso dar um jeito, tem a Andressa… — Mas antes que Erick pudesse terminar a frase ele já era interrompido por Aline.
— Aquela cobra? Nunca, jamais deixaria isso acontecer! — Disse Aline revirando os olhos.
— Ok, eu tenho duas pessoas que eu confio tanto quanto você confia nesses dois aí. — Declarou Erick.
— Deixa comigo, pode ficar tranquila. — Continuou.
Aline olha para Erick com desconfiança, mas aceita a escolha dele, se ela podia escolher suas testemunhas de confiança porque Erick não poderia escolher as dele. Aline então se despede:
— Tudo bem! Eu preciso ir, deixei uma massa no formo e preciso voltar para terminar. — Disse Aline.
— Ok, mas antes…. Não rola um beijinho no pai? — Perguntou Erick indo em direção a Aline.
— O que? Que isso garoto, pirou é, tá pensando o que? — Disse Aline tentando fugir de Erick.
— Hahahaha, só queria ver sua reação. — Respondeu Erick rindo.
— Mas eu não gostei dessa brincadeira não, olha bem, eu beijar um brutamontes como você! — Declarou Aline.
— Iiiiihhh alá, tá se achando a última bolachinha do pacote né? Sua fera! — Respondeu Erick.
— FERA é a sua mãe! — Respondeu Aline furiosa deixando a loja de Erick e seguindo em direção a fábrica de Bolos.
Erick observa Aline ir embora e pensa consigo mesmo, “ onde já se viu eu casado com essa fera ”, bem ele precisava do dinheiro e não podia perder tudo o que tinha conquistado. Mas e as testemunhas de Erick, Aline já tinha declarado que convocaria seus dois melhores amigos, amigos esses de infância. Raul era um amigo de Aline lá do Rio Grande Sul, assim como Natália, Aline confiaria a sua vida aos dois, mas e Erick a quem ele poderia confiar essa responsabilidade tão grande, bem a resposta era simples. Pedro e Afonso! Sim! Pedro começou na loja de suplementos com Erick, nos primeiros meses ele se quer recebeu salário de verdade, recebeu uns trocados que Erick lhe deu, Pedro era uma pessoa a quem Erick podia confiar. Afonso? A resposta também é simples, Afonso era seu irmão e fora isso não há explicações, afinal quem não confiaria em seu irmão.
— Preciso falar com eles ainda hoje. — Pensou Erick.
Pedro então é chamado a sala de Erick que explica tudo, Pedro fica chocado com a proposta que o amigo recebeu de Aline, bem era uma proposta irrecusável e a situação da loja não era das melhores, Pedro apoia Erick e é claro aceita ajudar o amigo.
— Eu prometo para você que eu vou te dar uma parte do dinheiro, não se preocupa. — Disse Erick.
— O que? Erick, eu não quero dinheiro nenhum, você sempre me ajudou e apoiou, eu e minha avó, o salário de enfermeira dela já não era mais suficiente, você me tirou da rua e eu te considero um irmão, cara não tem dinheiro no mundo que pague a sua amizade, eu vou te ajudar e vai ser de coração! — Respondeu Pedro.
Erick se emociona e abraça o amigo, o relacionamento deles era realmente muito forte, os dois sempre apoiaram um ao outro e cuidaram, como se fossem realmente irmãos, as vezes Erick achava que era mais irmão de Pedro que de Afonso, seu irmão de sangue.
No final do dia Erick parte para casa, em casa ele faz uma ligação a seu irmão Afonso, ele demora a atender. Afonso atende sem muita vontade pois não gosta de falar com Erick já que sabe que o irmão irá lhe dar algum sermão como de praxe, é sempre assim, cada vez que Erick liga é um sermão diferente e Afonso já não tem paciência para isso.
— Erick? O que há, algum problema? — Questionou Afonso.
— Não, na verdade eu queria saber como você está? — Respondeu Erick.
— Estou bem, você realmente quer conversar agora, estou ocupado… — Tentou desconversar Afonso.
— Bom, vamos direto ao ponto, preciso de sua ajuda Afonso. — Disse Erick.
— Ajuda? — Questionou Afonso.
Ajuda, que tipo de ajuda Afonso poderia dar a Erick, afinal o irmão sempre foi tão independente, uma figura exemplar a se seguir, carismático, esforçado e batalhador, Erick nunca precisou de ajuda para nada, ele sim precisava, Afonso era o irmão que sempre metia-se em problemas, era o irmão que sempre precisava de uma “mãozinha”, mas a curiosidade era grande, o que ele Afonso um mero mortal poderia fazer pelo grandioso e bem-sucedido irmão Erick. A resposta veio:
— Eu preciso que você seja minha testemunha de casamento! — Declarou Erick.
— Testemunha de casamento? — Questionou Afonso surpreso, ele se quer sabia que o irmão estava noivo, quem dirá que já iria se casar.
— A quanto tempo não nos falamos? Você não havia me contado que estava noivo? Que história é essa Erick? — Continuou Afonso.
— Tudo aconteceu muito rápido Afonso, há um tempo que estamos juntos, só queria que você participasse desse momento, você aceita? — Respondeu Erick sem entregar muitos detalhes.
Afonso estranhou, mas como não tinha uma relação tão fraternal com o irmão simplesmente aceitou.
— Tudo bem, tá, eu aceito, só me avisa o dia e hora, eu vou estar lá. — Disse Afonso.
— Ótimo, obrigada Afonso, e se cuida, não se meta em confusão, eu te amo! — Respondeu Erick, feliz e aliviado.
— Tá, relaxa, eu vou ficar bem. — Respondeu Afonso desligando o telefone.
Erick pensa na conversa que teve com o irmão, ele não revelou os detalhes, não revelou por que teve um pressentimento, algo dizia a ele que não deveria contar sobre o dinheiro, o contrato e nada, Erick confiava nesses pressentimentos, sempre que eles o alertavam algo de ruim estava para acontecer, com o tempo Erick começou a ouvi-los e desde aí a ascensão nos negócios surgiu, mas Erick ficou tenso, por que isso agora, nessa conversa, justo com a pessoa a quem Erick sabia que podia confiar. Ele pensou e repensou e não conseguiu uma resposta, mas no fim dormiu de consciência tranquila afinal ele conseguiu o que queria, Erick e Aline finalmente tinham suas Testemunhas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: