Descobrindo o Amor – Capítulo 1: A Guerra de Bolos.

Capítulo 1: A Guerra de Bolos.

Você deve estar se perguntando quem é essa mulher atirando bolos nesse homem no meio da rua a essas horas da tarde, bem essa é Aline Aparecida Ferreira. E para te explicar o porquê ela e esse brutamontes musculoso estão discutindo e disparando bolos um contra o outro, primeiramente preciso te contar como chegamos até aqui!
Como havia comentado anteriormente, essa é Aline e ela vive aqui, na cidade maravilhosa, a linda e charmosa Rio de Janeiro, mais especificamente no Leblon. Aline se mudou para cá com apenas 18 anos, uma jovem menina que veio do Rio Grande do Sul para o Rio de Janeiro cheia de sonhos e vontade de vencer.


10 anos atrás…


— Vamos lá Aline! Foi para isso que você veio para cá! — Pensou a jovem preparando-se para sair vender seus quitutes.
Aline pega sua cesta cheia de bolos e doces feitos por ela mesma e parte em direção a orla de Copacabana.
— Oi, me vê uma fatia de bolo por favor! — Pediu o jovem Erick.
Erick era um jovem estudante de direito que estava prestes a se formar advogado.
— Claro, você quer de quê? — Perguntou Aline.
— Pode ser de chocolate! — Respondeu Erick.
— Vem cá, você não é daqui não né? — Questionou Erick.
— Não, cheguei recentemente a cidade, sou do Sul. — Respondeu a jovem.
— Percebi pelo seu sotaque, bem-vinda ao Rio! — Disse o rapaz.
Erick era um jovem bom, ele adorava ajudar as pessoas e detestava injustiças, por isso optou formar-se em direito, para ajudar aqueles que mais precisavam.
— Obrigada pelas boas-vindas, desde que cheguei me vi assustada, mas não fujo do serviço não, comecei a vender bolos e doces hoje e estarei aqui todos os dias, mas e ai o que você achou? — Questionou Aline apreensiva com a resposta.
Erick come um pedaço do bolo e tem uma surpresa, era como se uma alegria invadisse seu coração repentinamente, ele não sabia explicar, mas aquela havia sido a melhor fatia de bolo que Erick já comeu na vida, ele sorri para a jovem que aguarda ansiosamente um veredito.
— Uau! É delicioso, eu nunca comi nada igual, parabéns… — Disse Erick estendendo a mão a Aline.
— Aline! Meu nome é Aline! — Respondeu a jovem apertando a mão de Erick.
— Sou Erick! E tenha certeza de que amanhã voltarei! Agora preciso ir até mais Aline. — Despediu-se o rapaz.
Aline observa Erick ir embora pela orla de Copacabana animada, a jovem tem um pressentimento, ela sabia que aquele era só o começo, mas mesmo assim já deslumbrava um futuro grandioso.


De volta a atualidade…


No Rio de Janeiro Aline enfrentou diversas batalhas, até que finalmente construiu seu império de doces, atualmente ela é dona de uma rede de confeitarias, e lá eles vendem de tudo, bolos, doces, pães… tudo que você quiser eles fabricam, dos produtos mais simples aos mais sofisticados, tudo que se pode imaginar eles fazem.
Hoje Aline se reuniu com seus advogados, Taisa e Erick, sim o Erick lembra dele pois então ele se formou e hoje é um dos melhores advogados do país. Taisa é uma menina inteligentíssima e sempre foi muito amiga de Aline, desde que ela chegou ao Rio, já que as duas dividiram apartamento por um bom tempo.


10 anos atrás…


No aeroporto Aline desembarca e sente-se assustada, era uma cidade nova e muito diferente de onde ela viera, Porto Alegre é a capital do Rio Grande do Sul, mas ainda não se comparava ao Rio de Janeiro, tudo era diferente ao que Aline viveu ou conheceu.
— Com Licença, será que você pode me ajudar? — Disse Aline a uma mulher que a acompanhava no portão de desembarque.
— Me desculpe, estou atrasada! — Declarou a mulher afastando-se de Aline.
— Com licença senhor, será que você pode me ajudar? — Perguntou Aline a um homem que também passa pelo portão de desembarque, mas dessa vez esse nem respondeu.
— É as coisas aqui serão diferentes! — Declarou Aline.
Aline segue e ao sair do aeroporto assusta-se ainda mais, o que ela faria agora? Ela era apenas uma jovem assustada em uma cidade grande. A jovem pensa e toma coragem, ela sempre enfrentou seus medos e nunca fugiu da luta, era hora de encarar essa nova realidade.
— Boa noite! Eu preciso de um… — Dizia Aline a um taxista até ser interrompida por uma voz feminina que vinha em direção a eles.
— Boa noite, você pode me levar a esse endereço? — Questionou uma moça entregando um papel para o taxista.
— Claro! — Respondeu o taxista.
— Ah, me desculpe, você ia pegar esse? — Questionou a moça apontando para o taxi.
— É na verdade eu nem sei… sou nova aqui, estou perdida e preciso encontrar alguma pensão ou coisa do tipo. — Respondeu Aline.
— Bem, você precisa de um lugar para ficar então? — Perguntou a moça.
— É, preciso… — Confirmou Aline um pouco envergonhada.
— Olha só, tenho um quarto para alugar se você quiser, moro no Rio a alguns meses e aluguei um apartamento grande, se tiver interesse a gente pode dividir. — Ofereceu a moça.
— Claro! Tenho sim! — Respondeu Aline animada.
— Ótimo! Aliais, me chamo Taisa! — Disse a moça estendendo a mão a Aline.
— E eu Aline! — Respondeu a jovem apertando a mão de Taisa.


De Volta a atualidade…


Atualmente Taisa e Erick trabalham com Aline como seus advogados e os três estão em uma reunião importantíssima para o futuro da rede de confeitarias Doce Mel.
— Aline, você precisa se casar! Essa é uma das condições do contrato, os sócios precisam ser casados. — Informou Erick.
— Isso é um absurdo, não faz sentido nenhum essa condição! — Respondeu Aline.
— Nós sabemos, mas são as regras, não há o que fazer ou é isso ou você perde o acordo! — Disse Taisa.
— E como vou arrumar um marido a essa altura do campeonato? Vocês pensaram nisso? — Revidou Aline.
De repente ouve-se gargalhadas vindas do estabelecimento do outro lado da rua, O estabelecimento era uma loja de suplementos alimentares, Aline odiava aquela loja, o dono era completamente insuportável, estava sempre alegre e otimista, a felicidade dele era realmente algo surpreendente, para ele não havia tempo ruim.
— Olha lá, lá estão eles, não sei como está tudo sempre bem na vida deles, esse povo não tem um problema para lidar não?? — Comentou Aline enquanto observa ao lado de Taisa e Erick os meninos descarregando uma carga de suplementos que acaba de chegar na loja.
— “Vambora, Vambora” que o dia é longo rapaziada! — Disse Erick, o dono da loja, enquanto os meninos descarregavam as caixas do caminhão.
— Iiiii, a lá Erick, parece que alguém já chegou para trabalhar! Hahaha. — Falou um dos funcionários da loja apontando em direção a fábrica Doce Mel.
Erick vira-se em direção a fábrica e percebe Aline e seus advogados os observando.
— Ele nos viu!? — Disse Aline a Taisa e Erick (advogado) enquanto os três escondem-se atrás das cortinas.
— Acho que não! — Respondeu Erick (advogado).
— Bem que você podia casar com ele né? — Propôs Taisa a Aline.
— O que??? Você pirou é garota? Eu nunca casaria com aquele brutamontes cheio de músculos, aliás pelo visto é a única coisa que ele tem né? Músculos. — Respondeu Aline, descartando a ideia da amiga.
— Bem, o fato é que você precisa se casar com alguém, com ele ou não, você precisa estar casada em uma semana. — Disse Taisa.
— Me deixem pensar, anda, saiam daqui. — Falou Aline dispensando os advogados da sua sala.
De volta a loja de suplementos, Erick faz a conferência dos produtos que acabaram de chegar, mas é interrompido por uma pequena discussão que começará em frente a loja.
— Ei, ei você não pode estacionar aqui não, nós estamos aguardando mais uma carga que já está para chegar. — Disse Pedro, um dos funcionários de Erick ao motorista do caminhão que vinha buscar os produtos da fábrica para uma das confeitarias de Aline.
— O que está rolando aqui? — Questionou Erick interrompendo a discussão.
— Esse cara quer estacionar na vaga, mas a próxima carga já está para chegar. — Respondeu Pedro.
— Calma cara, a gente pode… — Mas antes que ele pudesse concluir a frase Aline chega e interrompe-o.
— Que palhaçada está rolando aqui? — Disse Aline, disposta a encerrar a discussão.
— O que acontece é que esses rapazes não me deixam estacionar aqui para carregar os bolos dona Aline. — Disse o motorista do caminhão.
— A é, e por um acaso a rua é sua senhor Erick? Você comprou esse estacionamento para você e esqueceu de avisar é? — Provocou Aline.
Erick então vira para ela e pensa bem antes de falar:
— Olha, não vou discutir com você, não vale a pena, quero ter um bom dia hoje, e isso nunca acontece quando eu discuto com a vossa senhoria. — Respondeu Erick em tom de deboche.
— A é mesmo, pois saiba que comigo acontece o mesmo, seu brutamontes. — Disse Aline provocando-o.
— Iiiihh… — ouviu-se um coro das vozes dos funcionários de Erick.
— Eu posso até ser um brutamontes, mas pelo menos as pessoas gostam de mim, ao contrário de você que mais parece uma fera. —Respondeu Erick.
Quando ele termina sua frase, o tempo simplesmente fecha e de repente Aline surta e perde totalmente o controle, Aline detesta ser chamada de fera, ela passou a infância toda sendo chamada de ferinha, por conta de sua mãe que sempre foi muito explosiva, infelizmente a menina acabou herdando esse temperamento da mãe e acabou se tornando uma pessoa um pouco difícil de lidar, e Erick sabia qual era seu ponto fraco.
— FERA!? COMO VOCÊ OUSA ME CHAMAR DE FERA, SEU MONTE DE MUSCULOS, GROCEIRO!!! — Gritou Aline ateando bolos e doces em direção a Erick e seus funcionários ali mesmo, no meio da rua.
— MALUCA! — Gritou Erick.
— MALUCA É SUA MÃE SEU BRUTAMONTES! — Revidou Aline.
— Aline, pelo amor de Deus… — Tentava conter Taisa.
— PELO AMOR DE DEUS É O CAR… — Respondeu Aline em fúria.
— ALEM DE DOIDA AINDA É MAL EDUACADA! — Provocou Erick.
— OOOOOHHHH!!! — Ouviu-se um couro das vozes das pessoas ali presentes.
— EU VOU TE MOSTRAR QUEM É MAL EDUCADA! — Respondeu Aline atirando um bolo inteiro no rosto do rapaz.
Foi o maior barraco, Aline teve que ser contida por Taisa enquanto Erick tentava desviar dos arremessos de bolo, sobrou até para o motorista do caminhão de suplementos que acabava de chegar para descarregar mais uma remessa. E assim retornamos ao início da nossa história, A Guerra de Bolos.
Em seu escritório Aline limpa-se dos bolos que arremessou em Erick no meio da rua:
— Aquele brutamontes pensa que é quem para me chamar de fera? Eu devia processa-lo! — Disse Aline ainda cheia de ódio.
— Processa-lo? Você está maluca, no meio do nosso negócio milionário, você não pode se envolver em nenhum problema jurídico não Aline. — Falou Erick (advogado).
— Mas Erick, você viu o que… — Falava Aline até ser interrompida.
— Não Aline, o Erick tem razão, você não pode meter-se em nenhum problema jurídico até fechar o contrato. — Decretou Taisa.
Na loja de suplementos, Erick também limpava-se dos ataques de bolos que havia sofrido por Aline:
— Essa mulher é maluca, completamente pirada, é por isso que está solteira, quem irá querer dividir a vida com essa maluca. — Resmungou Erick.
— Mas quem iria querer dividir a vida comigo? — Disse Aline a Erick (advogado) e Taisa.
Quem iria aceitar dividir a vida com uma fera, essa era a pergunta que precisava ser respondida, o negócio é muito bom para Aline, mas ela precisa estar casada. Aline precisa de ajuda, ela precisa de um sócio.

Continua…

Descobrindo o Amor, dia 13 de Abril disponível no site.

Dia 13 de Abril de 2022, temos uma novidade incrível no site do Autor de Primeira Viagem, é o lançamento do primeiro livro da trilogia Descobrindo o Amor. A novidade vem a três meses do lançamento do último livro da trilogia que acontece em Julho de 2022.

Os capítulos serão disponibilizados aos poucos para que você acompanhe essa doce aventura. E se você quiser adquirir os dois primeiros livros é só acessar o site do clube de autores, Amazon, Americanas e Submarino.

Abaixo você acompanha a sinopse dessa doce, divertida e apaixonante aventura:

Aline é uma jovem gaúcha que construiu um império de doces no Rio de Janeiro, ela está prestes a fechar um contrato milionário, mas antes precisa cumprir uma exigência e é ai que Erick entra na história. Muita confusão, altos e baixos e um amor capaz de enfrentar qualquer problema são fatores que marcam essa história.

Cinco Novelas baseadas em Livros

Fonte: Observatório da TV.

Muitas novelas são inspiradas em grandes sucessos literários, na matéria de hoje vamos apresentar a você cinco novelas que foram inspiradas em livros. Não deixem de ler pois a lista está recheada de sucessos.

5 – Sinhá Moça

Escrita por Benedito Ruy Barbosa, em duas versões, 1986 e 2006, Sinhá Moça foi baseada no romance de mesmo nome escrito por Maria Dezonne Pacheco Fernandes, e se passa em 1886, dois anos antes da promulgação da lei áurea. A história de amor entre Sinhá-Moça, filha de um coronel escravocrata pelo advogado Rodolfo, militante abolicionista fez muito sucesso, inclusive ganhando uma adaptação para o cinema.

4 – Porto dos Milagres

Novela escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares em 2001, Porto dos Milagres juntou em sua trama duas obras de Jorge Amado: Mar Morto e A Descoberta da América pelos turcos. Na trama, o pescador Guma (Marcos Palmeira) era herdeiro de uma grande fortuna sem ter conhecimento da mesma, e lutava pelos direitos dos pescadores contra os desmandos do prefeito da cidade, Félix Guerreiro (Antonio Fagundes), seu verdadeiro tio.

3 – A Padroeira

Exibida em 2001, a novela A Padroeira, escrita por Walcyr Carrasco, foi baseada no livro As Minas de Prata, de José de Alencar. No original, as faladas minas de prata, guardavam tamanha riqueza que poderiam decidir o futuro da colônia. Para provar seu amor por Inês, Estácio decide procurar o mapa do tesouro deixado por seu avô antes de morrer.

2 – Gabriela

Considerado um dos maiores romances de Jorge Amado, o livro foi adaptado para a televisão três vezes como novela, em 1960, 1975 e 2012. Publicado em 1958, o livro conta a história do romance entre o árabe Nacib e a sertaneja Gabriela, em meio às transformações econômicas, e culturais e políticas sofridas em Ilhéus nos anos 20, assim como a queda dos grandes coronéis que dominavam o interior baiano.

1 – Tieta

A novela Tieta foi originalmente exibida em 1989, é uma adaptação do romance Tieta do Agreste, escrito por Jorge Amado. No livro, assim como no folhetim, Tieta ainda adolescente é escorraçada de casa e da cidade, após descobertas suas aventuras sexuais por sua irmã Perpétua e seu pai Zé Esteves. 25 anos depois, ela volta rica, trazendo sinais de progresso para Santana do Agreste, mexendo com a vaidade e com os preconceitos dos moradores do interior baiano.

Gostou? No link abaixo você pode conferir mais novelas que foram inspiradas em livros:

Confira 10 novelas que foram baseadas em livros

O Preço de um Segredo: O que esperar do segundo livro da trilogia Descobrindo o Amor

Por: Fábio Anhaia

O Preço de um Segredo é o título da segunda parte da trilogia Descobrindo o Amor de Fábio Anhaia.  Após os acontecimentos do primeiro livro Erick e Aline darão espaço para novos personagens, novas histórias serão contadas e muitos segredos serão apresentados. A tensão será uma parte fundamental na trama. O livro se inicia em 1996 e seu enredo segue até 2021 (atualidade, ano em que se passa o primeiro livro).

Com o propósito de contar o passado de um personagem que será muito importante para a continuidade da trama, O Preço de um Segredo terá uma pegada mais sombria, com assassinatos e segredos como base do livro.

O Preço de um Segredo já tem data oficial de lançamento, e será em 14/11/2021.

Fique ligado, compartilhe com os amigos e lembre-se, a história ainda não acabou!

A Profecia: Agradecimento

Por: Fábio Anhaia

Agradecimentos são necessários pois nada se faz sozinho e quando contamos com a ajuda de alguém necessariamente precisamos agradecer. Pois bem eu agradeço a tantos, agradeço primeiramente a Deus por me proporcionar esse momento mágico, jamais imaginei que um dia teria essa coragem e capacidade de escrever um livro, jamais imaginei de que iria viver tamanha emoção de contar histórias.

Quero agradecer a minha mãe que indiretamente me apoiou sem nem saber (ou talvez sabia, já que ela sempre me apoiou em todas as minhas escolhas), pois em uma tarde enquanto eu escrevia ela disse em resposta a meu pai, “ele está escrevendo o primeiro best-seller dele”, por mais que eu não imagine a proporção que isso irá tomar um dia ouvir aquelas palavras foram fundamentais para que eu concluísse esse projeto, estendo esses agradecimentos a minha irmã que acompanhou tudo desde o início e sempre me apoiou em cada decisão.

Quero também agradecer a mim, por seguir acreditando no que estava escrevendo, por não desistir e principalmente por ter a coragem de publica-lo, obrigada Fábio por me proporcionar isso tudo.

Agradeço também a todos os autores que me inspiram a cada obra que leio, pois se não fossem suas obras nunca escreveria a minha, são tantos que se citasse todos levariam horas, Nicholas Sparks e seus romances inesquecíveis, Anna Snoekstra e o maravilhoso “Única Filha”, Ransom Riggs e a sensacional saga de “O Lar das Crianças Peculiares”, John Green e suas encantadoras obras, enfim tantos outros autores fenomenais, a eles sou grato!

Por fim, quero agradecer a você que acompanhou essa aventura até aqui, saiba que é muito especial para mim saber que estão curtindo os textos e publicações, obrigado pelo apoio, direta ou indiretamente.

Obrigado!

Descobrindo o Amor – Vai ter continuação?

Por: Fábio Anhaia

Descobrindo o Amor é minha primeira publicação oficial, inicialmente havia sido pensado em concluir a história de forma única, porém ao perceber que o livro seria muito extenso, o que torna muitas vezes a leitura cansativa, acabei optando por dividi-lo em partes.

Sendo assim, Descobrindo o Amor será uma trilogia e, portanto, mais dois livros ainda serão lançados para ai sim encerrarmos a história de Erick e Aline.

Os próximos lançamentos ainda não têm data de publicação, mas não se preocupe, pois, o processo de edição de O Preço de um Segredo (o segundo livro da trilogia) já está no fim e em breve anunciaremos aqui pelo site a data de lançamento.

Dividido em três partes prepare-se para surpreender-se com os rumos que a história vai seguir.

E se você ainda não adquiriu o seu, entre em contato comigo pelo telefone (54) 99681-4016 (WhatsApp) ou pelas redes sociais (Facebook e Instagram) que ainda tenho unidades disponíveis, e se preferir ainda pode comprar seu exemplar através do site do Clube de Autores no link abaixo.

https://clubedeautores.com.br/livro/descobrindo-o-amor-4

Vem comigo descobrir o quão incrível e poderoso o amor pode ser!

A Profecia: Capítulo 8

Autor: Fábio Anhaia

Na floresta Iboni acorda e percebe a presença de Ynibi, ainda meio tonto sem entender o que está acontecendo Iboni percebe que Ynibi o cobre, já que ele está nu, Ynibi questiona:

– Iboni, o que aconteceu?

– Estou bem, preciso ir. – Disse Iboni levantando-se.

– Ir para onde? Preciso te levar a aldeia, todos estão preocupados Iboni, estamos te procurando a dias! – Respondeu Ynibi.

– Ynibi, não posso voltar a aldeia, você não entende, é complicado, o que vocês precisam saber é que vou deter a Rainha Negra, volte a aldeia e conte a todos, eles não precisam se preocupar. – Declarou Iboni.

– Mas Iboni, como vai detê-la sozinho? Não consigo entender? – Questionou Ynibi.

– Não se preocupe, tenho uma carta embaixo da manga, vai ficar tudo bem, e quando voltar vou reivindicar sua mão, vamos nos casar e ser felizes juntos! – Afirmou Iboni.

Iboni e Ynibi – Google Imagens

Ynibi fica assustada com a declaração de Iboni, porém não pode discordar da afirmação do jovem, afinal ela aceitou a condição de seu pai, se casará com o guerreiro mais corajoso da tribo, porém seu coração está triste pois sabe que o único que é capaz de amar de verdade é Panimbi. Após a conversa Iboni entra mata adentro e some aos poucos, Ynibi retorna a aldeia e quando chega em sua tenda é questionada por Panimbi:

– Ynibi!? Onde estava?

Ynibi responde:

– Panimbi!? Estava na mata, precisei respirar, não conseguia dormir, estou preocupada com Iboni.

– Iboni está bem! Logo ele aparece, fique tranquila. – Respondeu Panimbi a convidando para voltarem a dormir.

Panimbi e Ynibi – Google Imagens

Na manhã seguinte no castelo da Rainha Negra, o General Kurtz reúne sua tropa para ir a um treinamento de batalha.

– Reúna todos os homens, vamos ao campo de treinamento, precisamos nos preparar caso aquela besta ataque novamente. – Disse o General.

O General está seguindo para o portão e encontra o Corvo Azul no caminho:

– Bom dia Tamaki! É assim que te chamam, não é? – Disse o General.

– Bom dia General! Exatamente! – Respondeu o Corvo Azul!

– Aconteceu alguma coisa? Percebi que reuniu os soldados. – Questionou o Corvo Azul.

– Não, estamos indo ao campo de treinamento, precisamos estar preparados caso aquele monstro apareça. – Respondeu o General.

– Agora se você me der licença, preciso ir! – Declarou o General saindo pelo portão.

General Kurtz – Google Imagens

Tamaki observou o General sair com seus homens, ele olha para o General como se visse através dele, o General percebeu e sentiu-se desconfortável, Tamaki então ri e entra no castelo.

– General? – Disse um soldado.

– Sim. – Respondeu o General.

– Podemos ir? – Questionou o soldado.

– Vamos! – Declarou o General cavalgando em direção a mata.

Chagando ao campo o General organiza seus homens e começa um treinamento, o general apresenta aos soldados diversos modelos de armas que eles nunca haviam visto, o General os auxilia e ensina a cada homem como usar as armas, um soldado então questiona:

– Essas armas, serão capazes de derrotar aquele monstro?

– Essas armas são capazes de matar qualquer coisa! – Declarou o General.

Iboni – Google Imagens

Na mata Iboni caminha até chegar a um riacho, ele senta-se e começa a beber um pouco de água, de repente ele ouve alguns sussurros vindo de longe, Iboni segue o barulho e chega ao campo de treinamento do General:

– Mas o que é isso? – Questiona Iboni a ele mesmo escondido atrás de uma árvore.

Após uma análise do que via, Iboni chega a conclusão:

 – É um campo de treinamento! Eles pretendem atacar a aldeia! – Concluiu Iboni.

Iboni volta a mata e em frente a cachoeira, deixa o manto de Ynibi ao qual estava enrolado cair, fecha os olhos e começa a se concentrar, Iboni está prestes a se transformar na besta novamente, porém é interrompido por uma voz:

– Índio! Não se mova, o que está havendo aqui? – Era a voz do General Kurtz apontando uma espada em direção a Iboni.

Iboni vira-se e encara o General, o General olha para Iboni e sente algo estranho, uma sensação que nunca havia sentido antes, normalmente naquela situação o General já havia arrancado a cabeça do índio a muito tempo, porém quando olhou para Iboni, algo o fez pensar e ele não sabe o que é.

– Quem é você? E o que faz aqui! – Questionou o General.

– Eu sou Iboni! Estou perdido! – Respondeu Iboni.

– Perdido? – Perguntou o General.

– Sim! – Declarou Iboni.

– Onde estão suas roupas? – Perguntou o General.

– Eu fui atacado por homens da aldeia, fiquei apenas com esse manto. – Respondeu Iboni.

– E por que eles te atacaram e só levaram suas roupas? A ordem dada pela rainha é para que todos que encontrarem um de vocês entreguem imediatamente aos soldados! – Declarou o General.

– Eu não sei, simplesmente levaram tudo e me deixaram vivo. – Respondeu Iboni.

– Mas e você? Não vai me matar? – Questionou Iboni.

O General olhou para Iboni, seu coração entrou em agonia, ele nunca sentiu nada daquele tipo antes, não entende o que está se passando, então o General responde:

– Parece que é seu dia de sorte, encontrou duas pessoas do reino e saiu vivo. – Declarou o General deixando Iboni para trás.

Iboni respira aliviado junta o manto de Ynibi e entra em uma caverna que descobriu atrás da cachoeira, sentado e olhando para fora Iboni pensa:

– Por que ele não me matou?

Iboni dá um sorriso e diz:

– Preciso de roupas!

De volta ao castelo o General chega do campo de treinamento e vai direto aos seus aposentos, no seu quarto dentro de uma banheira de água quente o General começa a questionar a si mesmo:

– O que aconteceu? Como eu não o matei?

É tudo muito estranho para o General, afinal ele é o braço direito da Rainha, tudo o que ela manda, ele executa sem nem pensar, mas com aquele índio é diferente, o General simplesmente sente que não pode matá-lo.

– Preciso ver o Corvo Azul! – Declarou o General saindo da banheira.

O Corvo Azul está em seu quarto aguardando o jantar ser servido, quando ouve batidas em sua porta, ele abre e para sua surpresa o General Kurtz está do outro lado:

– General? Aconteceu algo? – Questionou o Corvo Azul.

– Sim, quero que desfaça! Aliás eu ordeno que desfaça! – Disse o General entrando no quarto.

– Desfazer o que? Não sei do que está falando General! – Disse o Corvo Azul.

– Você sabe muito bem do que eu estou falando, hoje pela tarde quando eu estava saindo para o campo de treinamento, você lançou algum tipo de feitiço em mim, não sei o que era, mas desfaça agora! – Disse o General de forma alterada.

O Corvo Azul ri e responde ao General:

– Eu não lancei nenhum feitiço em você, por qual motivo eu faria isso?

– Você é um índio, assim como todos os outros, você me enfeitiçou por vingança! – Afirmou o General.

O Corvo Azul volta a rir e responde:

– General Kurtz, eu não amaldiçoei ninguém, não é assim que trabalho, estou aqui para ajudar os índios sim, mas não seria capaz de amaldiçoar você, se fosse para ser assim, eu já teria feito quando cheguei, não acha?

O General pensa sobre o que o Corvo Azul diz e se arrepende da acusação.

– Mas por que você acha que eu te enfeiticei? – Questiona o Corvo Azul.

– Tamaki, aconteceu uma coisa essa tarde, encontrei um índio na mata, não consegui matá-lo, eu não sei o que me deu, eu olhei para ele e simplesmente não consegui, era como se algo me impedisse! – Revela o General.

O Corvo Azul pega na mão do General e diz:

– Às vezes o grande espírito nos impede de fazer coisas que vamos nos arrepender depois!

O General sem entender questiona:

– Arrepender? Por que me arrependeria? Matei milhares de índios a minha vida toda, por que me arrependeria da morte um agora?

– Não devemos questionar o que o grande espírito faz, só devemos aceitar! Nunca esqueça disso General. – Declarou o Corvo Azul.

– E vai ser assim agora? Não matarei nenhum índio nunca mais? – Questionou o General.

– Isso não sou eu quem vai responder. – Respondeu o Corvo Azul indo em direção ao General.

– Ele é quem tem a resposta! – Declarou o Corvo Azul com a mão sobre o coração do General.

Antes que o General pudesse questionar, um dos empregados da Rainha chama-os para o jantar.

– O jantar está servido senhores.

– Estamos descendo. – Respondeu o Corvo Azul.

– Não adianta me questionar mais General, já disse, não tenho a resposta. – Respondeu o Corvo Azul deixando o quarto.

Após o jantar todos vão para seus quartos e adormecem, o General passou a noite toda pensando no que havia acontecido, na manhã seguinte tomou uma decisão:

– Eu vou atrás dele! – Declarou o General.

O General monta sobre seu cavalo e cavalga em direção a mata, chegando à cachoeira ele começa a procurar pelo índio.

– Perdeu alguma coisa General? – Questionou o índio sentado no alto de uma árvore.

O General vira-se assustado e responde:

– Olá, eu não vi que você estava aqui.

– Não respondeu a minha pergunta General. Por que voltou? – Perguntou o índio.

– Eu passei a noite sem dormir pensando no que aconteceu, porque eu não consegui te matar, então eu conversei com um amigo que também é índio… –Explicava o General até ser interrompido.

– Amigo? Índio? Como você tem um amigo índio? – Questionou o índio.

–…É uma longa história, o nome dele é Tamaki, chamam ele de Corvo Azul, como eu dizia ele me disse que o grande espírito as vezes nos impede de fazer algo que vamos nos arrepender, então eu preciso saber, por que eu não consegui te matar ontem? – Concluiu o General.

O índio olha para o General confuso e responde:

– É uma ótima pergunta! Só que eu também não sei a resposta General, eu poderia ter te matado naquele momento, mas também não consegui, talvez seja uma maldição, não podemos matar um ao outro nunca! – Disse o índio com um tom de voz sério, e terminou a frase com um tom de deboche.

O General olha para o índio e revida:

– Não seria possível. Nunca fui amaldiçoado e disso tenho certeza.

Os dois riem e o General cumprimenta:

– Sou o General Kurtz.

O índio responde:

– Sou Iboni.

– Então Iboni, por que esta nú? – Questionou o General rindo no final.

– Já te respondi essa pergunta ontem. – Respondeu Iboni.

– Bom, eu trouxe algumas roupas e comida, você mora aqui? – Questionou o General.

General Kurtz – Google Imagens

Iboni hesitou em responder, mas pensou consigo mesmo que se o General fosse matá-lo ou entregá-lo a Rainha, já teria o feito.

– Não tenho um lar, estou dormindo atrás daquela cachoeira. – Respondeu Iboni.

– Bom, não é um bom lugar para se dormir, mas é melhor que nada. – Disse o General entregando as roupas e a comida a Iboni.

Iboni pega as roupas e veste ali mesmo, após isso Iboni convida o General a entrar em sua caverna, na caverna os dois conversam, Iboni contou ao General que estava perdido após sofrer um assalto de pessoas do reino, Iboni não contou ao General sobre a aldeia e nem sobre seu plano de matar Elisabeth, ele pensou que poderia engana-lo e assim chegar a Rainha mais fácil, só que assim como o General, Iboni sente algo estranho em relação a eles, era como se eles já se conhecessem a muito tempo.

– Eu lamento o assalto, eu sou General da Rainha, não tenho muita coisa a contar, eu vivo para proteger a coroa. – Disse o General.

Após a conversa eles percebem que se passou muito tempo e o General resolve partir, na despedida o General olha para e Iboni e diz:

– Eu não sei por que isso aconteceu comigo, mas eu gostei de te conhecer Iboni, espero que possamos ser amigos, de verdade.

Iboni – Google Imagens

Iboni, sentindo-se culpado de mentir ao General responde:

– Eu também espero General, de coração.

– Até mais Iboni, eu volto para te trazer mais comida! – Disse o General.

– Obrigado Kurtz, e até mais. – Despediu-se Iboni.

Continua…

Conhecendo o Autor: Jorge Amado

Google Imagens

Por: Fábio Anhaia

Fonte: Wikipédia

Jorge Leal Amado de Faria ou apenas Jorge Amado foi um dos mais famosos e traduzidos escritores brasileiros de todos os tempos. Jorge Amado é o autor mais adaptado do cinema, do teatro e da televisão. Verdadeiros sucessos como Dona Flor e Seus Dois Maridos, Tenda dos Milagres, Tieta do Agreste, Gabriela, Cravo e Canela e Tereza Batista Cansada de Guerra foram criações suas. Sua obra literária, 49 livros, ao todo, também já foi tema de escolas de samba por todo o País. Seus livros foram traduzidos em 80 países, em 49 idiomas, bem como em braille e em fitas gravadas para cegos.

Integrou os quadros da intelectualidade comunista brasileira desde o final da primeira metade do século XX – ideologia presente em várias obras, como a retratação dos moradores do trapiche baiano em Capitães de Areia, de 1937.

Jorge foi superado, em número de vendas, apenas por Paulo Coelho. Mas em seu estilo, o romance ficcional, não há paralelo no Brasil. Em 1994, a sua obra foi reconhecida com o Prêmio Camões.

Em sua atuação literária apresentou duas fases distintas: primeiramente de claro cunho social e político, que podem ser vistas em obras como O País do Carnaval, Cacau, Suor, Jubiabá, Capitães de areia e Os subterrâneos da liberdade, entre outras. Já em obras como Gabriela, cravo e canela, Dona Flor e Seus Dois Maridos, Tenda dos milagres, Tereza Batista cansada de guerra e Tieta do Agreste, pode-se ver um aspecto mais regionalista, segundo opinião do professor, crítico e historiador de literatura brasileira Alfredo Bosi.

A obra de Jorge já foi editada em 55 países, e vertida para 49 idiomas. Muitas de suas obras foram adaptadas para cinema, TV, teatro e rádio, bem como para histórias em quadrinhos. Em 1960 estreou na TV Tupi a adaptação de Gabriela, Cravo e Canela, de Antônio Bulhões de Carvalho e dirigida por Maurício Sherman. Em 1975, outra adaptação do romance Gabriela, feita por Walter George Durst estreou na televisão pela Rede Globo. Em 1976 estreou no cinema Dona Flor e seus Dois Maridos com direção de Bruno Barreto. O filme foi um sucesso de bilheteria, assistido por mais de dez milhões de espectadores. Ainda virou minissérie e peça. Em 1982 e 1987 estrearam, respectivamente, no teatro Capitães de Areia e O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá. A Rede Bandeirantes levou ao ar uma adaptação de Capitães de Areia a televisão em 1989. No mesmo ano, a Rede Globo estreou a telenovela Tieta, com direção de Reynaldo Boury, Ricardo Waddington, Luiz Fernando Carvalho e Paulo Ubiratan. Em 1995, a Rede Manchete adaptou a obra Tocaia Grande para televisão. Em 1998, foi ao ar mais uma adaptação da obra Dona Flor e Seus Dois Maridos, desta vez em formato de minissérie. Em 2012, o remake de 1975 de Gabriela foi exibido pela Rede Globo.

Top cinco livros de Nicholas Sparks

Por: Fábio Anhaia

Fonte: Google Books

Nicholas Sparks é um dos maiores autores da atualidade, responsável por diversos romances de sucessos ele encanta o leitor a cada novo livro. Abaixo separamos uma lista com cinco desses romances.

5 – Um amor para recordar

Aos 17 anos, a vida de Landon Carter muda para sempre. Largado pela namorada e sem companhia para o baile da escola, ele está desesperado para dar a volta por cima. Como as garotas que lhe interessam já têm par, sua única opção é alguém impensável: Jamie Sullivan, a filha do pastor da igreja que frequenta. Para Landon e seus amigos, Jamie é muito esquisita. Anda sempre com as mesmas roupas, não usa maquiagem, vive com o cabelo preso e carrega a Bíblia surrada para todos os lados. A vida dela gira em torno do pai viúvo, do resgate de animais feridos e do seu trabalho como voluntária num orfanato. Nenhum garoto jamais a chamou para sair – até Landon fazer o convite. A menina aceita com uma condição: ele não pode se apaixonar por ela. A princípio, parece uma tarefa fácil, mas o garoto se pega passando cada vez mais tempo com Jamie, e uma transformação pessoal começa a acontecer.

4 – Uma Longa Jornada

Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele. Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra e seus efeitos sobre eles e suas famílias. Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga até um rodeio. Lá é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição. Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família. Aos poucos, Sophia começa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Isso se o terrível segredo que ele guarda não puser tudo a perder. Ira e Ruth. Luke e Sophia. Dois casais de gerações diferentes que o destino cuidará de unir, mostrando que, para além do desespero, da dificuldade e da morte, a força do amor sempre nos guia nesta longa jornada que é a vida.

3 – Querido John

Durante sua licença, conhece a garota de seus sonhos, Savannah. A atração mútua cresce rapidamente e logo transforma-se em um tipo de amor que faz com que Savannah prometa esperá-lo concluir seus deveres militares. Porém ninguém previa o que estava para acontecer, os atentados de 11 de setembro mudariam suas vidas e do mundo todo. E assim como muitos homens e mulheres corajosos, John deveria escolher entre seu país e seu amor por Savannah. Agora, quando ele finalmente retorna para Carolina do Norte, ele descobre como o amor pode nos transformar de uma forma que jamais poderíamos imaginar.

2 – A Última Música

Aos 17 anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virar de cabeça para baixo quando seus pais se divorciam e seu pai decide se mudar para a praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que Ronnie e seus irmãos iriam passar as férias de verão com o pai na Carolina do Norte. Ele, por sua vez, ex-pianista, vive tranquilamente na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de reaproximação do pai e ameaça voltar para Nova York antes de o verão acabar. É quando ela conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda, apaixona-se profundamente por ele, abrindo-se aos poucos para uma experiência que lhe proporcionará imensa felicidade e dor, jamais sentidas.

1 – Diário de uma paixão

Duke é um homem simples com uma vida modesta, mas amou alguém de todo o coração e, para ele, isso sempre foi suficiente. Na clínica de repouso em que vive, Duke se dedica a ler poemas para os outros pacientes, mas, para uma senhora que sofre de Alzheimer, e somente para ela, lê um diário especial à espera de que um milagre aconteça. Nele está escrita a emocionante história de Allie Nelson e Noah Calhoun, dois jovens que descobrem o verdadeiro significado da paixão, mas são separados por uma série de obstáculos e mal-entendidos. Muitos anos depois, a vida dá conta de uni-los novamente e a paixão volta com todo o seu fulgor. Já noiva de um bem-sucedido advogado, Allie precisa optar entre manter o rumo estável de sua vida e se entregar ao verdadeiro amor, correndo todos os riscos. Com a leitura do diário, Duke recorda a própria vida e, às vezes, a senhora consegue romper as barreiras da doença e retomar sua antiga identidade alegre e vivaz. E, sempre que isso acontece, Duke tem a certeza de que o amor relatado nas páginas do diário é a força mais poderosa do Universo.

Apaixonantes, sempre demonstrando a força do amor esses romances conquistam todo e qualquer leitor que dedicar um tempinho para lê-los.

Outra vez, Muito Obrigado!

Por: Fábio Anhaia

As vezes parece post repetido, mas não é, eu não canso de agradecer a todos vocês pelo apoio e carinho comigo. sinto-me privilegiado por tanto amor. O lançamento do meu livro aconteceu essa semana e estou muito contente e grato com todos que já compraram seu exemplar, espero que estejam desfrutando de cada pagina com muito amor.

Para quem ainda não adquiriu, acesse o site do clube de autores através do link abaixo e adquira já, junte-se a mim nessa doce e divertida história, você não vai se arrepender!

https://clubedeautores.com.br/livro/descobrindo-o-amor-3

Muito obrigado a todos que já fazem parte desse grandioso circulo de amor, espero que continuem comigo nos projetos futuros, tem muita novidade por vir.

Obrigado, obrigado e muito obrigado!

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑