O Livro de Fofocas

Autor: Fábio Anhaia

Ainda não é nem o meio da manhã e a escola está um caos, há pessoas correndo, chorando de raiva, envergonhada, irritada, está um verdadeiro misto de emoções pelos corredores.

Mas o que causou toda essa confusão, ou melhor, quem causou toda essa confusão? Para apresentar-lhes a resposta vamos voltar a uma semana atrás durante a aula de literatura.

São nove e meia e Ricardo, Pedro e Joana estão no meio de sua aula de literatura.

— Um livro? Como vamos escrever um livro professora? — Questionou Ricardo.

— Não é um bicho de sete cabeças Ricardo, é só por em pratica tudo o que ensinei, se tiverem alguma dúvida estarei aqui para saná-la, e ainda há a apostila que pode auxilia-los durante o trabalho! — Respondeu a professora.

Durante o trabalho escolar os três amigos conversam sobre o possível tema que cada um escreveria.

— Escreverei um romance! — Declarou Joana.

— E eu uma aventura! — Disse Pedro.

— Eu não sei o que poderia escrever, não tenho a mínima ideia… — Choramingou Ricardo.

— Bem, você vai encontrar alguma coisa, não se preocupe ainda temos uma semana para divulgar os exemplares na escola. — Disse Joana.

O intervalo chega e todos vão para cantina.

— Aquele bar parece um formigueiro, tenho receio de entrar lá e nunca mais sair… — Disse Pedro enquanto os três observavam o montante de pessoas na fila da cantina.

— Pois é, entrar lá é uma loucura, fora o fato de perdermos o intervalo todo! — Concordou Joana.

— Mas e ai Ricardo, pensou em algo para seu livro? — Questionou Joana.

— Ainda não… — Dizia Ricardo antes dos três serem surpreendidos por Carla, uma aluna do primeiro ano.

— Vocês já sabem da novidade? — Questionou Carla.

— Não! — Responderam os três simultaneamente.

— A Regina do terceiro ano, estão dizendo que ela está traindo o Juarez toda a quinta-feira na sala de filmes da escola. — Revelou Carla.

— O Juarez?? Aquele gato do terceiro ano? — Questionou Ricardo.

— Esse mesmo! — Respondeu Carla.

— Mas gente, até parece um Spin-off de Meninas Malvadas! — Declarou Pedro.

— Verdade! — Concordou Joana e os três riem.

No fim da manhã todos partem para casa. Em seu quarto Ricardo começa a pensar na fofoca que Carla fez durante o intervalo e decide finalmente qual será o tema de seu livro.

— Fofocas, é sobre isso que vou escrever! — Disse Ricardo.

— Falando sozinho filho? — Perguntou o pai de Ricardo ao perceber o filho no quarto.

— Nada não pai, só estava pensando em voz alta. — Respondeu Ricardo.

No dia seguinte Ricardo conta para Pedro e Joana sobre o que decidiu escrever.

— Eu acho arriscado, e se as pessoas descobrirem que as fofocas são sobre elas? — Questionou Pedro.

— Ninguém vai descobrir, é impossível! — Defendeu-se Ricardo.

— Bom, eu concordo com Pedro, mas se você acha que não vai dar problema… — Opinou Joana.

Uma semana depois, os alunos entregam seus livros a bibliotecária que divulga o arquivo na rede escolar. E assim retornamos ao início da história.

Ainda não é nem o meio da manhã e a escola está um caos, há pessoas correndo, chorando de raiva, envergonhada, irritada, está um verdadeiro misto de emoções pelos corredores da escola.

O livro lançado por Ricardo acabou gerando um verdadeiro estrago na escola e todos estão atrás do menino. Trancados na sala de aula, Ricardo, Pedro e Joana conversam.

— Mas o que foi que você fez Ricardo? — Perguntou Joana.

— Eu não sei, as pessoas enlouqueceram! — Respondeu Ricardo assustado.

— Bem, acho que ninguém enlouqueceu, você é que entregou o arquivo errado para a bibliotecária Ricardo, o seu livro de fofocas foi publicado na rede sem a edição dos nomes, você revelou as fofocas da escola inteira! — Revelou Pedro.

— O que?! — Disse Ricardo chocado.

— Como você sabe que foi isso? — Questionou Joana.

— Está aqui, na rede de biblioteca online! — Respondeu Pedro mostrando o celular aos dois.

— E agora? O que faremos? — Questionou Joana.

— Eu vou lá fora, vou tentar conter a situação! — Declarou Pedro.

Ao sair da sala Pedro é agarrado por dois grandalhões que carregam o menino até o pátio principal, uma grande multidão os acompanha. Aproveitando a oportunidade Joana e Ricardo saem escondidos da sala e agacham-se atrás de uma mureta enquanto observam para onde levaram Pedro.

No pátio principal Pedro é posto em um palco onde todos o questionam sobre o paradeiro de Ricardo.

— Gente, muita calma nessa hora! — Solicitou Pedro.

— Não é com violência que vamos resolver as coisas! — Continuou o rapaz.

— Olha, eu sei que o que Ricardo fez foi horrível, ninguém deveria espalhar as fofocas da escola dessa forma, mas ao mesmo tempo ele fez uma coisa boa, já que agora todos sabem a verdade, de forma errada Ricardo nos fez um favor, agora temos a chance de recomeçar, de zerar o passado e seguir em frente! — Concluiu Pedro.

— Do que você está falando, isso não vai ficar assim! — Gritou uma pessoa do meio da multidão.

— Vamos achar o Ricardo e ele vai pagar por ter espalhados nossos segredos! — Concordou uma menina da escola.

Nesse momento Ricardo sai de trás da mureta e declara para multidão:

— Segredos coisa nenhuma! O que eu fiz foi expor as FOFOCAS de vocês, e agora vocês que lutem com seus problemas!

— Olha ele lá, pega ele pessoal!! — Gritou um dos rapazes em meio a multidão.

E assim iniciou-se uma perseguição que durou cerca de duas semanas, Ricardo foi suspenso, mas os alunos iam até a frente da casa dele todos os dias aguardando a chance de pega-lo. Após duas semanas tudo voltou ao normal, Ricardo retornou a escola e passa o tempo todo grudado em Pedro e Joana, ele fez um pedido de desculpas no pátio principal, mas nem todo mundo o perdoou. No fim fica um questionamento, se a escola toda sabia das fofocas, porque perseguiram Ricardo? Afinal ele só juntou em um livro o que todos já sabiam.

A verdade é que a fofoca é um assunto complicado, porque todo mundo sabe, mas ninguém gosta de deixar explícito, e quando isso acontece as pessoas preferem achar um culpado do que assumir seus próprios erros.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑