Descobrindo o Amor – Capítulo 5: A Divida de Afonso.

Capítulo 5: A Divida de Afonso.

— Finalmente vocês estão aqui, não sabem o quanto senti saudades meus amigos! — Disse Aline abraçando Natalia e Raul.
— E como não poderíamos vir, você convocou uma reunião de emergência, embarcamos no primeiro voo. — Respondeu Raul.
— E porque a demora para desembarcar? Já estava ficando aflita com tanta demora! — Questionou Aline.
— Ah, imagine que Raul estava flertando com o piloto do avião, eu tentei o apressar, mas sabe como é. — Disse Natalia fazendo com que os três gargalhassem.
— Ah, por favor gente, a vida só se vive uma vez! — Declarou Raul.
— Bom, vamos ao meu apartamento, temos muito o que conversar, tenho uma novidade para vocês. — Disse Aline.
Enquanto isso na loja de suplementos, Erick recebe uma ligação de Afonso:
— Erick, eu… bem… eu preciso de ajuda, será que você pode vir até mim? — Questionou Afonso aflito.
— Ajuda? Afonso, o que aconteceu? Onde você está? — Perguntou Erick.
— Vou te passar o endereço por mensagem, mas por favor não demora! — Disse Afonso desligando o telefone em seguida.
Erick recebe uma mensagem de Afonso com o endereço, Pedro observa tudo com estranheza e questiona:
— Aconteceu alguma coisa?
Erick apreensivo com o que o irmão poderia ter se metido olha para Pedro e responde:
— Não sei, mas isso não está me cheirando bem.
Erick sai da loja e entra em seu carro, ele estava aflito e angustiado, no que será que Afonso meteu-se dessa vez, ele era problemático e Erick sempre sentia-se apreensivo de que algo ruim pudesse acontecer, ele não poderia permitir, afinal ele prometeu a mãe que cuidaria do irmão. Erick parte para o endereço enviado por Afonso, pensamentos vem e vão em sua cabeça e sempre levam ele a mesma resposta, Afonso só pode ter apostado novamente, mas por que? Afonso precisava de tratamento, ele era viciado e isso já estava esgotando Erick, perdido em seus pensamentos ele retorna a realidade quando chega ao endereço indicado por Afonso, ele desce do carro e é surpreendido por diversos capangas armados que o cercam:
— Eu sou Erick, o meu irmão Afonso me chamou! — Disse Erick.
Os Capangas riem e levam Erick até o dono do cassino clandestino:
— Ora, ora, você deve ser o irmão!? — Perguntou o dono do cassino.
— Onde está o meu irmão? — Questionou Erick.
— Aquele merda? Vou leva-lo até ele, me acompanhe. — Disse o dono do cassino levando Erick até Afonso.
Chegando a sala onde Afonso está Erick é surpreendido ao ver o irmão sentado em uma cadeira com dois grandalhões apontando uma arma para sua cabeça:
— Afonso!? O que está acontecendo aqui? — Questionou Erick.
Afonso tenta responder, mas é interrompido pelo dono do cassino clandestino:
— Seu irmãozinho tem uma dívida comigo, ele disse que você pagaria.
Erick completamente chocado com a cena que estava presenciando não encontra palavras para responder.
— Bom, se você não vai pagar, só tem uma forma de cobrar! — Disse o mafioso fazendo um sinal para os capangas que engatilham as armas.
Afonso fica desesperado e clama pela ajuda de Erick, ele sempre meteu-se em enrascadas, mas nunca havia sido pego, ele sempre dava um jeitinho de fugir e solicitar a ajuda do irmão, será que dessa vez Erick o abandonaria? A loja de suplementos não ia bem, a crise atingiu a muitos setores da economia, mas Erick prometeu a mãe, e em meio a todo aquele desespero Erick finalmente consegue falar.
— EU PAGO! EU PAGO A DÍVIDA! Mas por favor libertem ele pelo amor de Deus! — Disse Erick.
— Sendo assim, aqui está o valor! — Respondeu o mafioso entregando um relatório de dívidas a Erick.
Quando Erick olha o relatório, tem um novo susto, a dívida de Afonso era gigantesca, o valor superava a marca de um milhão de reais, Erick então olha para Afonso e esboça uma reação já conhecida do rapaz, ele estava visivelmente desapontado, Afonso não tinha
conserto e isso deixava Erick sem chão, sem esperanças e com o coração aos pedaços.
Os capangas soltam Afonso e o deixam ir embora com Erick, mas antes que eles pudessem sair o dono do cassino dá um último aviso a Erick:
— Você tem três dias para pagar a dívida de seu irmão, se em três dias eu não receber é melhor já ir encomendando o caixão.
Erick olha para Afonso desolado, aquela tinha sido a gota d’agua, Afonso jamais havia desapontado o irmão tão profundamente, Erick segue em direção ao carro e Afonso o acompanha, no carro Erick não diz uma palavra e Afonso não consegue encontrar uma forma de começar a se explicar. Afonso sabia que havia cometido um erro terrível e se envergonhava com isso, mas ao mesmo tempo ele era aproveitador e sempre foi, sabia que o irmão faria qualquer coisa por ele, e sempre o perdoava no fim.
— Erick, eu… — Começou Afonso até ser interrompido por Erick.
— Não diga nada, apenas me escute. — Falou Erick.
— Eu não tenho esse dinheiro, e não sei como você vai pagar essa dívida, eu consegui te livrar hoje, mas não sei o que você vai fazer daqui para frente, não me procure mais Afonso, eu não tenho como ajuda-lo, eu cansei de livrar sua cara e isso não cabe mais a mim, eu fiz tudo o que era possível, agora é hora de você andar com as suas próprias pernas. — Completou Erick.
— Mas Erick? Eles vão me matar!! O que eu vou fazer? — Questionou Afonso apavorado com o que o irmão acabará de falar.
— Eu não sei Afonso, eu já fiz tudo o que podia por você. — Respondeu Erick.
— E a promessa que você fez a nossa mãe? — Perguntou Afonso tentando mexer no psicológico do irmão.
— Não envolva nossa mãe, eu não tenho como te ajudar mais, eu estou no limite Afonso, minhas lojas não faturam esse valor, eu não tenho de onde tirar esse dinheiro. — Disse Erick estacionando o carro.
— Eu sinto muito! — Completou Erick.
Afonso então olha para o irmão com raiva nos olhos e desembarca do carro, como Erick poderia fazer isso com ele, não importa o que ele fez, era seu irmão e Erick tinha o dever de o ajudar, Erick tinha o dever de pagar a dívida, ele prometeu a mãe, bom pelo menos era o que Afonso pensava.
No caminho para a loja Erick pensa em tudo que disse para o irmão, ele sabia que não podia descumprir a promessa que fez a sua mãe, mas era justo ter de cuidar de Afonso como se ele fosse uma criança? Será que toda essa responsabilidade cabia a ele? Era o que Erick pensava, mas e agora? Onde arrumar o dinheiro? O casamento com Aline era só na semana que vem e mesmo assim o dinheiro do acordo não seria pago em três dias, isso leva tempo, os investidores ainda nem haviam chegado, Erick precisava de um plano.
No apartamento, Aline, Raul e Natalia conversam sobre a novidade do casamento, Raul e Natalia ficam chocados com toda a história que a amiga havia contado, casar por um investimento parecia loucura, mas ao mesmo tempo um excelente negócio e é claro que eles toparam ajudar, afinal com esse trio é um por todos e todos por um.
No meio da conversa os três ouvem a campainha, Aline vai até a porta e uma visita a surpreende.
— Erick? O que faz aqui? — Questionou Aline.
— Preciso da sua ajuda, é urgente! — Respondeu Erick.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: