Viajantes do Tempo: VonHelton

Fonte: https://uareva.com/2013/05/viajantes-do-tempo-historias-reais.html

VonHelton é um cara bizarro e totalmente desacreditado, mas vale a citação. Ele alega ser meio vampiro, é um conspiracionista do fenômeno OVNI e ultraconservador radical que tem sites e um canal no Youtube. Ah, ele também alega ser um viajante do tempo, tendo visitado a Inglaterra em 1857, a França em 1916 e a Alemanha em 1945. Ele inclusive exibe fotos de si mesmo em várias épocas para provar que é mesmo um viajante do tempo.

Google Imagens

Meus próximos lançamentos

Por: Fábio Anhaia

A literatura faz parte da minha vida a muito tempo, e no ano passado dei início ao sonho de me tornar escritor. Tudo começou com o lançamento de Descobrindo o Amor, meu carro chefe é uma comedia romântica com muita confusão e amor. Após, mais especificamente em novembro, foi lançada a continuação, intitulado de O Preço de um Segredo, o livro nos apresenta uma parte sombria da estória, com uma trama recheada de assassinatos e segredos.

Depois de um tempo sem postar nada aqui no site retornamos com uma agenda cheia de novidades, além das sagas de textos que montei para vocês, ainda teremos lançamentos de livros novos, acompanhe abaixo quais são meus próximos lançamentos.

1 – Agora Sim… Felizes para Sempre (último livro da trilogia Descobrindo o Amor).

A conclusão das histórias de Aline, Erick e Pedro. Depois de assassinar todas aquelas pessoas, Felipe percebe que seus segredos estão prestes a ser revelados. Descubra como termina essa trilogia regrada de amor, assassinatos e confusão.

2 – Porto Santo.

Um pequeno vilarejo localizado no litoral do Ceará guarda segredos que se misturam a histórias peculiares. Uma jovem médica muda-se para a vila com a missão de assumir o posto do antigo doutor, porém Manoela percebe aos poucos que Porto Santo pode ser muito mais do que ela imaginava. Uma velha beata que mantém sua filha presa, duas vizinhas fofoqueiras, um menino órfão curioso e uma família nada tradicional, são algumas das situações que Manoela terá que enfrentar.

3 – Segunda Chance.

Quatro amigos têm suas vidas transformadas depois de conseguirem uma grande quantia em dinheiro. Após o assassinato de Natanael, Maicon, Julio, Pedro e Laura se mudam para o exterior e levam uma vida recheada de luxo, mas os fantasmas do passado não os abandonam e vinte anos depois o destino vem buscar sua parte.

4 – As Crônicas de um Autor de Primeira Viagem.

Em As Crônicas de um Autor de Primeira Viagem, você pode ler um compilado de crônicas escritas por Fábio Anhaia. Com textos que falam de empatia, força, admiração e principalmente amor, esse compilado irá despertar as mais variadas sensações.

Viajante do Tempo: “Hipster” moderno em fotografia de 1940

Fonte: https://uareva.com/2013/05/viajantes-do-tempo-historias-reais.html

Essa é uma das mais legais sobre o assunto: Surgiu na internet uma foto vinda dos anos 40, na qual, numa olhada mais atenta, é possível perceber uma figura aparentemente destoante do período, que parece ser alguém usando roupas modernas e aparentemente segurando uma câmera fotográfica. A parte mais interessante disso é que, de fato, a foto existe e não é uma montagem: ela relata a reabertura da ponte de South Fork depois de uma inundação, é de novembro de 1940 e está em exposição online no Virtual Museum of Canada.

Google Imagens

Os Primeiros Livros do Mundo

Fonte: bloguito.com.br e segredosdomundo.r7.com

Primeiro livro do mundo, qual é? Evolução dos livros e impressão moderna
Google Imagens

Os primeiros documentos registrados com texto foram feitos pelos sumérios, por volta de 3.200 a.C.. Esses textos tratavam de leis, assuntos administrativos e religiosos, bem como de lendas e poemas locais, em um dos idiomas mais antigos do mundo.

Por outro lado, esses livros ainda não tinham o formato que conhecemos hoje. Isso porque os primeiros documentos da Mesopotâmia estavam escritos em tabletes de argila.

Alguns autores questionam que o primeiro livro do mundo tenha surgido na Mesopotâmia. Segundo o professor do Departamento de Estudos Culturais e Mídia da Universidade Federal Fluminense e pesquisador em Produção Editorial, Aníbal Bragança, a portabilidade é uma das principais funções de um livro.

Sendo assim, seria impossível considerar um documento gravado em rochas como livro.

A partir do Antigo Egito, os livros começaram a ganhar o formato que conhecemos apesar da descoberta e produção do papiro. Além do material, o couro animal também era popular para a produção de documentos em pergaminhos.

Os pergaminhos eram feitos em rolos com folhas coladas lado a lado. Logo após a finalização, as folhas eram presas a dois bastões em suas extremidades, ou seja, o leitor desenrolava de um lado e enrolava do outro enquanto lia as páginas. Dessa maneira, alguns teóricos defendem que o primeiro livro do mundo foi publicado em pergaminhos.

Primeiro livro do mundo oriental

Primeiro livro do mundo, qual é? Evolução dos livros e impressão moderna
Google Imagens

Na China, o I Ching é considerado o primeiro livro do mundo. Suas origens lendárias datam de mais de 6 mil anos atrás, com dizeres das principais correntes da filosofia chinesa: Confucionismo e Taoísmo.

Apesar da origem do livro ser desconhecida, ele exerceu muita influência nas bases da formação da sociedade chinesa. Por séculos, o conteúdo do documento foi considerado fonte de sabedoria e até mesmo de conselhos de oráculos que tentam prever o futuro.

O I Ching é composto de grupos de caracteres feitos com três linhas, contínuas ou quebradas. A partir dessa diferença, então, é possível criar oito combinações de caracteres que representam os principais elementos do I Ching.

Além disso, cada dois caracteres forma um hexagrama que simboliza arquétipos de personalidade. É justamente a explicação desses arquétipos que estão espalhadas nas centenas de páginas do livro.

O Primeiro Livro Impresso.

Primeiro livro do mundo - qual é e como evolui até os dias de hoje
Google Imagens

Já o primeiro livro impresso só foi possível graças a Gutenberg, um inventor alemão do século XV. Ele inventou a prensa de tipos móveis, em 1439, que revolucionou a produção de livros da época. Graças a essa invenção, os livros, que antes eram reproduzidos a mão, passaram a ser impressos e produzidos de forma mais rápida e barata.

Essa invenção foi de extrema importância na época do Renascimento, pois favoreceu a circulação de ideias e conhecimentos de forma mais rápida. O invento também favoreceu o processo das Reformas Religiosas. Gutenberg imprimiu a Bíblia em 1455, tornando esse livro o primeiro a ser impresso em todo o mundo.

E no Brasil?

EBC | Você sabe qual foi o primeiro livro editado no Brasil?
Google Imagens

Bem, aqui a imprensa chegou 355 anos depois de Gutenberg ter impresso o primeiro livro. O nosso primeiro livro impresso foi Marília de Dirceu, de Tomás Antônio Gonzaga, em 1810. Mas temos uma curiosidade: no início do século XIX, as máquinas de impressão eram mantidas pelo governo português, que só publicava o jornal oficial falando coisas boas sobre o governo. Por isso, a maioria dos escritores brasileiros preferia imprimir suas obras em Lisboa ou Paris, como foi o caso de Machado de Assis.

Cinco Novelas baseadas em Livros

Fonte: Observatório da TV.

Muitas novelas são inspiradas em grandes sucessos literários, na matéria de hoje vamos apresentar a você cinco novelas que foram inspiradas em livros. Não deixem de ler pois a lista está recheada de sucessos.

5 – Sinhá Moça

Escrita por Benedito Ruy Barbosa, em duas versões, 1986 e 2006, Sinhá Moça foi baseada no romance de mesmo nome escrito por Maria Dezonne Pacheco Fernandes, e se passa em 1886, dois anos antes da promulgação da lei áurea. A história de amor entre Sinhá-Moça, filha de um coronel escravocrata pelo advogado Rodolfo, militante abolicionista fez muito sucesso, inclusive ganhando uma adaptação para o cinema.

4 – Porto dos Milagres

Novela escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares em 2001, Porto dos Milagres juntou em sua trama duas obras de Jorge Amado: Mar Morto e A Descoberta da América pelos turcos. Na trama, o pescador Guma (Marcos Palmeira) era herdeiro de uma grande fortuna sem ter conhecimento da mesma, e lutava pelos direitos dos pescadores contra os desmandos do prefeito da cidade, Félix Guerreiro (Antonio Fagundes), seu verdadeiro tio.

3 – A Padroeira

Exibida em 2001, a novela A Padroeira, escrita por Walcyr Carrasco, foi baseada no livro As Minas de Prata, de José de Alencar. No original, as faladas minas de prata, guardavam tamanha riqueza que poderiam decidir o futuro da colônia. Para provar seu amor por Inês, Estácio decide procurar o mapa do tesouro deixado por seu avô antes de morrer.

2 – Gabriela

Considerado um dos maiores romances de Jorge Amado, o livro foi adaptado para a televisão três vezes como novela, em 1960, 1975 e 2012. Publicado em 1958, o livro conta a história do romance entre o árabe Nacib e a sertaneja Gabriela, em meio às transformações econômicas, e culturais e políticas sofridas em Ilhéus nos anos 20, assim como a queda dos grandes coronéis que dominavam o interior baiano.

1 – Tieta

A novela Tieta foi originalmente exibida em 1989, é uma adaptação do romance Tieta do Agreste, escrito por Jorge Amado. No livro, assim como no folhetim, Tieta ainda adolescente é escorraçada de casa e da cidade, após descobertas suas aventuras sexuais por sua irmã Perpétua e seu pai Zé Esteves. 25 anos depois, ela volta rica, trazendo sinais de progresso para Santana do Agreste, mexendo com a vaidade e com os preconceitos dos moradores do interior baiano.

Gostou? No link abaixo você pode conferir mais novelas que foram inspiradas em livros:

Confira 10 novelas que foram baseadas em livros

Viajantes do Tempo: Rua Bold, Inglaterra

Fonte: https://uareva.com/2013/05/viajantes-do-tempo-historias-reais.html

Viagem no tempo é um assunto que sempre intrigou muita gente, desde a pura curiosidade até mesmo a questões cientificas. Você já imaginou uma rua toda onde as pessoas alegam que viajaram de volta aos anos 50 e 60, pois é exatamente o caso que vamos te apresentar no nosso primeiro capítulo:

Viajantes do Tempo: Rua Bold, Inglaterra

Hoje em dia quando pensamos em viagem no tempo, a primeira coisa que nos vem à cabeça é uma máquina, um automóvel ou algo do tipo. Mas a rua Bold, em Liverpool, ganhou notoriedade quando diversas pessoas alegaram que foram subitamente transportadas de volta para os anos 50 e 60. De acordo com a notícia, começou com um homem que alegou que estava caminhando pela rua Bold e foi parar nos anos 50. Quando retornou para seu próprio tempo, ele acertou com precisão o nome de diversas fachadas de lojas que existiam na época e lugares em que ele alega que foi parar.

A história é claro deu o que falar e diversas outras pessoas começaram a dar seus testemunhos sobre suas próprias viagens no tempo. A rua Bold fica localizada em Liverpool e abaixo você pode observar uma imagem do Google Maps. A rua é bem movimentada o que nos deixa ainda mais intrigados sobre essas possíveis Viagens no Tempo.

E ai, você acredita que pode haver viajantes do tempo por ai? então fique ligado que logo logo sai o segundo capítulo da nossa saga.

Top 06 melhores filmes do universo de Invocação do Mal

Por: Fábio Anhaia

O universo de Invocação do Mal chegou para mudar a história dos filmes de terror/horror nos cinemas, a anos sem conseguir apresentar grandes sucessos do gênero ao público a Warner apostou suas fichas nessa saga e acertou em cheio. Pensando nisso hoje vamos montar um top seis dos melhores filmes desse universo que conquistou uma legião de fãs pelo mundo.

06 – A Freira

Presa em um convento na Romênia, uma freira comete suicídio. Para investigar o caso, o Vaticano envia um padre assombrado e uma noviça prestes a se tornar freira. Arriscando suas vidas, a fé e até suas almas, os dois descobrem um segredo profano e se confrontam com uma força do mal que toma a forma de uma freira demoníaca e transforma o convento em um campo de batalha.

05 – A Maldição da Chorona

Em Los Angeles, na década de 1970, uma assistente social cria seus dois filhos sozinha depois de ser deixada viúva. Ela começa a ver semelhanças entre um caso que está investigando e a entidade sobrenatural chamada de Chorona. A lenda conta que, em vida, Chorona afogou seus filhos após um ataque de ciúmes e depois se jogou no rio, se debulhando em lágrimas. Agora ela chora eternamente, indo atrás e capturando outras crianças para substituir seus filhos.

04 – Anabelle

John Form acha que encontrou o presente ideal para sua esposa grávida, uma boneca vintage. No entanto, a alegria do casal não dura muito. Uma noite terrível, membros de uma seita satânica invadem a casa do casal em um ataque violento. Ao tentarem invocar um demônio, eles mancham a boneca de sangue, tornando-a receptora de uma entidade do mal.

03 – Anabelle 2: A Criação do Mal

Anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e dezenas de meninas desalojadas de um orfanato. Atormentado pelas lembranças traumáticas, o casal ainda precisa lidar com um amendrontador demônio do passado: Annabelle, criação do artesão.

02 – Invocação do Mal

Os investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren trabalham para ajudar a família aterrorizada por uma entidade demoníaca em sua fazenda.

01 – Invocação do Mal 2

Os famosos demonologistas Lorraine e Ed Warren viajam até o norte de Londres. Lá, eles ajudam uma mãe solteira que cria quatro filhos sozinha em uma casa atormentada por espíritos malignos.

E ai? Qual desses é o seu preferido? Pega a pipoca e corre para a sala assistir esses sucessos, aproveite o Halloween!

Especial Halloween: Bruxas

Fonte: Wikipédia

À afirmativa de existência de bruxas à forma retratada em registros da Idade Média, incluindo histórias infantis que permaneceram em evidência até os dias atuais, admite-se uma ressalva: elas parecem ter existido apenas no imaginário popular como uma velha louca por feitiços enigmáticos, surgidas na esteira de uma época dominada por medos, quando qualquer manifestação diversa ou mesmo a crença na inexistência de bruxas da forma retratada pelas autoridades clericais era implacavelmente perseguida pela Igreja.

A feitiçaria já era citada desde os primeiros séculos de nossa era. Autores como o filósofo grego Lúcio Apuleio, fazia alusão a uma criatura que se apresentava em forma de coruja que na verdade era uma forma descendente de certas mulheres que voavam de madrugada, ávidas de carne e sangue humanos.

Para os intelectuais, estes acontecimentos não passavam do imaginário popular, sonhos, pesadelos e, assim, recusavam-se a admitir a existência de bruxas. Porém, entre muitos povos não era assim: os éditos dos francos salianos falavam da Estrige como se ela existisse de fato. Os penitenciais atestavam a crença nessas mulheres luxuriosas. No início do século XI, Burcardo, o bispo de Worms, pedia aos padres que fizessem perguntas às penitentes no intuito de descobrir se eram seguidoras de Satã, se tinham o poder de matar com armas invisíveis cristãos batizados, se sim, quarenta dias de jejum e sete anos de penitências.

Até ao século XIII a Igreja não condenava severamente esse tipo de crendice. Mas nos séculos XIV e XV, o conceito de práticas mágicas, heresias e bruxarias se confundiam no julgo popular graças à ignorância. Eram, em geral, mulheres as acusadas. Hereges, cátaros e templários foram violentamente condenados pela Inquisição, tomando a vez aos judeus e muçulmanos, que eram os principais alvos da primeira inquisição (século XIII). Curiosamente, foi exatamente a partir da primeira inquisição que a iconografia cristã passou a representar o “Arcanjo Decaído” não mais como um arcanjo, mas com a aparência de deuses pagãos, como Pã e Cernunnos. Tal fato levou, séculos após, à suposição de que bruxas eram adoradoras do demônio, que, no principal livro cristão (Bíblia), relata que ele pode possuir diversas formas, portanto, relacionavam-no aos deuses delas. O uso alternativo do nome Lúcifer para designar o mal encarnado, na visão cristã, agravou a ignorância a respeito do culta das bruxas, uma vez que o nome Lúcifer, pela raiz latina, representa portador/fabricante da luz (Lux Ferre), inescapável semelhança ao mito grego de Prometeu, que roubou o fogo dos céus para trazê-lo aos homens.

Na internet há diversas matérias e informações sobre esse ser místico tão curioso, mas há um site em especial que publicou uma matéria fantástica sobre o assunto, e mais, no Brasil. As Bruxas Condenadas ao Brasil é uma super dica para complementar nossa matéria.

Sob a luz de velas verdes, nua diante de um quadro negro onde havia pintado o rosto do Diabo, ela o invocava e o adorava. Feiticeira conhecida, Maria era requisitada para realizar casamentos e encontros desonestos. Com uma pequena pedra batizada em três pias de água benta, ela dava de beber à pessoa a qual pretendia enfeitiçar. Esposa de João Esteves, que partiu para Índia e nunca retornou, Maria Silva, mulher analfabeta de 40 anos, foi presa pela Inquisição de Lisboa em 1664. No primeiro interrogatório, questionada pelos inquisidores sobre a razão de estar presa, Maria não hesitou em dizer que “certamente era devido aos falsos testemunhos de seus inimigos”. Ao longo de todo o processo, ela negou as acusações, o que fez com que fosse conduzida pelo Santo Ofício à câmara de torturas. Desesperada, gritava pela Virgem dos Necessitados e pedia misericórdia. No auto-da-fé de 17 de agosto de 1664, ela foi condenada e expulsa de Portugal. Seu destino, o Brasil.

Acesse e confira a matéria completa: https://www.nsctotal.com.br/especiais/verdadeira-historia-bruxas-brasil-florianopolis

Lendas do Folclore Brasileiro: Corpo-Seco

Corpo-Seco - Lenda do Corpo-Seco Folclore Brasileiro - Escola Educação
Google Imagens

Fonte: Wikipédia e Mundo Educação

Um homem muito cruel que surrava a própria mãe, ao morrer foi rejeitado por Deus e o Diabo. Não foi enterrado, porque a própria terra enojada, vomitou seu corpo, assim perambula por aí com o corpo todo podre, ainda cheio de ódio no coração, fazendo mal a todos os que cruzam o seu caminho. Há relatos desta lenda nos estados de São Paulo, Paraná, Amazonas, Minas Gerais e na região Centro-Oeste.

Tradicionalmente o corpo-seco é um ser amaldiçoado, uma espécie de morto-vivo. Ocupa a forma de um cadáver que foi expelido pela terra, que se recusou a devorar o seu corpo. Segundo a lenda, isso aconteceu porque esse ser foi uma pessoa terrível em vida, tendo um rol enorme de maldades cometidas. As maldades do defunto eram tão grandes que tanto Deus como o diabo não aceitaram sua alma.

Assim, corpo-seco foi condenado a vagar pela Terra, pois o céu e o inferno o recusaram. A aparência desse ser é aterrorizadora, e conta-se que ele possui um corpo ressecado que se resume a ossos e couro. Sua aparência é complementada com suas grandes unhas e cabelos, que não param de crescer jamais.

Os graves pecados cometidos por corpo-seco variam de região para região. Em determinada região do país, fala-se que ele foi uma pessoa que torturou e matou a própria mãe; em outros locais, fala-se que era um homem que cometia todo o tipo de maldade contra todos que o cercavam; há também aqueles que falam que o corpo-seco foi alguém que fez uma promessa a Deus e não a cumpriu, sendo punido dessa forma.

Lendas do Folclore Brasileiro: Cobra-grande ou Boiuna

Atividade com lendas: Lenda da cobra grande para 4º e 5º ano - Hora de  Colorir - Atividades escolares
Google Imagens

Fonte: Wikipédia

A boiuna, ou cobra-grande, é um mito amazônico de origem ameríndia. Serpente lendária da Região Norte, que mora entre as rochas dos rios e lagoas, de onde sai para afundar barcos. Quando ela sai das rochas, troveja, lança raios e faz chover, também pode imitar as formas das embarcações, atraindo náufragos para o fundo do rio.

Se a chuva é muito forte e ameaçadora de novo dilúvio, toma a forma de arco-íris e serena as águas. Ainda segundo a lenda, a lua é a cabeça da serpente, as estrelas são os olhos e o arco-íris é o sangue da cobra-grande.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑