Viajante do Tempo: “Hipster” moderno em fotografia de 1940

Fonte: https://uareva.com/2013/05/viajantes-do-tempo-historias-reais.html

Essa é uma das mais legais sobre o assunto: Surgiu na internet uma foto vinda dos anos 40, na qual, numa olhada mais atenta, é possível perceber uma figura aparentemente destoante do período, que parece ser alguém usando roupas modernas e aparentemente segurando uma câmera fotográfica. A parte mais interessante disso é que, de fato, a foto existe e não é uma montagem: ela relata a reabertura da ponte de South Fork depois de uma inundação, é de novembro de 1940 e está em exposição online no Virtual Museum of Canada.

Google Imagens

Os Primeiros Livros do Mundo

Fonte: bloguito.com.br e segredosdomundo.r7.com

Primeiro livro do mundo, qual é? Evolução dos livros e impressão moderna
Google Imagens

Os primeiros documentos registrados com texto foram feitos pelos sumérios, por volta de 3.200 a.C.. Esses textos tratavam de leis, assuntos administrativos e religiosos, bem como de lendas e poemas locais, em um dos idiomas mais antigos do mundo.

Por outro lado, esses livros ainda não tinham o formato que conhecemos hoje. Isso porque os primeiros documentos da Mesopotâmia estavam escritos em tabletes de argila.

Alguns autores questionam que o primeiro livro do mundo tenha surgido na Mesopotâmia. Segundo o professor do Departamento de Estudos Culturais e Mídia da Universidade Federal Fluminense e pesquisador em Produção Editorial, Aníbal Bragança, a portabilidade é uma das principais funções de um livro.

Sendo assim, seria impossível considerar um documento gravado em rochas como livro.

A partir do Antigo Egito, os livros começaram a ganhar o formato que conhecemos apesar da descoberta e produção do papiro. Além do material, o couro animal também era popular para a produção de documentos em pergaminhos.

Os pergaminhos eram feitos em rolos com folhas coladas lado a lado. Logo após a finalização, as folhas eram presas a dois bastões em suas extremidades, ou seja, o leitor desenrolava de um lado e enrolava do outro enquanto lia as páginas. Dessa maneira, alguns teóricos defendem que o primeiro livro do mundo foi publicado em pergaminhos.

Primeiro livro do mundo oriental

Primeiro livro do mundo, qual é? Evolução dos livros e impressão moderna
Google Imagens

Na China, o I Ching é considerado o primeiro livro do mundo. Suas origens lendárias datam de mais de 6 mil anos atrás, com dizeres das principais correntes da filosofia chinesa: Confucionismo e Taoísmo.

Apesar da origem do livro ser desconhecida, ele exerceu muita influência nas bases da formação da sociedade chinesa. Por séculos, o conteúdo do documento foi considerado fonte de sabedoria e até mesmo de conselhos de oráculos que tentam prever o futuro.

O I Ching é composto de grupos de caracteres feitos com três linhas, contínuas ou quebradas. A partir dessa diferença, então, é possível criar oito combinações de caracteres que representam os principais elementos do I Ching.

Além disso, cada dois caracteres forma um hexagrama que simboliza arquétipos de personalidade. É justamente a explicação desses arquétipos que estão espalhadas nas centenas de páginas do livro.

O Primeiro Livro Impresso.

Primeiro livro do mundo - qual é e como evolui até os dias de hoje
Google Imagens

Já o primeiro livro impresso só foi possível graças a Gutenberg, um inventor alemão do século XV. Ele inventou a prensa de tipos móveis, em 1439, que revolucionou a produção de livros da época. Graças a essa invenção, os livros, que antes eram reproduzidos a mão, passaram a ser impressos e produzidos de forma mais rápida e barata.

Essa invenção foi de extrema importância na época do Renascimento, pois favoreceu a circulação de ideias e conhecimentos de forma mais rápida. O invento também favoreceu o processo das Reformas Religiosas. Gutenberg imprimiu a Bíblia em 1455, tornando esse livro o primeiro a ser impresso em todo o mundo.

E no Brasil?

EBC | Você sabe qual foi o primeiro livro editado no Brasil?
Google Imagens

Bem, aqui a imprensa chegou 355 anos depois de Gutenberg ter impresso o primeiro livro. O nosso primeiro livro impresso foi Marília de Dirceu, de Tomás Antônio Gonzaga, em 1810. Mas temos uma curiosidade: no início do século XIX, as máquinas de impressão eram mantidas pelo governo português, que só publicava o jornal oficial falando coisas boas sobre o governo. Por isso, a maioria dos escritores brasileiros preferia imprimir suas obras em Lisboa ou Paris, como foi o caso de Machado de Assis.

Cinco Novelas baseadas em Livros

Fonte: Observatório da TV.

Muitas novelas são inspiradas em grandes sucessos literários, na matéria de hoje vamos apresentar a você cinco novelas que foram inspiradas em livros. Não deixem de ler pois a lista está recheada de sucessos.

5 – Sinhá Moça

Escrita por Benedito Ruy Barbosa, em duas versões, 1986 e 2006, Sinhá Moça foi baseada no romance de mesmo nome escrito por Maria Dezonne Pacheco Fernandes, e se passa em 1886, dois anos antes da promulgação da lei áurea. A história de amor entre Sinhá-Moça, filha de um coronel escravocrata pelo advogado Rodolfo, militante abolicionista fez muito sucesso, inclusive ganhando uma adaptação para o cinema.

4 – Porto dos Milagres

Novela escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares em 2001, Porto dos Milagres juntou em sua trama duas obras de Jorge Amado: Mar Morto e A Descoberta da América pelos turcos. Na trama, o pescador Guma (Marcos Palmeira) era herdeiro de uma grande fortuna sem ter conhecimento da mesma, e lutava pelos direitos dos pescadores contra os desmandos do prefeito da cidade, Félix Guerreiro (Antonio Fagundes), seu verdadeiro tio.

3 – A Padroeira

Exibida em 2001, a novela A Padroeira, escrita por Walcyr Carrasco, foi baseada no livro As Minas de Prata, de José de Alencar. No original, as faladas minas de prata, guardavam tamanha riqueza que poderiam decidir o futuro da colônia. Para provar seu amor por Inês, Estácio decide procurar o mapa do tesouro deixado por seu avô antes de morrer.

2 – Gabriela

Considerado um dos maiores romances de Jorge Amado, o livro foi adaptado para a televisão três vezes como novela, em 1960, 1975 e 2012. Publicado em 1958, o livro conta a história do romance entre o árabe Nacib e a sertaneja Gabriela, em meio às transformações econômicas, e culturais e políticas sofridas em Ilhéus nos anos 20, assim como a queda dos grandes coronéis que dominavam o interior baiano.

1 – Tieta

A novela Tieta foi originalmente exibida em 1989, é uma adaptação do romance Tieta do Agreste, escrito por Jorge Amado. No livro, assim como no folhetim, Tieta ainda adolescente é escorraçada de casa e da cidade, após descobertas suas aventuras sexuais por sua irmã Perpétua e seu pai Zé Esteves. 25 anos depois, ela volta rica, trazendo sinais de progresso para Santana do Agreste, mexendo com a vaidade e com os preconceitos dos moradores do interior baiano.

Gostou? No link abaixo você pode conferir mais novelas que foram inspiradas em livros:

Confira 10 novelas que foram baseadas em livros

Viajantes do Tempo: Rua Bold, Inglaterra

Fonte: https://uareva.com/2013/05/viajantes-do-tempo-historias-reais.html

Viagem no tempo é um assunto que sempre intrigou muita gente, desde a pura curiosidade até mesmo a questões cientificas. Você já imaginou uma rua toda onde as pessoas alegam que viajaram de volta aos anos 50 e 60, pois é exatamente o caso que vamos te apresentar no nosso primeiro capítulo:

Viajantes do Tempo: Rua Bold, Inglaterra

Hoje em dia quando pensamos em viagem no tempo, a primeira coisa que nos vem à cabeça é uma máquina, um automóvel ou algo do tipo. Mas a rua Bold, em Liverpool, ganhou notoriedade quando diversas pessoas alegaram que foram subitamente transportadas de volta para os anos 50 e 60. De acordo com a notícia, começou com um homem que alegou que estava caminhando pela rua Bold e foi parar nos anos 50. Quando retornou para seu próprio tempo, ele acertou com precisão o nome de diversas fachadas de lojas que existiam na época e lugares em que ele alega que foi parar.

A história é claro deu o que falar e diversas outras pessoas começaram a dar seus testemunhos sobre suas próprias viagens no tempo. A rua Bold fica localizada em Liverpool e abaixo você pode observar uma imagem do Google Maps. A rua é bem movimentada o que nos deixa ainda mais intrigados sobre essas possíveis Viagens no Tempo.

E ai, você acredita que pode haver viajantes do tempo por ai? então fique ligado que logo logo sai o segundo capítulo da nossa saga.

Lendas do Folclore Brasileiro: Cobra-grande ou Boiuna

Atividade com lendas: Lenda da cobra grande para 4º e 5º ano - Hora de  Colorir - Atividades escolares
Google Imagens

Fonte: Wikipédia

A boiuna, ou cobra-grande, é um mito amazônico de origem ameríndia. Serpente lendária da Região Norte, que mora entre as rochas dos rios e lagoas, de onde sai para afundar barcos. Quando ela sai das rochas, troveja, lança raios e faz chover, também pode imitar as formas das embarcações, atraindo náufragos para o fundo do rio.

Se a chuva é muito forte e ameaçadora de novo dilúvio, toma a forma de arco-íris e serena as águas. Ainda segundo a lenda, a lua é a cabeça da serpente, as estrelas são os olhos e o arco-íris é o sangue da cobra-grande.

O Preço de um Segredo: O que esperar do segundo livro da trilogia Descobrindo o Amor

Por: Fábio Anhaia

O Preço de um Segredo é o título da segunda parte da trilogia Descobrindo o Amor de Fábio Anhaia.  Após os acontecimentos do primeiro livro Erick e Aline darão espaço para novos personagens, novas histórias serão contadas e muitos segredos serão apresentados. A tensão será uma parte fundamental na trama. O livro se inicia em 1996 e seu enredo segue até 2021 (atualidade, ano em que se passa o primeiro livro).

Com o propósito de contar o passado de um personagem que será muito importante para a continuidade da trama, O Preço de um Segredo terá uma pegada mais sombria, com assassinatos e segredos como base do livro.

O Preço de um Segredo já tem data oficial de lançamento, e será em 14/11/2021.

Fique ligado, compartilhe com os amigos e lembre-se, a história ainda não acabou!

Conhecendo o Autor: Stephen King

Os 10 melhores livros de Stephen King segundo seus fãs - Blog da TAG
Google Imagens

Fonte: Wikipédia

Stephen Edwin King é um escritor norte-americano de terror, ficção sobrenatural, suspense, ficção científica e fantasia. Os seus livros já venderam mais de 400 milhões de cópias, com publicações em mais de 40 países, é o 9º autor mais traduzido no mundo. Muitas de suas obras foram adaptadas em filmes, minisséries, séries de televisão e quadrinhos. King já publicou 60 romances, incluindo 7 sob o pseudônimo de Richard Bachman, 12 coletâneas de contos e 6 livros de não ficção. Ele já escreveu cerca de 200 contos, a maioria dos quais foram publicados em coleções de livros.

De 1966 a 1971, Stephen estudou Inglês na Universidade do Maine, onde ele escrevia uma coluna intitulada “King’s Garbage Truck” para o jornal estudantil, o Maine Campus. Ele conheceu Tabitha Spruce lá e se casaram em 1971. O período que passou no campus influenciou muito em suas histórias, e os trabalhos que ele aceitava para poder pagar pelos seus estudos inspiraram histórias como “The Mangler” e o romance “Roadwork” (como Richard Bachman). King ensinou na Academia Hampden em Hampden, Maine. Ele e sua família moravam em um trailer, e ele escreveu histórias curtas, a maioria para revistas masculinas. Como é relatado na introdução de Carrie, se um de seus filhos ficasse resfriado, Tabitha brincava, “Rápido, Steve, pense em um monstro.”

Stephen logo começou a escrever romances. Uma de suas primeiras idéias era uma moça jovem com poderes psíquicos, mas ele descartou a idéia. Sua esposa resgatou os esboços do lixo e o encorajou a voltar a escrever sobre isso. Após terminar o romance, ele o intitulou “Carrie” e mandou para a Doubleday. Ele recebeu US$ 2500 adiantados (não muito para um romance, mesmo naquela época), mas os direitos autorais fizeram com que ele recebesse US$ 200000 posteriormente.

King admitiu que nessa época ele desenvolveu uma grave dependência com álcool e que foi alcoólatra por mais de uma década. Ele também constatou que baseou o personagem Jack Torrance, do livro O Iluminado, nele mesmo. Sua família e amigos intervieram, jogando fora, na sua frente, todos os seus vícios. Stephen King cortou o álcool e qualquer tipo de droga por volta de 1980 e se mantem sóbrio desde então.

Em 1999, Stephen King sofreu um acidente gravíssimo. Foi atropelado durante uma de suas caminhadas nos arredores de sua casa de veraneio, no Estado do Maine, por um motorista distraído. Sofreu traumatismo craniano, fraturas múltiplas na perna direita e perfurações em um dos pulmões. Foi submetido a três cirurgias.

Dentre suas obras mais famosas estão: It a Coisa, Carrie, a estranha, O Cemitério, O Iluminado e muitas outras.

Conhecendo o Autor: Monteiro Lobato

Um pouco da vida de Monteiro Lobato… | Jornal A Voz da Serra
Google Imagens

Fonte: Wikipédia

José Bento Renato Monteiro Lobato, foi um escritor, ativista, diretor e produtor brasileiro.

Foi um importante editor de livros inéditos e autor de importantes traduções. Seguido a seu precursor Figueiredo Pimentel, da literatura infantil brasileira, ficou popularmente conhecido pelo conjunto educativo de sua obra de livros infantis, que constitui aproximadamente a metade da sua produção literária. A outra metade, consistindo de contos (geralmente sobre temas brasileiros), artigos, críticas, crônicas, prefácios, cartas, livros sobre a importância do ferro (Ferro, 1931) e do petróleo (O Escândalo do Petróleo, 1936). Escreveu um único romance, O Presidente Negro, que não alcançou a mesma popularidade que suas obras para crianças, que entre as mais famosas destaca-se Reinações de Narizinho (1931), Caçadas de Pedrinho (1933) e O Picapau Amarelo (1939).

Contista, ensaísta e tradutor, Lobato nasceu na cidade de Taubaté, interior de São Paulo, no ano de 1882. Formado em Direito, atuou como promotor público até se tornar fazendeiro, após receber herança deixada pelo avô. Diante de um novo estilo de vida, Lobato passou a publicar seus primeiros contos em jornais e revistas, sendo que, posteriormente, reuniu uma série deles no livro Urupês, sua obra prima como escritor. Em uma época em que os livros brasileiros eram editados em Paris ou Lisboa, Monteiro Lobato tornou-se também editor, passando a editar livros também no Brasil. Com isso, ele implantou uma série de renovações nos livros didáticos e infantis.

É bastante conhecido entre as crianças, pois se dedicou a um estilo de escrita com linguagem simples onde realidade e fantasia estão lado a lado. Pode-se dizer que ele foi o precursor da literatura infantil no Brasil. Suas personagens mais conhecidas são: Emília, uma boneca de pano com sentimento e ideias independentes; Pedrinho, personagem que o autor se identifica quando criança; Visconde de Sabugosa, o sábio sabugo de milho que tem atitudes de adulto, Cuca, vilã que aterroriza a todos do sítio, Saci Pererê e outros personagens que fazem parte da famosa obra Sítio do Pica-Pau Amarelo, que até hoje é lido por muitas crianças e adultos. Escreveu ainda outras obras infantis, como A Menina do Nariz Arrebitado, O Saci, Fábulas do Marquês de Rabicó, Aventuras do Príncipe, Noivado de Narizinho, O Pó de Pirlimpimpim, Emília no País da Gramática, Memórias da Emília, O Poço do Visconde, e A Chave do Tamanho. Fora os livros infantis, escreveu outras obras literárias, tais como O Choque das Raças, Urupês, A Barca de Gleyre e O Escândalo do Petróleo. Neste último livro, demonstra todo seu nacionalismo, posicionando-se totalmente favorável a exploração do petróleo, no Brasil, apenas por empresas brasileiras.

A Última Existência

Por: Fábio Anhaia

Uma nova saga vem ai! Focada em críticas ambientais e possíveis desastres naturais, A Última Existência, é um projeto que conclui a alguns anos atrás. O trabalho conta com um compilado de textos encontrados na internet, além de um texto autoral intitulado VIDA, que inclusive já foi publicado aqui no site.

Os textos que serão postados vão apresentar ao leitor histórias fictícias de um futuro sombrio que aguarda a humanidade, desde a falta de água, a trágica explosão do sol e até mesmo um novo planeta para chamarmos de lar.

O intuito dessa saga é apresentar aos leitores um choque de realidade com os possíveis fins que nossa irresponsabilidade pode nos levar, além de fazer com que o mesmo reflita sobre a própria existência. Onde estamos, e o que estamos deixando para trás? Qual o nosso legado? Esses são alguns questionamentos que serão apresentados na saga de textos.

Então vem comigo nessa saga nova, em breve aqui no site do Autor de Primeira Viagem!

Conhecendo o Autor: Clarice Lispector

Google Imagens

Fonte: Wikipédia

Clarice Lispector, foi uma escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia. Autora de romances, contos, e ensaios, é considerada uma das escritoras brasileiras mais importantes do século XX e a maior escritora judia desde Franz Kafka. Sua obra está repleta de cenas cotidianas simples e tramas psicológicas, reputando-se como uma de suas principais características a epifania de personagens comuns em momentos do cotidiano. Quanto às suas identidades nacional e regional, declarava-se brasileira e pernambucana.

Nasceu em uma família judaica russa que perdeu suas rendas com a Guerra Civil Russa e se viu obrigada a emigrar em decorrência da perseguição a judeus, à época, a qual resultou em diversos extermínios em massa. Especula-se que a mãe de Clarice teria sido violada por soldados russos durante a Primeira Guerra Mundial. A futura escritora chegou ao Brasil, ainda pequena, em 1922, com seus pais e duas irmãs. Clarice dizia não ter nenhuma ligação com a Ucrânia – “Naquela terra eu literalmente nunca pisei: fui carregada de colo” – e que sua verdadeira pátria era o Brasil. Inicialmente, a família passou um breve período em Maceió, até se mudar para o Recife, onde Clarice cresceu e onde, aos oito anos, perdeu a mãe. Aos quatorze anos de idade transferiu-se com o pai e as irmãs para o Rio de Janeiro, local em que a família se estabilizou e onde o seu pai viria a falecer, em 1940.

Estudou Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro, conhecida como Universidade do Brasil, apesar de, na época, ter demonstrado mais interesse pelo meio literário, no qual ingressou precocemente como tradutora, logo se consagrando como escritora, jornalista, contista e ensaísta, tornando-se uma das figuras mais influentes da Literatura brasileira e do Modernismo, sendo considerada uma das principais influências da nova geração de escritores brasileiros. É incluída pela crítica especializada entre os principais autores brasileiros do século XX.

Suas principais obras marcam cada período de sua carreira. Perto do Coração Selvagem foi seu livro de estreia, publicado quando Clarice tinha 24 anos de idade; Laços de Família, A Paixão segundo G.H., A Hora da Estrela e Um Sopro de Vida são seus últimos livros publicados. Faleceu em 1977, um dia antes de completar 57 anos, em decorrência de um câncer de ovário. Deixou dois filhos e uma vasta obra literária composta de romances, novelas, contos, crônicas, literatura infantil e entrevistas.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑