O Preço de um Segredo: Capítulo 4 – O Jantar.

Capítulo 4 – O Jantar.

Chegando em casa Elisa põe Pedro no banho e vai para cozinha preparar o jantar, da cozinha ela ouve o pequeno cantarolar, aliais cantarolar é o que Pedro mais faz, ele passa horas cantarolando. A enfermeira pega uma tábua de cozinha e começa a cortar os temperos, mesmo concentrada não tira Nicolau da cabeça, em meio a seus pensamentos algo a traz de volta a realidade, a campainha toca. Elisa vai até a porta e uma surpresa, é Nicolau, chegou a hora de esclarecer tudo.

— Você! — Disse Elisa.

— Precisamos conversar Elisa! — Respondeu Nicolau.

— É! Precisamos! — Concordou Elisa.

— Tudo bem, Pedro está no banho, entre, vamos até a cozinha. — Diz Elisa ao motorista.

Na cozinha os dois tem uma conversa reveladora, Nicolau conta tudo a Elisa, conta sobre Lilian, sobre Álvaro e revela que foi ele quem deixou o menino na porta dela.

— Isso é loucura Nicolau! — Disse Elisa.

— Porque você nunca me contou, para que esperar tanto tempo, você nos vigiava quando podia apenas me dizer a verdade! — Declarou Elisa.

— Eu não podia Elisa, tinha medo que você me devolvesse o menino, tinha medo de que desistisse de cuidá-lo. Acompanhei a sua busca pela família dele Elisa, não podia arriscar o futuro da criança! — Defendeu-se Nicolau.

— Agora… a mãe dele quer vê-lo, a coitada está no fim da vida, uma mulher tão nova, mal chegou aos trinta anos, uma doença grave a pegou e ela não pode ir para o hospital, Elisa se Álvaro descobre que ela está viva, que não cumpri meu serviço, tudo pode estar perdido. — Disse Nicolau.

— Vê-lo? — Questionou Elisa.

— Ela não pode sumir da vida do menino e simplesmente aparecer assim, Nicolau ele só tem seis anos! Como vou explicar tudo a ele? — Completou Elisa.

— Mas Elisa, ela é a mãe! E está morrendo! — Insistiu Nicolau.

— Não! Ela não é a mãe dele! A mãe dele morreu e eu sou a avó! Ele é meu neto Nicolau! — Decretou Elisa.

— Elisa? — Revidou o motorista.

Elisa pensa no que disse ao motorista e lembra-se de que não é avó de Pedro, o menino foi deixado a ela, Elisa não tem direito algum sobre o pequeno.

— Pense no que eu disse, pense na situação dela, nós podemos achar uma solução para que eles se vejam e ele não saiba da verdade. — Disse Nicolau.

— Tudo bem, vou pensar, mas até me decidir, não quero que ele saiba de nada! — Declarou a enfermeira.

— Tudo bem! Obrigada Elisa, por tudo que fez pelo menino até agora! — Agradeceu Nicolau.

Após a conversa Nicolau parte e Elisa tira Pedro do banho, os dois jantam e a enfermeira leva o menino para o quarto.

— Boa noite vovó! — Disse Pedro.

— Boa noite meu amor! — Respondeu Elisa beijando a testa do menino.

No outro lado da cidade Marieta põem os filhos para dormir e vai para o quarto. No quarto Marieta toma um banho e senta-se na cama, já é tarde da noite e Álvaro ainda não chegou, Marieta sabe muito bem por que ele ainda não está em casa, Álvaro só pode estar traindo a esposa.

No dia seguinte Elisa chama Nicolau até sua casa, ela finalmente tomou uma decisão sobre o encontro de Lilian com Pedro.

— Eu concordo com o encontro dos dois Nicolau, mas tenho uma condição! — Revelou Elisa.

— Tudo bem, e qual é essa condição? — Questionou Nicolau.

— Ela não revelará em momento algum que é a mãe de Pedro! Ela pode abraçá-lo, beijá-lo, enfim pode se despedir dele, mas ela não vai revelar nada a ele! — Concluiu Elisa.

— Tudo bem, vou levar essa condição a Lilian, mas estou quase certo de que ela irá aceitar, mais uma vez obrigada pela sua compreensão Elisa. — Agradeceu Nicolau deixando a casa de Elisa.

Na casa de Álvaro ele e a esposa discutem sobre onde ele havia passado a noite.

— Onde você esteve Álvaro? — Questionou Marieta.

— Já disse, estive no escritório a noite toda Marieta! — Respondeu Álvaro.

— Com quem? — Insistiu Marieta.

— Com ninguém sua maluca! — Gritou Álvaro indo em direção ao quarto.

— Maluca? Você acha que sou maluca? Álvaro sei muito bem que você está de caso com aquela “secretariazinha” de quinta! — Gritou Marieta.

— Não sei do que você está falando, me deixe me paz! Você é maluca! — Respondeu Álvaro.

No quarto Marieta vai até a varanda e ameaça se atirar.

— O que você está fazendo? — Perguntou Álvaro.

— Diga a verdade ou me atiro! — Declarou Marieta.

— Marieta, desça dai antes que você caia, pare com essa loucura, não estou te traindo! — Pediu Álvaro aproximando-se da esposa.

— Álvaro… você… — Disse Marieta em meio as lágrimas.

— Marieta, desça dai, as crianças estão chegando, pelo amor de Deus… — Disse Álvaro.

— Você jura que não está me traindo? — Questiona Marieta.

— Eu juro meu amor, juro para você! — Respondeu Álvaro.

Do portão da mansão o pequeno Felipe observou a mãe descer da varanda, mesmo tão pequeno ele já foi obrigado a ver diversas discussões dos pais.

Na sala de casa Nicolau entra com as crianças que correm de encontro da mãe.

— Por que você estava na varanda mamãe? — Questionou o pequeno Felipe.

— O que? Ah, não era nada meu bem, não se preocupe, suba para o banho. — Respondeu Marieta.

— A senhora precisará de mim para mais alguma coisa dona Marieta? — Perguntou Nicolau.

— Não, pode ir Nicolau, já está dispensado. — Respondeu Marieta.

O motorista vai até a casa do interior onde Lilian ficou confinada esses anos todos, na casa ele revela a Lilian as condições de Elisa para o encontro com Pedro.

— Se essa é a única forma de vê-lo Nicolau, aceito! Mas por favor tragam-no logo, não sei quanto tempo mais vou resistir! — Disse Lilian.

Lilian está muito doente, não sabe ao certo o que tem, sente fortes dores constantes no abdômen, mas sabe que sua vida não se estenderá muito.

— Marcarei um jantar, vamos organizar tudo aqui, Elisa trará o menino e você poderá passar algumas horas com ele, essa é a única forma Lilian, não podemos arriscar ir para cidade, se Álvaro descobre que está viva estará tudo acabado. — Disse Nicolau.

— É, você tem razão! — Concordou Lilian.

No dia seguinte Nicolau vai até Elisa, revela que Lilian concordou com a condição e marca um jantar na sexta a noite, o motorista ficou responsável por buscar Elisa e o menino para levá-los até Lilian, o jantar estava marcado.

A sexta-feira chega e Elisa explica ao pequeno Pedro que os dois vão a um jantar na casa de uma amiga da enfermeira, Pedro adora visitar as pessoas e por isso fica contente com a notícia.

Não demora muito e Nicolau chega para levá-los, os três se dirigem a casa de Lilian, no carro Elisa e Nicolau tem uma conversa.

— Meu Deus, em que buraco essa mulher teve de se enfiar? — Questionou Elisa.

— Longe, bem longe dos olhos do senhor Álvaro! — Respondeu o motorista.

— Tudo isso para morrer sozinha, qual o preço que se paga por um amor não correspondido? Isso é horrível! — Declarou Elisa.

Mais uns quilômetros e eles chegam a casa de Lilian, a mulher estava no interior da casa apreensiva, em todos esses anos ela sempre acompanhou o desenvolvimento de Pedro através de fotos que Nicolau trazia a ela, mas vê-lo pessoalmente seria um momento único.

— Chegaram! — Pensou Lilian ao ouvir o som do motor do carro.

Elisa e Pedro descem do carro, o menino agarra a mão da avó e olha para ela.

— Está tudo bem meu amor! — Disse Elisa.

Eles entram na casa e lá estava Lilian emocionada, Elisa a cumprimenta e apresenta Pedro a ela, Lilian não aguenta a emoção e cai em lagrimas.

— Como você está grande! E tão lindo! — Diz Lilian se aproximando de Pedro.

Pedro corre para as pernas da avó.

— Está tudo bem Pedro, pode abraçá-la ela é sua… — Dizia Elisa.

— Ela é amiga da vovó! — Concluiu a enfermeira.

Pedro então toma coragem e abraça Lilian que cai em desespero, ela chora e beija o filho, Elisa observa a cena e entende toda a dor que ela sentia, uma dor que só uma mãe é capaz de suportar. Elisa se emociona com o reencontro deles.

— Por que você está chorando? — Questiona o pequeno Pedro.

— Porque fazia tanto tempo que não te via! — Respondeu Lilian.

— Eu e sua avó nos conhecemos a muito tempo atrás e nunca mais fui visitá-los. — Explicou Lilian.

Todos se sentam no sofá, a noite passa e eles conversam muito, Lilian não desgrudou de Pedro um minuto e Nicolau ficou feliz em vê-los juntos. Todos jantam e após o jantar Pedro adormece nos braços de Lilian, havia chegado a hora de se despedir.

— É hora de irmos, amanhã é sábado e Pedro tem aula de futebol. — Disse Elisa.

— Claro! Elisa, queria te agradecer por ter cuidado do meu filho. — Disse Lilian.

— Me apeguei a ele muito rápido, esse menino tem um brilho especial Lilian. — Respondeu Elisa.

— Eu faria tudo de novo se fosse preciso! — Concluiu a enfermeira.

Lilian olha para o rosto de Pedro pela última vez e conclui em meio as lagrimas.

— Elisa, quero que me prometa que nunca irá contar a verdade a ele, nunca! Nem que ele te insista no futuro se descobrir que não é seu neto! Não diga a ele quem eu fui ou quem é o pai dele, não conte nada! Ele é seu agora!

— Eu juro Lilian! — Respondeu Elisa pegando Pedro em seu colo.

Em casa Elisa põem Pedro na cama e pensa no juramento que fez a Lilian, seria melhor que Pedro nunca soubesse de nada? A enfermeira não tem certeza, mas também não quer que o pequeno sofra, Elisa decidiu que guardará esse segredo até o fim de sua vida.

Alguns dias depois Lilian passa mal e é levada por Nicolau ao hospital.

— Que susto você me deu! — Disse Nicolau.

— É, mas acho que minha hora está chegando Nicolau, me sinto fraca…— Disse Lilian com a voz baixa.

— Fique calma, vai ficar tudo bem! — Respondeu Nicolau.

Naquela tarde, Nicolau volta ao hospital, mas dessa vez com sua patroa Marieta, a mesma não estava se sentindo muito bem e foi se consultar. No corredor do hospital indo em direção ao consultório de seu médico Marieta passa em frente ao quarto de Lilian.

— O que! Você! —  Declarou Marieta entrando no quarto.

— Marieta… como… o que… — Dizia Lilian muito fraca.

— O que faz aqui, como você… eu achei que já estivesse morta! — Disse Marieta surpresa.

— Marieta, eu fugi de Álvaro, ele tentou me matar! — Revelou Lilian.

— O que? Está maluca? Só pode estar delirando, Álvaro nunca seria capaz de uma monstruosidade dessa, você não aceita que perdeu, não é? Ele deve ter te abandonado e agora está inventando essa história, porque em? a troco de que? — Revidou Marieta.

— Não, você não sabe, Álvaro é um monstro Marieta! — Insistiu Lilian.

— Cala essa boca! Está mentindo! Deixe-nos em paz, desapareça, morra como havíamos pensado! — Ameaçou Marieta.

— Não se preocupe, vou morrer logo! Mas antes preciso que saiba de uma coisa! — Disse Lilian.

— Não vou ficar aqui ouvindo asneiras e mentiras de uma mulherzinha como você! — Disse Marieta indo em direção da porta.

— Eu e Álvaro tivemos um filho! — Declarou Lilian.

Marieta para em frente a porta do quarto de Lilian e vira-se para a moça novamente.

— O que você disse? — Questionou Marieta perplexa com a notícia.

— Dei a luz a um filho de Álvaro! — Declarou a moça.

— Você… mas, mas como… Álvaro e você? Isso é loucura… vocês? — Disse Marieta ainda em choque.

— Sim, quando ele descobriu tentou me matar, por isso eu fugi, mas agora não tenho mais medo dele, já estou no fim da vida mesmo, só queria que você soubesse, dizem que a verdade nos acalma no fim da vida, então está tudo certo! Esse era o segredo que me mantinha presa aqui, agora já posso partir! — Concluiu Lilian.

— Já! Pode partir, boa viagem ao inferno! — Declarou Marieta arrancando os fios dos aparelhos que mantinham Lilian viva.

Marieta sai do quarto e fecha a porta, ela vai em direção a sala de espera e encontra Nicolau.

— Mas já, rápido hoje dona Marieta! — Disse o motorista.

— É, agora vamos, me leve para casa e depois vá buscar as crianças. — Ordenou Marieta.

Nicolau faz o solicitado. Em casa Marieta vai para o quarto e escreve uma carta de despedida aos filhos, após terminar a carta Marieta vai para o banheiro e se tranca, no banheiro Marieta pega uma tesoura e se suicida, a mulher já não suportava mais aquela vida que levava com Álvaro.

Alguns dias depois Álvaro contrata uma governanta para tomar conta das crianças e focou em sua empresa, Álvaro sabia que era o culpado pela morte da esposa, e por isso, fez uma promessa a si mesmo de que nunca mais se relacionaria com mulher alguma e desde a morte de Marieta, a promessa foi cumprida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: