Músicas que inspiraram Agora Sim… Felizes para Sempre.

Achou que não ia ter trilha sonora? Pois bem, chegou a hora de descobrir quais foram as músicas que inspiraram o terceiro e último livro da trilogia mais doce que você já leu!

E não esqueça o lançamento do livro é em 20 de julho de 2022.

01 – Tá Escrito (Xande de Pilares)

02 – Brisa (IZA)

03 – Evidências (Yasmin Santos)

04 – Perigosinha (Claudia Leite)

05 – Espaçosa Demais (Felipe Araújo)

06 – Menina Solta (GIULIA BE)

07 – Que Sorte a Nossa (Ana Vilela)

08 – My Only One (Sebastian Yatra, Isabela Merced)

09 – Onde Estará o Meu Amor (Maria Bethânia)

10 – Nosso Amor (Gonzaguinha)

Todas as músicas estão disponíveis na nossa playlist do Spotify, escuta lá (Agora Sim… Felizes para Sempre).

Descobrindo o Amor: Capítulo 11 e 12.

Capitulo 11 – O Golpe.

Chegando ao hospital, Aline e Erick perguntam a um enfermeiro sobre o estado de Afonso, o enfermeiro diz que eles devem aguardar o médico pois ainda não havia nenhuma informação sobre o caso. Aline abraça e consola Erick enquanto ele só consegue rezar e pedir a Deus a proteção da vida do irmão.

— Erick, vai ficar tudo bem, fique calmo! — Disse Aline abraçando o marido.

Na loja de suplementos Andressa organiza uns papéis quando é surpreendida por um rapaz de moto:

— Aí, que susto, conseguiu? — Questionou Andressa.

— Consegui, toma como a gente combinou. — Respondeu o rapaz entregando um envelope a Andressa.

— Ótimo, agora eu acabo com esses dois de vez! — Declarou Andressa.

Andressa pega o envelope e dispensa o motoboy, quando está prestes a abrir Pedro chega e a atrapalha.

— O que é isso? — Questiona Pedro.

— Ah, isso? É nota, eu pedi para um fornecedor alterar uma nota que veio errada. — Respondeu Andressa.

— E por que ele não mandou por e-mail? — Disse Pedro.

— Eu não sei Pedro, talvez ele não saiba usar e-mail, eu preciso trabalhar. — Disse Andressa juntando algumas notas.

Pedro se preocupa com Afonso, a ideia de pôr Afonso trabalhar no delivery partiu dele e isso o fazia se sentir culpado. No hospital Aline e Erick recebem as atualizações do caso de Afonso.

— Vocês são familiares de Afonso Candido Pinto? — Questionou o Doutor.

— Sim, somos nós. — Respondeu Erick.

— Bem, o caso dele é muito sério, ele foi “atropelado” por um caminhão, e isso fez com que ele fraturasse uma perna, ele perdeu muito sangue e vamos precisar de doações, estamos fazendo de tudo para que ele não precise amputar, peço que tenham fé, não vai ser fácil a caminhada. — Revelou o Doutor.

— Erick, senta aqui, fica calmo por favor. — Disse Aline acalmando Erick.

— Aline o Afonso pode morrer, meu Deus, o que eu vou fazer. — Disse Erick aos prantos.

— Primeiro vamos fazer a doação do sangue, vem comigo. — Disse Aline levando Erick para a ala de doação de sangue do hospital.

Chegando na ala de doação, Erick informa que quer doar sangue para o irmão, a enfermeira organiza tudo e após a doação uma nova surpresa, Erick e Afonso não tem o mesmo tipo sanguíneo.

— Mas como não temos o mesmo tipo sanguíneo? Nós somos irmãos, nosso sangue é AB, assim como o de nossos pais. — Disse Erick a enfermeira.

— Me desculpe, mas eu acabei de fazer a análise do seu sangue, ele realmente é AB, porém o de Afonso é O, se o sangue de seus pais também eram AB só tem uma explicação, ou Afonso é adotado ou não é filho do mesmo pai que você. — Revelou a enfermeira.

Erick fica em choque com a revelação, a mãe nunca havia contado nada a ele sobre Afonso ser adotado.

— Bem, meu tipo sanguíneo é O, enfermeira, eu vou fazer a doação também, Erick eu preciso que você se acalme, eu vou fazer a doação e depois vou atrás de outros doadores, você quer que eu te deixe em casa? — Disse Aline.

— Não, eu vou para casa da minha avó, ela deve saber alguma coisa que ninguém nunca me contou, vou tirar essa história do Afonso a limpo ainda hoje. — Declarou Erick.

Depois da doação, Aline e Erick partem para casa da avó dele, chegando lá Erick se despede de Aline e entra no prédio, Aline então parte em busca de doadores, liga pra Natalia que também é do tipo O e pede para a amiga se arrumar, Natalia informa Aline que Raul não está em casa, ele havia saído mais cedo e disse que encontraria com Erick (advogado) pois haviam assuntos a tratar. Mas que tipo de assunto Raul trataria com Erick (advogado), bem era estranho, mas Aline aproveitou a oportunidade para pedir a doação de Erick também.

Chegando no apartamento de Erick (advogado) Aline tem uma nova surpresa, Raul abre a porta de roupão.

— Raul? O que está acontecendo aqui? — Questionou Aline surpresa.

— Ai meu Deus, Aline! O que você faz aqui? — Disse Raul.

— Quem está aí amor? — Disse Erick (advogado) vindo do quarto de cueca.

— IIH, Aline! — Completou o advogado surpreso.

— Olha, não me interessa o que está havendo, vocês têm todo direito e liberdade de estarem juntos, só que eu achei que você deveria me contar Raul, sou sua melhor amiga! — Disse Aline.

— Ai amiga me desculpe, mas eu nem sabia por onde começar, eu achei que não seria nada sério, mas quando eu vi já estava na cama dele. — Disse Raul.

— Isso não vem ao caso agora, eu preciso da ajuda de vocês, o Afonso sofreu um acidente e precisa de doação de sangue urgente. — Revelou Aline.

— Meu Deus! Claro, vamos para lá agora. — Declarou Erick.

Raul e Erick (advogado) passam na casa de Aline e pegam Natalia, os três vão ao hospital fazer a doação, enquanto isso Aline vai até a fábrica e solicita apoio dos funcionários, ela pede para que parem a produção e corram ao hospital doar sangue a Afonso, após sair da fábrica Aline vai em direção a Loja de suplementos, na loja ela faz o mesmo apelo e é claro que todos vão ao hospital, Andressa chama Aline no caixa da loja e pede para que ela assine uma autorização de compra dos produtos, já que ela havia casado com Erick, Andressa achou que não haveria problema, Aline assina o papel e corre para o hospital.

Na casa da avó de Erick os dois tem uma conversa reveladora, Erick jamais podia imaginar que ele e Afonso não eram irmãos de sangue, a história de Afonso era muito mais sombria que Erick pudesse imaginar.

— O que? Mas vó, como a mamãe? Por que ela fez isso? — Questionou Erick.

— Sua mãe não sabia Erick, ela nunca soube, ela descobriu quando Afonso precisou fazer aquele exame na adolescência, foi aí que o pai de vocês foi embora, ele achou que tivesse sido traído. — Revelou a avó.

— Então a senhora está me dizendo que o Afonso foi trocado na maternidade? — Perguntou Erick.

— Sim, e sua mãe descobriu isso, 15 anos depois. — Disse a avó.

Erick fica em choque, como alguém teria coragem de trocar os bebês na maternidade, aquilo parecia coisa de novela, mas havia acontecido, Afonso e Erick não eram irmãos, mas ainda existe um mistério, onde estaria o irmão de Erick, porque a mãe dele deu a luz naquela noite, alguém o sequestrou e deixou Afonso no lugar. Mas agora não era hora para pensar naquilo, Erick precisava voltar ao hospital, a avó também queria ir afinal ela criou Afonso como seu verdadeiro neto e de sangue ou não, isso já não importava mais a muitos anos.

Erick liga para Aline pegar ele na casa da avó, Aline pega os dois e Erick precisa ir na loja de suplementos para buscar sua carteira, na saída para o hospital Erick acabou deixando para trás. Chegando na loja Erick é atacado por Andressa que ainda estava lá, ela informa que o pedido enviado anteriormente não havia sido aprovado com a assinatura de Aline e pede para que Erick assine, Erick assina e corre para o hospital com Aline e a avó.

No hospital eles recebem novas e boas notícias, Afonso estava recebendo o sangue doado e já havia reagido, a maratona de Aline ajudou e muito Afonso, todos já podiam se aliviar. Eles passam a noite no hospital todos juntos de Erick.

— Obrigado pelo apoio pessoal! De coração, hoje eu percebi que quando casei com a Aline eu ganhei junto uma família, obrigado! — Disse Erick emocionado.

— Que isso, nós somos assim mesmo, quando a gente gruda não solta mais, igual carrapato! — Disse Natalia.

— É aqui ninguém abandona ninguém! — Declarou Erick (advogado).

— Somos um por todos e todos por um! — Disse Raul.

— Conte com a gente para o que precisar Erick! — Disse Taisa.

— Nas boas e nas ruins! — Completou Pedro.

Nas boas e nas ruins, é assim que seria, Erick realmente ganhou uma família nova, e percebeu naquele momento que família é isso, família é união, família é amor, é apoio independente das nossas escolhas, família é estar junto para o que der e vier, e para ser família não precisa ser de sangue, a família só tem que ser de coração.

No outro dia as notícias de Afonso foram melhores ainda, ele já havia acordado e estava se recuperando como se num milagre, todos então voltam para suas rotinas. Na loja de suplementos Erick se preocupa com o atraso de Andressa, nesses dois anos trabalhando na loja ela nunca se atrasou. Na fábrica Aline chega e vai direto a cozinha, ela resolve fazer um bolo, mas é abordada pela secretária na porta da cozinha.

— Dona Aline, o Erick (advogado) e a Taisa estão te esperando na sua sala, me disseram que era urgente.

Será que era alguma coisa com os investidores, mas eles estavam tão confiantes, será que descobriram do casamento, várias possibilidades se passavam na cabeça de Aline, mas ao chegar na sala, todas desaparecem de uma vez.

— Andressa, o que faz aqui e na minha cadeira? Você perdeu o juízo garota? — Disse Aline

— Sua não! Minha! Essa cadeira, a mesa, a fabrica as confeitarias, tudo isso é meu! — Declarou Andressa.

— Mas você é muito doida mesmo, saia da minha cadeira ou eu te arranco daí! — Disse Aline começando a se irritar.

— Aline! — Disse Erick (advogado) com um papel na mão.

— O que é? — Perguntou Aline furiosa.

— É tudo dela! Está aqui, o documento de transferência de bens assinado e reconhecido em cartório por você! — Completou Erick.

— O que? Eu nunca assinei nada, isso é mentira, é falso, deixa eu ver essa palhaçada! — Disse Aline pegando o papel.

Uma desagradável surpresa, aquele era mesmo um documento de transferência de bens, e a assinatura realmente era a dela, mas a surpresa não acabava ali, o documento dava direito a Andressa sobre os bens de Aline e os bens de Erick.

— Vamos dar a notícia a ele juntas? — Debochou Andressa.

— Mas como? Como você? — Disse Aline em choque.

— Isso não interessa, vocês me transferiram e as assinaturas estão reconhecidas, agora eu vou tomar posse da minha franquia de suplementos! — Declarou Andressa indo para a loja de Erick.

Chegando na loja Erick recebe Andressa e estranha a vinda dela com Aline, Taisa e Erick (advogado).

— O que vocês todos fazem aqui? — Questionou Erick.

— Nós levamos um golpe Erick, a Andressa nos deu um golpe! — Disse Aline sedenta de ódio.

— O que? Que brincadeira é essa Andressa? — Questionou Erick.

— Não é brincadeira Erick, aqui está o documento de transferência assinado e reconhecido em cartório por vocês dois. — Disse Taisa entregando o documento a Erick.

Erick pega o documento e fica chocado com o que Andressa fez, eles nunca haviam assinado documento algum, aquilo era falso e Erick e Aline tinham certeza, mas como iriam provar, aquelas eram as suas assinaturas e foram reconhecidas em cartório, era inevitável Andressa era a nova dona da rede de confeitarias Doce Mel e da rede de suplementos Fit for Fit, além de todos os outros bens de Erick e Aline como casas, carros e tudo que fosse proveniente dos lucros das empresas.

— Isso não vai ficar assim, você nos roubou e nós vamos recuperar tudo! — Disse Erick pela primeira vez em fúria.

— Pois tente, quero ver vocês provarem que não assinaram! — Declarou Andressa.

— Agora sumam da minha frente! Eu não quero mais ver vocês nem pintados de ouro! Eu venci! — Declarou Andressa expulsando os dois da loja.

— Você conseguiu ganhar o Erick Aline, mas eu fico com todo o resto! Esse vai ser o preço do seu amor! — Concluiu Andressa.

— Isso não vai ficar assim! — Declarou Aline deixando a loja junto a Erick.

Na rua, Aline questiona Erick (advogado) e Taisa sobre o documento, eles explicam que para recuperar seus bens Ercik e Aline terão de provar que o documento é falso, essa era a única maneira. Mas como eles iriam provar? Eles se quer lembram de ter assinado o documento, eles teriam que pensar.

— Vocês vêm com a gente? — Perguntou Aline.

— Aline, eu não posso, eu dependo desse trabalho na fábrica, me desculpe. — Disse Erick (advogado) deixando todos em choque.

— O que? Erick, o que isso, você vai trabalhar para aquela golpista, como você tem coragem? — Questionou Taisa.

— Taisa, o Erick tem razão, ele precisa do emprego, você tem outros negócios fora cuidar da fábrica. — Disse Aline.

— Erick, está tudo bem! Pode ir. — Disse Aline abraçando o amigo.

— Obrigada Aline, saiba o que eu puder ajudar eu vou! — Declarou Erick indo em direção a fábrica.

Taisa acompanha Erick e Aline até o apartamento do rapaz, lá Erick revela que Andressa não poderá tomar posse do apartamento e nem do carro dele porque ambos estão registrados no nome de Afonso, aquela era uma “herança” que Erick deixaria ao irmão, ao menos casa eles ainda tinham, mas e agora? O que seria deles, bem o fato é que eles precisam de um plano, um plano genial para recuperar tudo, mas por onde começar? Para abrir um processo contra Andressa levaria tempo e antes eles precisam juntar as provas, Taisa passa o dia com Aline e Erick, a noite ela vai pra casa estudar as possibilidades e Erick e Aline se preparam para dormir.

— E agora Erick? — Questionou Aline.

— Agora a gente vai dar um jeito, nós somos determinados e honestos Aline, fome nós não vamos passar, vamos trabalhar enquanto Taisa estuda nossas possibilidades. — Respondeu Erick.

— Trabalhar? Você quer dizer… recomeçar do zero? — Perguntou Aline.

— Exatamente! Recomeçar! — Declarou Erick.

Capitulo 12 – A Pasta.

No dia Seguinte, a primeira coisa que Taisa faz é cancelar o investimento com os investidores, ela explica todo o golpe que Aline sofreu e não aconselha aos investidores continuar os negócios com Andressa, eles concordam e partem do Brasil. Erick sai cedo de casa, Aline acorda e liga para Natália, ela precisa avisar a amiga de tudo o que aconteceu.

— Natalia, você precisa juntar todas as suas coisas e sair do apartamento, junta tudo e vai para o condomínio do Erick, eu vou explicar tudo. — Disse Aline.

Enquanto Natalia juntava suas malas para ir para a casa de Erick, Andressa chega no apartamento de Aline.

— Andressa? Erick e Raul? O que fazem aqui? — Questionou Natalia.

— Essa víbora da Andressa amiga, ela roubou tudo o que era do Erick e da Aline! — Disse Raul.

Natalia fica chocada com a revelação.

— Roubei não, conforme diz o documento, eles me transferiram seus bens de livre e espontânea vontade. — Rebateu Andressa.

— R O U B O U! — Declarou Raul pausadamente.

— Mas isso é um absurdo, Erick? — Questionou Natalia ao advogado.

— Eu sinto muito Natalia, mas ela tem o documento assinado pelos dois. — Disse Erick (advogado) cabisbaixo.

— Mas também, o que isso importa a vocês, o dinheiro, o apartamento, a fábrica, as confeitarias, as lojas de suplemento, tudo, é tudo meu! Agora saiam! — Disse Andressa os expulsando.

— Isso não vai ficar assim Andressa, a Aline vai recuperar tudo o que é dela, assim como o Erick, nem que para isso eu tenha que encontrar prova por prova, mas eu te garanto que encontro, nós vamos acabar com você, porque o mau Andressa, ah o mau nunca vence! — Declarou Natalia.

Natalia e Raul seguem para a casa de Erick enquanto Andressa e Erick (advogado) vão para a fábrica. No apartamento de Erick, Aline recebe os amigos, Aline estava desolada, ela nunca poderia imaginar passar por essa situação, afinal a fábrica e as confeitarias eram tudo o que ela tinha, tudo foi conquistado com seu suor, sua determinação, e agora foi arrancado assim com tanta facilidade. Raul e Natalia consolam a amiga, mas como reverteriam a situação, esse era um pensamento que atormentava Natalia, a vida seria tão injusta assim? Não! Não poderia, eles dariam um jeito, isso Natalia podia garantir a Aline.

Enquanto isso Erick conversava com um amigo, Erick sempre foi uma pessoa carismática e por isso conhecia muita gente, ele trabalhou durante anos como personal trainer na academia de João até que finalmente conseguiu abrir a primeira loja de suplementos, mas agora Erick precisava de ajuda e João é claro estendeu a mão.

— Mas e aí cara, quanto tempo, o que te traz até aqui? — Questionou João apertando a mão de Erick.

— João, eu nem sei por onde começar, cara eu perdi tudo, tudo o que eu tinha! — Respondeu Erick.

— O que? Mas como isso aconteceu? — Perguntou João.

— É uma longa história João, eu levei um golpe, tiraram tudo, só não tiraram o apartamento e o carro porque eu tenho registrado no nome do Afonso. — Disse Erick.

— Nossa, mas quem teria coragem de dar um golpe Erick? Que horror cara. — Disse João chocado.

— Uma funcionária, eu não sei como, mas ela fez com que eu assinasse um documento que transferia todos meus bens a ela. — Respondeu Erick.

— Meu Deus! Eu imagino o que te trouxe até aqui então. Você quer um emprego? — Disse João.

— Cara, seria perfeito, você não sabe o quanto me ajudaria, ainda quero reabrir uma loja de suplementos, mas para isso preciso de grana e também preciso me manter, um emprego agora seria o ideal! — Disse Erick.

— Claro Erick! Você pode trabalhar de personal aqui novamente e te pago um salário diferenciado… — Dizia João.

— Não! Que isso, você pode me pagar o salário dos outros professores, não quero ser injusto com ninguém não! — Interrompeu Erick.

— Sempre justo né Erick! Por isso é que esse golpe me espanta, a pessoa tem que ter muita coragem para dar um golpe em você viu, tem que ser muito mau caráter! — Declarou João.

— É, mas não adianta chorar o leite derramado, agora é bola para frente e recomeçar, a vida é assim João, uma caixinha de surpresa, se a surpresa é boa ou ruim, quem decide somos nós! — Declarou Erick.

— Bom, você pode começar hoje à noite? No horário das seis? Infelizmente durante o dia o movimento é baixo e os professores que tenho são o suficiente. — Disse João.

— Claro, volto as seis, mais uma vez obrigada João! — Disse Erick.

— Que isso cara, saiba que somos irmãos, nunca te deixaria na mão cara! — Disse João abraçando Erick.

Em seu carro Erick pensava, já havia conseguido um emprego, pelo menos para o turno da noite, mas e o restante do dia? Ele não poderia ficar parado, Erick é uma pessoa muita ativa e disposta, como passaria o dia fechado em casa, não, isso não podia ficar assim, Erick olha para o volante de seu carro e tem uma idéia. É claro, ele já havia feito aquilo uma vez e por muito tempo, como não havia pensado nisso antes, Erick pega o celular, instala o aplicativo e reativa sua antiga conta, Erick decidiu e agora voltava a ser Uber.

Em casa Aline pensa e repensa com Raul e Natalia, mas não consegue se animar a nada, ela não aceita o golpe que Andressa deu, e como poderia aceitar, uma vida toda dedicada a fábrica e as confeitarias, Raul precisou ir embora e Natalia disse que precisava falar com Taisa e por esse motivo acompanhou Raul. Sozinha na sala do apartamento de Erick, Aline chora e tenta encontrar forças, de repente um raio de luz do sol entra pela janela da cozinha e ilumina a bancada, a luz reflete sobre uma vasilha de vidro e uma espátula sobre a bancada e chama a atenção de Aline, era como se fosse um aviso, uma força começa a invadir o peito de Aline e o fogo reascende, aquela não era hora de chorar, o choro não a levaria a nada, Aline levanta do sofá, seca as lagrimas e vai em direção a cozinha, ela prende seu cabelo, põem o avental, abre seus armários e coloca sobre a bancada farinha, ovos e outros ingredientes. Aline sabia o que deveria fazer, não era chorar que reverteria sua situação, Aline precisava era pôr a mão na massa, trabalhar, fazer bolo, doces e outras delicias que só ela sabe fazer, ela construiu seu império assim, e é assim que ela reergueria, trabalhando!

Natalia e Raul dividem um taxi que deixa Raul na casa de Erick (advogado) e depois leva Natalia até a casa de Taisa, chegando na casa de Taisa, elas conversam sobre uma maneira de ajudar Aline e Erick, Taisa passou a noite pensando e tinha uma vaga suspeita do que poderia ter acontecido, mas elas precisavam de provas, ou não poderiam mover uma ação contra Andressa, precisavam pensar, Natalia se comprometeu a ajudar no que fosse possível, Taisa agradece o apoio e as duas se despedem.

De volta ao apartamento Aline tira mais um bolo do forno, ela prepara diversos tipos de doces e bolos, Natalia chega e se surpreende.

— Nossa! Quanto doce, o que você está pensando? — Questionou Natalia.

— Eu vou vender doce Natalia, vou vender bolos, eu vou trabalhar, porque ficar me lamentando não vai me ajudar em nada! — Declarou Aline.

— Nossa, mas você está pensando em vender como? — Questionou Natalia.

— Bom, não tenho ideia ainda, não sei, vou ver se consigo um carrinho de feira ou qualquer coisa que possa carregar, até uma cesta, mas que vou vender, vou! — Respondeu Aline.

— Eu já sei, vamos alugar um espaço, nem que seja pequeninho só para começar, o que você acha? — Questionou Natalia.

— Ah não amiga, eu não quero te explorar não. — Disse Aline.

— Aline! Que isso, quero te dar esse espaço de coração, você sempre me ajudou e foi você quem me deu o dinheiro para abrir o salão lá em Porto Alegre lembra, aceite como se fosse a devolução desse empréstimo. — Disse Natalia.

— Natalia? Você tem certeza? — Perguntou Aline.

— Absoluta, e tem mais, vou falar com Raul tenho certeza que ele também ajudará! — Declarou Natalia.

Aline abraça Natalia emocionada, ela jamais pensou que um dia precisaria da ajuda dos dois, aliais ela jamais pensou que um dia perderia tudo, mas essa era a situação e Natalia e Raul demostraram toda a gratidão que tinham com esse gesto de amor.

No fim do dia Erick chega as pressas no apartamento, ele toma uma ducha, troca de roupa e sai correndo para a academia, mal teve tempo de explicar a situação a Aline, mas conseguiu contar o básico que ele era Uber e personal trainer, em meio a toda a correria Aline o segura pelo braço, Erick se espanta e por um momento ele para com toda aquela loucura e pressa, Aline o beija e foi como se os dois estivessem sozinhos em um lugar deserto, sem nada e nem ninguém, de volta a realidade Erick sorri para Aline.

— Eu te amo! — Disse Erick.

— Eu te amo! — Respondeu Aline.

Erick vai para a academia, era seu primeiro dia, mas como Erick é carismático e muito animado não teria dificuldades. No apartamento Aline recebe a visita de Taisa, Natalia havia ligado a advogada para procurar um local ali próximo do condomínio para aluguel, Taisa fez o que Natalia solicitou e foi pessoalmente dar as boas novas.

— Bom, então é isso meninas, amanhã mesmo vou para lá e organizo tudo e amanhã mesmo inauguramos. Preciso faturar o quanto antes! — Declarou Aline.

— E eu vou arrumar um lugar para mim! — Disse Natalia.

— Como assim? Amiga você pode ficar aqui o tempo que quiser. — Disse Aline.

— Porque gastar com hotel. — Completou Aline.

— E quem disse que vou gastar com hotel? Aline tenho mais uma novidade. — Disse Natalia olhando para Taisa com um sorriso.

— Ai meu Deus? Não me diga que vocês? Gente! Que coisa, meus dois melhores amigos apaixonados pelos meus dois advogados! — Disse Aline.

— O que?? — Responderam Natalia e Taisa.

— Não, Aline eu não sou? Quer dizer não? O que ia dizer é que vou abrir uma filial do salão aqui no Rio, e a Taisa está organizando tudo para mim. — Revelou Natalia.

— É, e na verdade Aline também já estou namorando, o Patrick, o chefe do The Cheff restaurante. — Disse Taisa.

As três riem da confusão de Aline, após o ocorrido Natalia vai ao quarto de hospedes dormir e Taisa vai para casa. Aline termina de preparar os doces para transferir a confeitaria na manhã seguinte e Erick chega. Aline conta toda a novidade para Erick que após um merecido banho senta à mesa para jantar.

— Estou tão animada! — Declarou Aline.

— É, fico feliz por você também, mas amanhã você pode dizer a Natalia e Raul que nós vamos dar um jeito de devolver esse dinheiro a eles, foi muito bonito o que fizeram, mas eles não tinham obrigação nenhuma. — Disse Erick.

— Já falei isso a eles, e tenho certeza que logo poderemos devolver todo esse dinheiro. — Respondeu Aline.

Erick termina o jantar e os dois vão para o quarto, Erick deita na cama enquanto Aline termina de vestir a camisola, Erick fica observando a esposa completamente apaixonado, após a correria do dia de hoje Erick estava feliz por voltar para casa e saber que Aline estava ali esperando por ele, não havia como negar Aline era o grande amor da sua vida.

Alguns dias se passam e a confeitaria de Aline só havia crescido, o número de encomendas aumentava a cada dia e enquanto isso na fábrica Andressa via o faturamento diminuir.

— Mas como assim? — Questionou Andressa a Erick (advogado).

— Bem Andressa, você demitiu alguns funcionários, a produção reduziu e você tem retirado muito dinheiro dos caixas das confeitarias além de enviar bolos e doces gratuitos para muitos amigos toda semana, o que você esperava? — Respondeu Erick (advogado).

— Ei, ei, ei! Baixa o tom para falar comigo, eu sou a patroa! — Disse Andressa.

Erick (advogado) revira os olhos e é visível que ele já não suporta mais o comportamento de Andressa, o dinheiro havia a transformado em uma mulher completamente ignorante e soberba, Erick (advogado) pensou se aquilo valia o emprego dele e tomou uma decisão.

— Já chega Andressa, você vai afundar tudo o que Aline construiu e eu não vou participar disso, eu me demito! — Declarou Erick (advogado).

— Pois vá, eu não preciso de você! — Respondeu Andressa.

Na confeitaria de Aline ela recebe uma visita de Erick.

— Bom dia minha flor de margarida! — Disse Erick dando um beijo apaixonado em Aline.

— Bom dia, meu Doce de Whey! — Respondeu Aline.

— Vem cá, rola um cafezinho para o seu maridinho? — Questionou Erick.

— Claro que sim, sente ali na mesa que eu já vou preparar. — Respondeu Aline.

Enquanto Aline prepara o café Afonso chega para mais uma entrega, sim Afonso saiu do hospital e já estava trabalhando com Aline, além de Afonso, Aline tinha mais dois funcionários que a auxiliavam na confeitaria era uma garçonete e um confeiteiro.

— Bom dia irmãozinho, e ai fazendo muita entrega. — Perguntou Erick.

— Muita Erick, graças a Deus a gente não para! — Disse Afonso carregando mais um bolo para entrega.

— Partiu, até mais! — Completou Afonso se despedindo.

Na fábrica Erick (advogado) termina de juntar seus pertences, ele abre um armário para retirar seu diploma e derruba uma pasta de documentos.

— Ah droga! — Disse Erick (advogado).

— Mas o que é isso aqui? Espera um pouco, é um documento de anulação de transferências de bens! — Disse Erick (advogado).

— E está assinado pela Aline, e reconhecido em cartório! — Completou Erick (advogado).

— Mas como eu tenho isso? — Erick (advogado) começa a pensar.

Como ele tinha aquele documento e porquê? Erick pensa e repensa e então começa a se recordar, na época em que Aline abriu a fábrica Erick fez o documento com medo que Aline leva-se um golpe do primeiro investidor que ela conseguiu, seus bolos eram um sucesso por toda a Rio de Janeiro e Erick precisava garantir que ninguém tiraria isso dela, porém o tempo passou e Erick guardou o documento e nunca mais mexeu, agora como se por um empurrãozinho do destino ali estava o documento, era a solução que todos esperavam ansiosos, Aline estava salva.

— Eu preciso mostrar isso para Aline! Agora! — Declarou Erick (advogado) saindo às pressas da fábrica.

Na confeitaria Aline está preparando o café de Erick e pensando em tudo pelo que passaram quando teve uma ideia, ela mudou de expressão na hora, Aline corre para mesa de Erick.

— Erick! Eu já sei! Eu já sei como vamos fazer para recuperar nossos bens! — Declarou Aline animada.

— O que? Como? — Disse Erick confuso.

— As câmeras Erick, as câmeras da loja de suplementos a Andressa nos fez assinar o documento no caixa da loja, nós só precisamos das imagens, assim a gente prova que ela nos enganou! — Disse Aline.

— As câmeras?! É isso mesmo, as câmeras vão mostrar tudo o que ela fez e falou, quando ela mentiu que era um pedido, Aline você é um gênio! — Declarou Erick beijando Aline.

No caminho para a confeitaria de Aline, Eick (advogado) liga para Raul e pede para que o namorado o encontre na confeitaria. Erick (advogado) não consegue tirar o documento da cabeça, ele não vê a hora de contar a Aline que ela pode recuperar a fábrica hoje mesmo, Erick (advogado) olha para o documento no banco do carro e não consegue acreditar que enfim tudo irá se resolver, tudo será como antes e em meio a essa distração de Erick um trágico acidente acontece, Erick não percebe um carro ultrapassar em local proibido e acaba chocando-se contra ele, Erick teria tempo de desviar, mas sua atenção a pasta de documentos no banco o impediram. Erick é levado ao hospital e a perícia chega ao local e faz seu trabalho, a polícia leva as pastas e pertences de Erick a delegacia.

Na confeitaria Raul chega, Natalia e Taisa chegam junto a ele pois Aline havia chamado as duas para contar sobre o plano das câmeras, Raul avisa a todos que Erick (advogado) também mandou avisar que tem novidades boas sobre o caso, todos esperam a chegada de Erick (advogado), porém ele já deveria ter chegado, já faz algum tempo que ele ligou a Raul, todos começam a ficar aflitos. Afonso chega de uma entrega da confeitaria e vê todos reunidos e não sabe como começar a contar o que aconteceu.

— Pessoal, o que vocês todos fazem aqui? — Perguntou Afonso.

— Estamos esperando o Erick, ele disse para encontrarmos ele aqui, mas ele está demorando. — Disse Raul.

— Ah, o Erick, então… eu tenho uma notícia e não é boa. — Disse Afonso.

— O que foi Afonso? Aconteceu alguma coisa? — Questionou Aline.

— Sim Aline, eu estava voltando para a confeitaria e passei por um acidente de carro, eu posso estar errado, mas eu acho que era o carro do Erick. — Revelou Afonso.

Todos ficam em choque e correm para o hospital, a notícia do acidente de Erick (advogado) abalou a todos, principalmente Raul que estava desolado. Chegando ao hospital as notícias foram piores, Erick bateu a cabeça no acidente e infelizmente está em coma, aquilo acabou com todos, Erick em coma, como isso poderia ter acontecido? E pela irresponsabilidade de um indivíduo que ultrapassou em local proibido, todos estavam desolados, sem chão.

Após um tempo Aline convida Raul para ir ao apartamento dela e de Erick, mas Raul se nega a sair do hospital, Natalia diz que ficará com ele no hospital, Aline, Taisa e Erick partem para casa, Erick vai para o trabalho noturno e Aline começa os preparativos para o dia seguinte, Aline sempre leva os primeiros bolos da manhã prontos de casa, mas essa noite era diferente, Aline estava triste e não conseguia se concentrar.

No Hospital a polícia entrega os pertences de Erick (advogado) a Raul, junto aos pertences há uma pasta de documentos, dentro da pasta está o documento que salvará Erick e Aline, mas Raul está sem chão e se quer abre a pasta, a única coisa que ele faz é chorar e rezar pela vida do namorado.

Estamos quase lá!

Agora Sim… Felizes para Sempre já está saindo do forno, o capítulo final da trilogia Descobrindo o Amor vai nos apresentar o desenrolar da trama após os acontecimentos do segundo livro, O Preço de um Segredo.

Felipe está completamente fora de controle e fará de tudo para se vingar de Vitória, Pedro, Erick e Aline. Os assassinatos continuam, assim como despedidas emocionantes de outros personagens, nesse livro todos os segredos serão finalmente revelados e o tão aguardado final feliz surgirá.

Agora Sim… Felizes para Sempre será lançado em vinte de julho de 2022 e estará disponível no site do clube de autores e também nas melhores livrarias online como Amazon, Submarino E Americanas.

Agora Sim… Felizes para Sempre!

Por: Fábio Anhaia.

O grande dia está chegando e você não pode ficar de fora, Agora Sim… Felizes para Sempre é o terceiro e último livro da trilogia Descobrindo o Amor, e agora, estamos próximos de descobrir o desfecho final dessa história. Com muito amor, bolo, Whey e tensão, você vai se surpreender com os fins dos nossos personagens.

Aline e Erick retornam para juntar-se a Pedro e Vitória a parte final da trilogia, juntos eles terão que enfrentar as maldades tramadas por Felipe. Andressa também retornará no terceiro livro e juntos vamos descobrir o desfecho surpreendente da personagem.

Então não perca! O lançamento oficial é em 20 de julho de 2022.

Top Cinco Novelas de Walcir Carrasco

Por: Fábio Anhaia

Walcyr Carrasco é um novelista, escritor, jornalista, dramaturgo e autor de telenovelas brasileiro. Hoje vamos apresentar a vocês meu Top Cinco das melhores novelas de Walcir Carrasco.

05 – A Dona do Pedaço

Maria da Paz é uma jovem humilde que vem de uma família de justiceiros profissionais e que se apaixona justamente por um membro do clã rival nos negócios, o advogado Amadeu. A violência e a sede por vingança das famílias travam este grande amor.

04 – Alma Gêmea

História do amor eterno de um homem e uma mulher tragicamente separados e que, após 20 anos, voltam a se encontrar quando ela reencarna em um novo corpo. A trama tem tons de comédia neorrealista italiana na abordagem dos conflitos familiares.

03 – O Cravo e a Rosa

A novela é ambientada na São Paulo dos anos 1920 e narra o conflituado romance entre o rude caipira Julião Petruchio e a geniosa Catarina, moça com ideias feministas e a filha mais velha do banqueiro Nicanor Batista.

02 – O Outro Lado do Paraíso

Clara vive no Jalapão com o avô e se apaixona por Gael, herdeiro de uma família de Palmas. O rapaz se revela um homem muito agressivo e torna a vida dela um inferno. Sua sogra, uma mulher manipuladora, tenta fazer com que Clara seja compreensiva.

01 – Chocolate com Pimenta

Uma doce e humilde moça, ridicularizada por todos, se transforma em uma linda milionária ao se casar com um grande e generoso amigo.

Descobrindo o Amor: Capítulo 10 – Os investidores.

Capitulo 10 – Os investidores.

Após o casamento Aline e Erick vão para o apartamento do rapaz, não era um apartamento ruim, muito pelo contrário, o condomínio era bem frequentado, o apartamento era grande, mas mesmo assim ainda era bem inferior ao apartamento de Aline no Leblon.

— Bem-vinda ao lar! — Disse Erick abrindo a porta.

— Lar? Você chama isso de lar? — Respondeu Aline.

— Olha não fale assim da minha casa, eu batalhei muito para conseguir. — Revelou Erick.

— Está bem, me desculpe, não quis te ofender. — Disse Aline.

— Só que eu tenho um apartamento no Leblon, nós poderíamos morar lá! — Completou Aline.

— Aline, eu aceitei casar com você e estou fazendo de tudo para mantermos uma boa convivência, mas uma coisa é certa, eu não vou sair da minha casa! — Disse Erick.

Os dois então vão ao quarto de Erick, Aline pede por um banheiro, precisava tomar banho, o dia foi cansativo e ela não aguentava mais, Erick mostra a ela o banheiro, Aline toma um banho quente, põem uma camisola e sai do banheiro, quando chega ao quarto tem uma surpresa, Erick está deitado na cama.

— O que você está fazendo? — Questionou Aline.

— Eu usei o banheiro principal e tomei banho lá, agora estou deitado, na minha cama. — Respondeu Erick.

— E eu vou dormir onde? — Perguntou a jovem.

— Do meu lado, estamos casados! Dormiremos na mesma cama, qual o problema? — Disse Erick.

— O problema é que esse casamento é de mentira! — Declarou Aline.

Erick então se levanta pensativo, se aproxima de Aline e a moça fica arrepiada.

— De mentira? — Disse Erick.

— Você realmente ainda está tentando se enganar? — Completou Erick.

— Erick… eu… — Dizia Aline.

— Eu não farei nada que você não queira Aline, mas quero que saiba que para mim esse casamento já não é mais de mentira! — Declarou Erick.

— É, para mim também não! — Disse Aline beijando Erick em seguida.

Os dois se amam a noite toda como deve ser na noite de núpcias de qualquer casal, Aline finalmente se entrega a Erick que retribui a entrega, os dois se amam como se fossem apaixonados de vidas atrás, e talvez fossem, bem era o que Aline pensava. Aline sempre acreditou em vidas passadas e acredita que grandes amores se reencontram na reencarnação, ela sabia que Erick era seu grande amor.

No outro dia eles levantam cedo e começam suas vidas de casados, Aline vai a fábrica para verificar sobre a chegada dos investidores e Erick parte para a loja de suplementos. Na loja, quando Erick entra não escapa das piadas de seus funcionários, mas não liga, nada importava mais, ele estava apaixonado pela fera sim e isso era maravilhoso.

Na fábrica Aline chegou com um sorriso de orelha a orelha, Taisa e Erick (advogado) é claro logo perceberam.

— Que sorriso é esse em? — Questionou Taisa.

— Aposto que é por conta da noite de ontem, foi boa não foi? — Completou Erick.

— Ahhh Erick, foi incrível! — Respondeu Aline deixando os advogados em choque.

— Sério? Mas vocês? — Disse Erick.

— Siiiiimm, nós estamos casados!! — Declarou Aline apaixonada.

— Uau, quem diria em. — Disse Taisa.

— É, quem diria! — Completou Aline.

— Mas e ai? Os investidores? Estão chegando, já organizaram um carro para ir busca-los? E o hotel? — Questionou Aline.

— Sim, está tudo pronto para recebê-los, não se preocupe com isso. — Respondeu Taisa.

— É, eles desembarcam hoje e amanhã eles virão até a fábrica para apresentarmos a situação das filiais, balanços e tudo mais. — Completou Erick.

— Ótimo, nada pode dar errado. — Disse Aline.

De volta a loja de suplementos, Andressa chega para trabalhar, é visível a tristeza em seu olhar e Erick sabia muito bem o motivo, mas o que ele poderia fazer ele sempre a viu como uma irmãzinha e nunca olhou para ela como mulher. Andressa sobe até o banheiro da loja para pôr o uniforme, quando desce encontra Erick no caixa da loja.

— Bom dia! — Disse Erick.

— Bom dia! — Respondeu Andressa.

— Tudo bem? Você não apareceu no casamento ontem. — Questionou Erick.

— E como eu poderia, Erick eu te amo e jamais vou aceitar esse casamento repentino com a doceira. — Disse Andressa.

— Andressa, eu não quero brigar com você, você precisa aceitar, eu amo a Aline e nada que você me disser vai mudar isso, eu nunca te olhei como mulher, você é como uma irmã para mim. — Respondeu Erick.

Andressa baixa a cabeça e começa a mexer em umas notas de produtos que haviam chegado na loja, ela começou a observar detalhe por detalhe da nota como se estivesse planejando algo. Erick sobe para o escritório e manda chamar Afonso, no escritório Afonso recebe uma notícia, ele irá trabalhar no Delivery da Fit for Fit, Afonso ficou muito animado com a notícia, ele gostava de motos e poder andar o dia todo era fenomenal.

— Que bom que você gostou, então pode descer o Pedro já está separando as primeiras entregas do dia. — Disse Erick.

— Tudo bem, obrigada Erick, por tudo que tem feito. — Respondeu Afonso.

Na fábrica Aline recebe a notícia de que os investidores já estão instalados no hotel, ela manda que enviem doces e uma carta de boas-vindas. No hotel os investidores recebem as boas-vindas de Aline mas tem uma conversa.

— Você acha que ela pode estar nos enganando? — Questionou um dos investidores.

— Eu não sei, mas acho estranho o casamento acontecer um dia antes da nossa chegada. — Respondeu o outro.

— Vamos pega-la de surpresa, vamos até a fábrica! — Declarou Robert, um dos investidores.

— Ok, vamos lá! — Concordou Jason o outro investidor.

Na loja de suplementos Afonso termina de carregar as primeiras entregas, ele está animado para sair, Pedro entrega a ele as últimas sacolas.

— Aqui Afonso, essas são as últimas de agora. — Disse Pedro.

— Certo, vou indo então, seremos o Delivery mais rápido do Rio de Janeiro, escreve aí. — Disse Afonso saindo com a moto.

— TOMA CUIDADO!! — Gritou Pedro enquanto Afonso saia para as entregas.

Na fábrica Aline tem uma surpresa, os investidores chegam para uma visita, mas uma visita sem agendar? Estava tudo combinado para amanhã, Aline não estava nem vestida adequadamente para recebê-los, devem estar investigando concluiu Aline em seus pensamentos. Aline manda avisar Erick da visita dos investidores, ela sabia que eles iriam querer conhece-lo então se adiantou e mandou o recado para Erick.

Na loja de suplementos Erick recebe o aviso de Aline e segue até a fábrica onde Aline já está recebendo Robert e Jason, na sala de Aline eles conversam sobre a fábrica, os rendimentos, lucros, despesas, funcionários, enfim tudo o que Robert e Jason precisam saber antes de investir, mas é claro que eles não esqueceriam de questionar o fato de Aline se casar um dia antes da chegada deles.

— Bem, eu sei que parece curioso, mas eu já estava com a data agendada desde o ano passado, eu e meu marido nos conhecemos quando eu cheguei ao Rio de Janeiro. — Disse Aline.

Erick entra na sala sem nem bater, o que assusta os investidores, ele da bom dia e vai até Aline e a beija deixando-a sem reação. Os investidores estranharam, mas ao mesmo tempo concluíram que nenhum casal falso faria esse tipo de coisa, esses tipos de intimidades só acontecem em casais que se conhecem a tempos.

— Ah, me desculpem, eu acabei pegando por mania entrar sem bater, sabe é tanto tempo juntos que a gente acaba se excedendo. — Disse Erick.

— É, mas nós estamos trabalhando isso, não é meu amor, tem que bater na porta antes de entrar! — Disse Aline.

— Bem, esse é Erick, ele é meu marido. — Disse Aline.

— Ah, é um prazer Senhor Erick, mas é Erick de que? — Questionou Jason.

— Erick Candido Pin… — Dizia Erick até ser interrompido por Aline.

— Não importa não é mesmo, então vamos descer conhecer a cozinha da fábrica? — Interrompeu Aline.

Erick olha para a amada com um ar de risos, os quatro descem para a cozinha e os investidores se apaixonam pela fábrica de Aline, ela era uma fábrica de dar inveja a qualquer confeiteiro, tudo era organizado, todos trabalhavam felizes e o aroma dentro da fábrica era como se estivessem confeitando em casa. Robert e Jason ficam felizes.

— Amanhã retornamos, veremos a documentação dos gastos e lucros da fábrica, foi um prazer conhece-los, são um belo casal! — Disse Robert.

Os investidores saem e Aline despede-se de Erick, agradece a ajuda e volta ao trabalho, Erick também retorna a loja de suplementos e ao chegar lá encontra Afonso saindo com a segunda remessa do dia, aquele dia estava fantástico, tudo corria muito bem, Aline e Erick se acertando, os investidores estavam satisfeitos e as lojas de Erick estavam a todo o vapor, sim as lojas, não era só a matriz que fica em frente a fábrica não, todas as lojas estavam vendendo muito.

No hotel os investidores conversam sobre Aline e Erick, será que o casamento era real, bem Erick e Aline pareciam ter bastante intimidade, não há motivos para desconfiança, pensava Jason.

— Amanhã vamos verificar os relatórios! — Disse Jason.

— Você encontrou algum motivo hoje para não investir? — Questionou Robert.

— Não sei, ainda acho estranha essa história do casamento, mas eles pareciam ter bastante intimidade. — Respondeu Jason.

— Acho que não há problemas, a fábrica parece render muito e as filiais, você viu quantas tem, são muitas lojas no Rio de Janeiro, três em São Paulo e duas no Rio Grande do Sul, elas devem render muito. — Disse Robert.

— Parece um excelente investimento Jason! — Completou Robert.

— É, realmente! — Concluiu Jason.

No dia seguinte eles chegam a fábrica cedo, afinal há muitos papéis a serem analisados e Robert e Jason querem ver um a um pessoalmente, eles analisam muito bem seus investimentos e é por isso que fecham ótimos negócios, são investidores renomadíssimos. No fim da Analise eles chamam Aline, Taisa e Erick (advogado).

— Concluímos as análises, precisamos de um tempo, uns dois dias e ai daremos a resposta, mas pode considerar negócio fechado Aline, suas empresas são muito bem administradas e a fábrica rende muito. — Disse Robert.

— Ah, fico feliz com a notícia, esse investimento será muito importante para mim, vocês não fazem ideia, poder expandir minhas confeitarias para outras regiões do país é um sonho! — Declarou Aline.

Os investidores voltam para o hotel e Aline corre para a loja de suplementos contar a novidade a Erick, quando chega a loja dá de cara com Andressa que não gosta nada de ver Aline ali e ainda mais toda feliz, Erick desce do escritório e vai ao encontro de Aline que quando o vê corre e dá um beijo em Erick, Andressa revira os olhos e volta para o caixa da loja. Aline conta a Erick a novidade que vibra de alegria com a amada, que dia estavam vivendo Aline e Erick, mais um dia onde tudo estava dando certo, a alegria tomava conta dos dois, até que Erick recebe uma ligação.          

A ligação era do hospital, Afonso acabará de dar entrada na emergência pois havia sofrido um acidente, Erick questionava o enfermeiro sobre a gravidade, porém o mesmo ainda não tinha resposta.

— Eu estou indo pra aí! — Disse Erick aflito.

— Indo para onde? O que aconteceu? — Questionou Aline.

— Afonso deu entrada no hospital, ele sofreu um acidente, eu preciso ir lá. — Respondeu Erick.

— Eu vou com você, olha seu estado, não pode dirigir. — Disse Aline.

No caminho do hospital Erick chora, agora que ele e o irmão estavam se dando bem, porque isso aconteceu, estava tudo se arrumando, tudo estava dando certo, aquilo não podia ser real. Aline consolava Erick.

— Fique calmo, vai ficar tudo bem, Afonso é jovem, é forte, ele vai sair dessa! — Disse Aline.

— E além do mais, ainda não sabemos a situação, não devemos nos preocupar à toa. — Completou Aline.

Mas Erick só conseguia pensar no pior, e quem não pensaria no lugar dele, ele sabia exatamente como Afonso era, não tinha cuidado algum no trânsito, e o trânsito do Rio de Janeiro, ah esse trânsito caótico do Rio de Janeiro. Erick fechou os olhos e em meio as lágrimas começou a rezar, por que a fé move montanhas, a fé salva, a fé transforma e Erick tinha uma fé gigantesca.

Lendas Urbanas: Carona do Além

Fonte: fantasia.fandom.com

No Dia de Finados, uma mulher está voltando de uma visita que fez para sua tia, já falecida e enterrada no Cemitério do Gama. No caminho de volta, ela, avista na beirada da estrada, um homem de terno preto com o rosto todo desfigurado, acenando querendo carona.

Assustada com aquela criatura horrorosa, a moça acelera o carro e sai cantando pneu pela estrada, naquela escuridão. Atormentada com o Fantasma que a pedia Carona, a cada quinze minutos, o Fantasma, aparecia na beira da estrada lhe pedindo Carona, e ela acelerava ainda mais, inconformada e nervosa com a perseguição que o Fantasma lhe fazia.

Chegou um certo momento na Estrada, que o pneu do Carro de Paula explodiu, após ela sem querer cantar tanto pneu, com os sustos do Fantasma, que o pneu estava a cada vez mais careca e acabou explodindo. Sozinha e sem pneu para o carro, e ainda mais, com medo, Paula, vagarosamente saiu do carro, para procurar alguém que poderia lhe ajudar a arranjar um pneu novo, mas em volta, havia só mato, mato e mais mato, e ela a cada vez mais apavorada e com medo do espírito aparecer de novo.

Andando mais um pouco, ela encontrou um pequeno rancho e lá dentro um homem trabalhava, ela chegou mais próximo e contou ao homem o que lhe acontecera, o homem era engenheiro, e ali dentro do rancho, havia um pneu que o homem não usava, a acompanhou e colocou o pneu no carro dela, mais aliviada, ela pediu obrigado e seguiu viagem, quando estava no caminho, e foi olhar para o espelho, no banco de trás, ela viu o Homem que estava lhe pedindo carona, sentado. Sem reações e aflita de medo, ela o perguntou:

— Porque você me segue?

E ele respondeu:

— Custa dar uma carona para mim? Estou indo para onde você vai!

Ou seja, o que ele quis dizer, é que iria de volta para o Mundo dos Mortos, e ela também pois estava morta, quando sofrera um acidente de carro, minutos antes, deste Fantasma lhe começar a pedir carona, o que aconteceu é que quando o espírito sai do corpo e ele não encontra seu corpo morto, ele pensa estar vivo.

Descobrindo o Amor: Capítulo 9 – O casamento

Capitulo 9 – O casamento

Após a conversa todos voltam ao trabalho, Erick mostra a Afonso como tudo funciona na loja, as vendas físicas, as vendas online, o sistema, controle de caixa, estoques, enfim tudo que ele precisava saber, após essa apresentação Erick e Afonso saem mais cedo, Erick precisava se organizar para o casamento que aconteceria no dia seguinte, tinha que provar o terno, fazer a barba, cortar o cabelo, tudo isso em uma tarde. Na fábrica Raul e Natalia chegam animadíssimos, era hora de levar a Aline para um “SPA-House” um tipo de SPA feito pelos dois para o “pré-casamento” da amiga;

— Chegamoooos — Disse Raul entrando porta a dentro.

— Oi amiga, está pronta? — Completou Natalia.

— Gente, eu já tinha esquecido, aconteceu tanta coisa essa manhã que eu nem lembrava do casamento. — Respondeu Aline.

— Pois é para isso que estamos aqui, bora relaxar! — Disse Raul e os três saem.

A tarde foi longa, Erick viveu um dos melhores dias da sua vida ao lado de Afonso, eles fizeram diversas coisas juntos e se divertiram muito. Por outro lado, a tarde de Aline não ficou para trás, ela teve uma tarde de Rainha ao lado de Raul e Natalia. Erick e Aline estavam prontos para se casar.

— Essa tarde foi incrível Afonso, a anos não conversávamos tanto assim, tem mais uma coisa que preciso te contar. — Disse Erick.

— O que? — Questionou Afonso.

— Eu e a Aline, nós estamos nos casando por conta de um negócio milionário que ela vai fechar. — Revelou Erick.

— O que? Vocês não estão juntos? Você não ama ela? — Perguntou Afonso.

— Aí é que está, eu pensava que não, mas hoje ela me beijou e tudo mudou, não sei Afonso eu acho que estou apaixonado. — Disse Erick.

— Mas Erick, você tem certeza? Não foi o calor da emoção? Pelo que o Pedro me contou, vocês vivem brigando. — Disse Afonso.

— Não, o que eu senti foi algo inexplicável, eu nunca senti nada parecido nenhuma das outras vezes que beijei. — Disse Erick.

— Bom, então esse casamento não será tão ruim não é mesmo? — Declarou Afonso.

— Não, eu acho que depois de tanto tempo, eu finalmente estou amando Afonso. — Concluiu Erick bebendo uma taça de vinho com o irmão.

No apartamento de Aline a conversa era a mesma, ela contou sobre o beijo a Natalia e Raul que simplesmente surtaram de alegria, eles revelaram que já sentiam que Aline gostava do Erick desde quando a amiga resolveu ajudar o rapaz.

— Aí gente, então vocês acham que eu me apaixonei por aquele brutamontes? — Questionou Aline.

— Eu tenho é certeza! — Respondeu Natalia.

— Apaixonada não, você está doida por ele! — Declarou Raul.

— Mas quem não estaria, olha para aquele homem, ele é um Deus grego. — Completou Raul.

— Bom, não posso mentir, ele realmente é lindo Aline. — Disse Natalia.

— Eu só lamento não poder pegar ele depois do negócio estar fechado, já que você não vai mais se divorciar. — Concluiu Raul.

— Ei, vamos com calma, vamos ver onde isso vai dar. — Disse Aline encerrando a conversa.

No dia seguinte todos acordam cedo, finalmente havia chegado o grande dia, o dia do casamento de Aline e Erick e o dia prometia grandes emoções e é claro, confusões, os problemas começaram cedo, Aline acorda e recebe uma notícia que pode ser uma tragédia.

— O que? Não pode ser verdade? Mas como isso aconteceu? — Questionou Aline.

— Calma amiga, a gente vai dar um jeito, eles não entregaram ontem porque a dona da loja garantiu que estaria aqui hoje pela manhã, mas quando ela foi enviar descobriu que havia sumido! — Disse Natalia.

— Sumido? Mas isso é um absurdo, você precisa encontrar, ela que me mande outro! Eu exijo! — Declarou Aline.

Mas o que será que havia sumido, a eu garanto que era algo importante, aliais é algo fundamental num casamento, mas Aline havia encomendado na melhor loja do Rio de Janeiro, como eles poderiam ser tão incompetentes a ponto de perder? Mas isso não poderia ficar assim, Natalia e Raul teriam de agir e foi o que eles fizeram, saíram as catas de um vestido de noiva. Sim o vestido de noiva de Aline havia sumido, evaporou, desapareceu, mas do outro lado da cidade outra tragédia atormentava Erick, porque sim, seu terno e sapato, sumiram da mesma forma misteriosa que o vestido de noiva de Aline, mas quem poderia ter feito isso, como poderiam ter coragem, pois bem a resposta era óbvia tem um dedo de Andressa ai no meio, mas será? Ela teria essa audácia toda? Era o que Raul e Natalia iriam descobrir.

Natalia e Raul saem as catas de Andressa, eles ligam a Pedro que passa o endereço dela, chamam um uber e vão atrás da moça, chegando ao endereço Natalia e Raul tocam a campainha e quando a porta se abre, uma surpresa para Andressa.

— Oi Andressa! — Disse Natalia.

— Será que a gente pode entrar! — Completou Raul entrando mesmo sem a resposta de Andressa.

— Mas o que significa isso, vocês estão pensando o que? — Disse Andressa.

— Não estamos pensando nada, nós temos é certeza, onde está o vestido de noiva de Aline! — Declarou Natalia.

— Vestido de noiva? Do que vocês estão falando? — Questionou Andressa.

— AAAAAAHH garota, deixa de ser cínica, onde está?! — Disse Raul já perdendo a paciência.

— Eu não sei de vestido nenhum! — Disse Andressa.

— Pois bem, Raul segura minha bolsa! Eu vou arrancar esse vestido da língua dessa vaca! — Disse Natalia pulando sobre Andressa.

A confusão não durou muito, em meios aos tapas e pontapés em Andressa ela finalmente revela, mas a notícia não foi das melhores, Andressa havia queimado o vestido de Aline e o traje de Erick, as coisas não estavam indo muito bem, Raul e Natalia deixam o apartamento de Andressa e se deparam com um novo problema, como eles vão arrumar um vestido e um traje em cima da hora. Era momento de improvisar, eles se separam Raul vai para casa de Erick e Natalia volta para o apartamento de Aline.

No apartamento Aline estava mais que nervosa, o maquiador já não suportava retocar tanto a maquiagem, seus cabelos já não haviam laque que segurasse, mas finalmente Natalia chega.

— E então?? Encontrou?? — Questionou Aline.

— Encontrei! — Respondeu Natalia.

— Ah, graças a Deus, eu já estava desesperada! — Disse Aline aliviada.

— Pois é… Aline… ele estava com a Andressa, e… ela… — Dizia Natalia.

— A Andressa? Mas como, pare de gaguejar Natalia diga logo, conseguiu recuperar? — Disse Aline aflita novamente.

— Ela queimou! Queimou o vestido e o traje de Erick, não sobrou nada amiga. — Revelou Natalia.

— O QUE?? EU MATO ELAAA!! — Gritou Aline.

— Calma Aline, agora não é hora para escândalos, precisamos resolver o problema da roupa de vocês! — Falou Natalia tentando acalmar a amiga.

— Você tem razão, mas o que vamos fazer Natalia? — Questionou Aline.

— Eu vou dar um jeitinho nisso! — Declarou Natalia.

Natalia abre o closet de Aline e começa a olhar peça por peça, ela pega o celular e faz uma chamada de vídeo para Raul que atende já no apartamento de Erick.

— E ai Raul, como vamos resolver? — Questionou Natalia.

— Amiga, você não tem noção, o Erick só tem um blazer, o resto do guarda roupa dele é todo de camisetas, calções e calça jeans! — Revelou Raul.

— Então vamos ter que improvisar! Você me entendeu, não é? — Perguntou Natalia.

— Ahhh, entendi sim! — Respondeu Raul.

Eles desligam a chamada e começam uma operação, Raul revira o guarda roupa de Erick e encontra uma camiseta básica branca, um calção de sarja branco e o blazer branco que ele tinha, nos pés ele usou tênis mesmo, bem despojado. No apartamento de Aline, Natalia encontra um vestido de festa lindo da amiga, todo branco, ela pega uma tesoura e manda a ver, a peça chique virou uma peça despojada e bem moderna, Aline estava pronta, assustada com o que Natalia e Raul estavam planejando, mas confiante pois os amigos a salvaram.

Todos partem ao casamento, no caminho Erick começa a ficar nervoso, sim ele estava daquele jeito que todos os noivos ficam momentos antes do casamento, a ficha finalmente estava caindo. Por outro lado, Aline estava com mais raiva de Andressa do que nervosa, Andressa achou que poderia estragar o casamento de Aline e Erick, mas não contava com os talentos de Raul e Natalia.

Chegando ao local da cerimônia, os convidados já estavam entediados, a demora era tanta que até o juiz de paz e as testemunhas sentaram à beira do altar, finalmente eles chegaram, todos se recompõem e Erick entra no salão. Todos ficaram chocados com o traje de Erick, pois não se esperava menos, um noivo de calção e tênis, bem era o que as circunstancias ofereciam. Agora era vez de Aline, ela entra no salão com seu pai, Erick olha para ela e não consegue descrever tamanha beleza, Aline estava magnifica, Natalia havia feito algo fenomenal e isso era visível, não era um vestido de noiva, era algo melhor, era algo moderno e encantador.

— Meu Deus! Eu arrasei nesse vestido! — Cochichou Natália.

— Realmente! Mas não tire meus méritos, o Erick também está uma gracinha! — Revidou Raul.

— O que seria da Aline sem nós! — Declarou Natalia.

— O que seria da moda sem nós! — Decretou Raul.

Aline segue em direção ao altar:

— Bom, aqui estamos nós. — Disse Erick.

— É, aqui estamos nós! — Respondeu Aline.

Os dois se viram para o juiz de paz, e o mesmo inicia a cerimônia. Após todos os protocolos finalmente chegamos a pergunta principal.

— Aline Aparecida Ferreira, você aceita Erick Candido Pinto como seu legitimo esposo? — Perguntou o juiz.

— Pinto! Espera aí, você… seu sobrenome é Pinto? — Questionou Aline em choque.

— É, é sim, mas porque essa pergunta agora? — Perguntou Erick estranhando.

— Não, não vai dar! — Respondeu Aline.

Todos então se levantam e se espantam com a resposta de Aline, como assim “não vai dar” os convidados estavam em choque.

— O que?? E por que não vai dar?? — Questionou Erick.

— Porque não combina, meu querido, seu sobrenome não combina comigo! — Respondeu Aline.

— Aline, que história é essa de sobrenome não combina?? — Questionou Taisa.

— Você está maluca? — Completou Erick (advogado).

— Não, quem está maluco sou eu de querer casar com essa fera sem noção! — Disse Erick.

— Fera é a sua avó!! — Respondeu Aline deixando a avó de Erick surpresa.

— Eu é que não caso com você seu brutamontes! — Completou Aline.

O juiz de paz observa toda aquela confusão e encontra um jeito de terminar.

— Pois bem Aline, então você não quer se casar com esse brutamontes, não é mesmo? — Questionou o Juiz.

— Sim! — Respondeu Aline brava.

— E você Erick também não quer se casar com essa fera, não é mesmo? — Perguntou o Juiz.

— Sim! — Respondeu Erick emburrado.

— Pois bem eu vos declaro marido e mulher! Pode beijar a noiva! — Disse o Juiz, afinal os dois responderam sim.

— O que?? — Perguntaram os dois simultaneamente.

— Estão casados e agora me deem licença porque temos uma festa cheia de doces e bolos para aproveitar, acreditem em mim, vocês ainda vão me agradecer por tê-los casado. — Respondeu o Juiz.

Todos assinam os papéis e finalmente, após um pequeno golpe do juiz, Aline e Erick estavam casados. Todos vão para a festa e aproveitam ao máximo, inclusive Aline e Erick, eles não imaginavam que a festa seria tão boa, recheada de pessoas que gostam deles, foi um dia feliz, talvez esse casamento não fosse tão ruim quanto Aline pensava.

A Última Existência: Texto II – A Outra Terra

Texto II: A Outra Terra. (Autor desconhecido, texto retirado da internet)

Sinto falta do céu azul
E de só um sol amarelo
De pássaros voando para o sul
E das florestas de verde singelo
Vejo a noite estrelas estranhas Sem uma lua cinza a brilhar
Cidades em cúpulas tamanhas
Onde o vento não pode brincar
Apenas o deserto esta lá fora
Sem nenhum ser vivo para olhar
No céu uma gigantesca e verde esfera Com anéis e uma lua azul a girar
Vejo no velho banco de dados
Imagens de nossa mãe Terra
O lar azul donde fomos tirados
Pela ignorância de uma guerra
Hoje ela gira solitária
Sem a humanidade que criou
Pois o inimigo pária
Até hoje nela ainda não habitou
Nossas cidades e monumentos Estão em total abandono
Corroídos pelas chuvas e ventos Tendo a natureza por dono
Não sei quando irá mudar
Os rumos desta guerra
Mas espero poder voltar
Para a nossa mãe Terra

Google Imagens

Descobrindo o Amor – Capítulo 8: Acerto de Contas.

Capítulo 8: Acerto de Contas.

No meio do beijo Aline volta a realidade, ela empurra Erick e se afasta, como ele poderia ter feito isso, ele não tem esse direito. Mas o fato é que ela gostou e isso a assustava, como ela poderia gostar do beijo de um brutamontes como ele.
— Aline, eu… me desculpe, eu não queria… — Disse Erick.
— Não queria?? Eu achei que… — Disse Aline.
— Achou? — Perguntou Erick.
— Nada, é melhor eu ir, a gente se fala mais tarde. — Respondeu Aline saindo do escritório.
Erick ficou pensativo, a emoção havia tomado conta dele e por isso a beijou, mas seria possível ele estar apaixonado por aquela fera? Erick desconfiava, mas não queria assumir o sentimento. Na fábrica Aline pensa em seu escritório, ela ainda estava tonta do beijo que Erick a deu, era tudo muito confuso, mas ela gostou.
— Aline, com licença. — Disse Taisa entrando na sala.
— Ah, Taisa, você por aqui? Diga? — Disse Aline.
— Sim, você pediu para verificar da venda da filial, está tudo certo, o pessoal que comprou vai fazer um PIX ainda hoje, você falou com o Erick? — Questionou Taisa.
Mas Aline estava longe, não ouviu se quer uma palavra do que Taisa havia dito, era como se tivesse deixado seu corpo para traz e voado para bem longe.
— Aline? — Chamou Taisa.
— Hã? O que foi? — Disse Aline voltando a realidade.
— Você está bem? — Questionou a advogada.
— Sim, eu só… bem deixa para lá, o que você dizia? — Disse Aline.
— A venda da confeitaria, está tudo certo, o PIX vai ser feito logo e você e Erick já podem ir pagar a dívida do Afonso. — Respondeu Taisa.
— Ótimo, o Erick vem aqui mais tarde, agora se você puder me deixar um pouco sozinha. — Disse Aline.
— Claro, eu vou resolver alguns assuntos, até mais tarde. — Disse Taisa deixando a sala.
Na loja de suplementos não era diferente, Erick não tirava o beijo que havia dado em Aline da cabeça, estava difícil manter a concentração, Andressa o observava de longe e pensava consigo mesma que seu plano havia dado certo, Erick só podia estar pensando no beijo que ela deu a ele mais cedo.
— Erick? Eu queria me desculpar por mais cedo, é que eu não suportava mais saber que você e Aline… — Dizia Andressa.
— Andressa, está tudo bem, só não faz de novo. — Disse Erick.
— Eu e Aline vamos nos casar, então se você tinha alguma esperança, ou melhor, se algum dia eu te dei esperanças, me desculpe, mas não vai rolar. — Completou Erick tentando não magoa-la.
Andressa vê o mundo desabar aos seus pés, não conseguia acreditar em uma palavra que havia saído da boca de Erick, como eles poderiam se casar, e o beijo que ela o deu não serviu de nada? Ela o amava e sempre esteve ao seu lado como ele pode se casar com Aline, uma mulher que sempre o esculachou, sempre o humilhou, Andressa começa a chorar ela estava devastada, a única reação que teve foi correr e chorar. Erick pensou em segui-la, mas Pedro o impediu, ele havia ouvido parte da conversa e aconselhou Erick de que deveria dar um tempo a Andressa.
— É melhor você dar um tempo a ela Erick, eu sempre te disse que ela era a fim de você. — Disse Pedro.
— Eu sei, mas eu nunca senti nada por ela. — Respondeu Erick.
— Mas vem cá, o que a Aline veio fazer aqui? — Questionou Pedro.
— Ela veio me dar uma notícia Pedro, a melhor notícia do dia, ela encontrou um jeito de pagar a dívida do Afonso. — Respondeu Erick.
— Sério! Que bom, e como vai ser? — Perguntou Pedro.
— Sabe que eu não sei, aconteceu uma coisa e nós acabamos não conversando direito. — Respondeu Erick.
— Uma coisa? — Questionou Pedro.
— É, Pedro nós… nós nos beijamos. — Disse Erick.
— Beijaram?! Eu sabia, sabia que vocês se gostavam. — Disse Pedro animado.
— O que? Não, foi só o calor da emoção, não foi nada demais. — Respondeu Erick.
— Aaahhhh, está bem Erick, sabe o que eu acho? Você deveria levar flores a ela, vai lá, eu tomo conta da loja. — Disse Pedro.
— Você acha? Eu não sei e se… e se ela não gostou do beijo? — Questionou Erick.
— Da forma que eu vi ela sair daqui, não sei não. — Disse Pedro animando Erick.
— Tudo bem, eu vou até lá! — Declarou Erick.
Na fábrica Aline se recompõem e assina os papéis de venda da filial, o PIX já havia sido feito e os documentos já estavam prontos, após assinatura Taisa e Erick (advogado) vão até o cartório registrar a documentação para levar ao registro de imóveis. Erick compra um buque de flores e toma coragem de falar com Aline.
— O Erick está aqui!? Tudo bem deixe-o entrar. — Disse Aline a secretária.
Erick então entra na sala, ele estava um pouco encabulado e sem coragem de falar com Aline, mas já tinha caído em si, Pedro tinha razão ele estava apaixonado pela fera e agora já não tinha mais volta, era hora de se declarar.
— Erick, você por aqui? — Questionou Aline.
— Sim, eu vim para a gente conversar melhor, você disse que havia encontrado uma solução para pagar a dívida de Afonso. — Disse Erick.
— Ah sim, eu consegui o dinheiro. — Disse Aline.
— Conseguiu? Mas como? — Perguntou Erick.
— Eu vendi uma das minhas filiais Erick. — Respondeu Aline.
Erick fica chocado com a revelação, aquilo era mais que uma prova de amor a ele, porque ela venderia uma de suas filias para ajuda-lo se não estivesse apaixonada por ele, Erick estava certo e aquilo alimentou suas esperanças.
— Aline, eu… eu nem sei o que dizer. — Disse Erick.
— Bem, você pode começar me entregando esse buque. — Respondeu Aline com um sorriso no rosto.
Erick entrega o buque a ela e não tira os olhos daquele sorriso, ele nunca havia reparado que Aline tinha um sorriso tão lindo, aliais ele nunca havia reparado em quão linda Aline era, Erick havia formado uma opinião baseada em surtos da fera e isso fez com que ele nunca percebesse que por traz daquela fera havia uma linda mulher, uma mulher gentil e cheia de qualidades, era definitivo, Erick estava apaixonado.
— Aline, eu juro que vou te pagar, vou pagar cada real, nem que para isso eu tenha que trabalhar a vida toda, mas eu juro que te pago. — Disse Erick.
— Erick está tudo bem, isso a gente resolve no futuro, não pense nisso agora, vamos pagar essa dívida logo. — Respondeu Aline.
Erick então se aproxima de Aline, ele olha no fundo dos olhos da jovem e a deixa arrepiada, Aline não entendia o que estava acontecendo, nunca na vida alguém havia deixado ela assim, ela tentava lutar mas sabia que era em vão, era tarde Aline estava apaixonada.
— Erick… — Dizia Aline.
— Obrigada Aline, eu nunca vou esquecer o que você fez! — Disse Erick.
Aline e Erick estão prestes a se beijar, mas são interrompidos pelo telefone de Erick que toca. A ligação era de Afonso ele estava desesperado e não sabia o que fazer, não dormia a 2 dias de medo, Erick acalma o irmão e revela que vai pagar a dívida, eles marcam um ponto de encontro, Afonso ficou responsável de avisar ao dono do cassino clandestino o local do pagamento e Erick e Aline se dirigem para lá.
— Erick, vai dar tudo certo, fica calmo. — Disse Aline.
— É você tem razão, mas eu não sei por que estou sentindo um aperto no peito. — Revela Erick.
— Fica calmo vai dar tudo certo, vem eu dirijo. — Disse Aline.
Os dois entram no carro de Erick e seguem em direção ao local marcado, chegando lá eles encontram o mafioso e sua gangue juntamente com Afonso. Afonso não tinha jeito, estava lá com um sorriso de superioridade, ele havia conseguido novamente se livrar das dívidas e tudo graças ao sacrifício do irmão, bem, pelo menos é o que ele pensava.
— Aí está, eu não disse, ele chegou e vai pagar tudo que eu te devo, não vai faltar um centavo. — Disse Afonso observando Erick e Aline saírem do carro.
— É você tinha razão, seu irmão é um asno mesmo, pagar a dívida de um vagabundo como você, só sendo um asno mesmo. — Disse o mafioso.
— Ele nunca falha, é meu pote de ouro! — Declarou Afonso.
Aline e Erick se aproximam, o mafioso então passa a eles os dados para transferência, Aline efetua e finalmente Afonso está livre, livre para mudar, livre para trabalhar, para finalmente dar orgulho ao irmão, era o que Erick pensava, mas para Afonso aquilo significava outra coisa, significava que ele estava livre sim, livre para novas apostas, livre para novos empréstimos afinal ele sabia que se perdesse tudo Erick daria um jeito, até porque ele conseguiu mais de um milhão de reais em 3 dias, é nítido que Erick está bem de vida.
— Pronto, está feito, até nunca mais! — Disse Aline ao mafioso.
— Ora mocinha, não tenha tanta certeza, nos veremos ainda, pode apostar! — Declarou o mafioso.
— Pois eu não quero nunca mais ver essa sua cara de bolacha seca! — Disse Aline virando-se em direção ao carro.
— Anda Afonso, vamos! — Disse Erick.
— O que? Não, você já pagou a dívida, até mais Erick, vou viver minha vida! — Respondeu Afonso.
— Você vai vir comigo agora! — Disse Erick.
— E porque eu iria? — Respondeu Afonso.
— Por que nós temos que conversar. — Disse Erick.
Afonso não discute e vai com Erick, ele sabe que terá que ouvir um novo e longo sermão, mas sabia que após o sermão estava livre, ele voltaria ao cassino clandestino e contrairia novas dividas, estava ofegante, não via a hora de voltar a jogar. Por outro lado, Erick já planejava tudo que diria ao irmão, estava nervoso para saber o que Afonso responderia, Erick tinha as melhores expectativas e tinha
esperança que Afonso concordasse com tudo, que ele aceitasse o emprego na loja de suplementos e que se esforçasse para mudar.
Na loja de suplementos Erick leva Afonso até seu escritório, na sala de Erick estava Pedro, o sistema da loja travou e ele teve que efetuar as vendas do computador de Erick, mas Pedro sempre se virava, era o melhor funcionário de Erick ele sempre dava um jeito o importante era vender.
— Erick, Afonso! Tudo bem, eu estava efetuando umas vendas online aqui, mas eu já estou descendo parece que vocês precisam conversar não é mesmo? — Disse Pedro
— Ah, Pedro, senhor perfeição, modelo de pessoa, que prazer em revê-lo. — Disse Afonso em tom de deboche.
— Por mais que não acredite, é bom te ver Afonso, e espero que ouça tudo o que Erick tem a te dizer e por favor, não o desaponte. — Respondeu Pedro deixando a sala.
Mas quem Pedro pensa que é para falar assim com ele, o Erick é irmão de Afonso e a forma como eles convivem só diz respeito a eles, Pedro deveria tomar conta da sua vida e não da dos outros, era o que Afonso pensava. A conversa iniciou-se e Erick empolgado conta todos os seus planos para Afonso, ele se dispõe a ajudar o irmão a se livrar do vício dos jogos com o que for preciso, oferece o emprego na loja de suplementos e questiona Afonso o que ele acha. Afonso abismado olha para Erick e começa a rir.
— Mas do que você está rindo. — Pergunta Erick constrangido.
— Do que eu estou rindo? O que você acha Erick? Você nunca se importou comigo e agora quer me oferecer ajuda, quer me oferecer
emprego e um lar? Acho que é um pouco tarde para isso, eu não preciso de você! — Respondeu Afonso.
— O que? Não precisa de mim, Afonso eu acabei de pagar uma dívida milionária que era sua! Como você tem coragem de dizer que não me importo? — Disse Erick decepcionado com Afonso.
— VOCÊ NUNCA SE IMPORTOU, VOCÊ SEMPRE ME DEIXOU SOZINHO, VOCÊ TEM MAIS AFETO PELO PEDRO QUE POR MIM ERICK! — Gritou Afonso aos prantos.
Erick ficou completamente chocado com o desabafo de Afonso, ele sempre sentiu essa parcela de culpa, mas nunca assumiu, sabia também que Afonso tinha um certo ciúme por Pedro, mas nunca imaginou que chegaria a esse ponto, Erick sentiu a dor de Afonso e viu verdade nas palavras do irmão pela primeira vez, Erick sentia que a culpa era sua.
— Me desculpe Afonso, eu sei que nunca te dei a atenção que você merecia, mas não fiz por mau, eu sempre ralei muito para que você tivesse do bom e do melhor, para que estudasse, para que se formasse, eu não pude acompanha-lo na fase mais difícil da sua vida, quando perdemos a nossa mãe! Me perdoe por não sentir a sua dor, mas é para isso que estou aqui, para reparar esse erro, para consertar as coisas entre nós! — Disse Erick com os olhos cheios de lagrimas.
Afonso escuta tudo olha para o irmão e pensa, pensa sobre tudo o que Erick falou, ele nunca esteve do seu lado, Afonso teve que enfrentar a perda da mãe sozinho, mas é aí que uma luz se abre em sua mente, Erick estava falando a verdade! Ele sempre fez de tudo para que Afonso não passasse necessidade, ele brigou na justiça para que
não levassem Afonso para um orfanato quando a mãe morrera, ele trabalhou muito e conseguiu provar que tinha total condição de cuidar do irmão, e fez tudo isso sem nem ter tempo de viver o luto, Erick não pode nem chorar a morte da mãe por que sabia que Afonso dependia dele. Afonso chora e corre abraçar o irmão.
— Me perdoe Erick, me perdoe por favor, eu estava tão perdido em minha dor que não pensei na sua! Me perdoe! — Declarou Afonso.
— Eu é que te peço perdão, você era só uma criança e eu não te apoiei… — Dizia Erick.
— Mas me sustentou, me alimentou, Erick eu cai nessa vida porque estava cego, cego no meu luto, cego na minha solidão, e você sempre tentou me estender a mão… me perdoe por favor! — Disse Afonso.
— Está tudo bem, nós dois estávamos perdidos, precisávamos dessa conversa e nunca nos demos a chance, hoje estamos aqui, estamos nos resolvendo e a partir de agora somos um pelo outro, eu te amo Afonso e nunca esqueça disso, EU TE AMO! — Declarou Erick abraçando o irmão.
— EU TE AMO ERICK, e preciso da sua ajuda, não quero mais te decepcionar e aceito suas condições, mas por favor, me ajude! — Suplicou Afonso.
— Eu vou te ajudar, você vai sair dessa, vão haver buracos no caminho, mas eu estarei do seu lado e te levantarei! — Disse Erick.
Era essa a conversa, a conversa de uma vida toda, eles nunca haviam se dado a chance de conversar, de se explicar, Erick e Afonso se afastaram com a morte da mãe, mas agora seria diferente, eles estariam juntos no que der e vier.
Os dois se recompõem e descem até a loja, na loja Pedro está ansioso para saber a que pé a conversa havia chegado, Afonso se aproxima de Pedro e o abraça, sim ele o abraça para que esqueçam de qualquer magoa que possa ter ficado, Pedro e Afonso discutiram algumas vezes no passado, mas agora essas magoas ficam para trás pois Afonso está disposto a mudar e Pedro e Erick estão dispostos a ajuda-lo por que é assim que tem que ser, é assim que uma família deve ser!

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑